,

O que é logística integrada e como ela reduz custos?

Em vez de ler, que tal ouvir?

A logística integrada vem se inserindo, a cada dia que passa, como o caminho natural para a regulamentação das operações de transporte na realidade empresarial.

Com ela, a redução de custos e o maior rendimento dos setores relacionados ao transporte podem ser vistos como mais do que simples resultados: como uma consequência.

Mas é importante saber que a logística integrada (também conhecida como logística completa ou integral) é mais do que uma tática de redução de gastos. Ela perpassa diversos âmbitos de uma estratégia empresarial.

Quer saber o que é a logística integrada, quais são suas principais características e como o seu empreendimento pode se beneficiar das suas vantagens? Acompanhe.

Qual o significado da logística integrada?

A logística integrada é a busca pela união dos setores e a criação de cadeias de transporte – suplly chain – que, de uma forma ou de outra, influenciam no transporte de mercadorias para o seu destino final.

Com o constante acesso à informação e o florescimento de inúmeros negócios que vendem direta ou indiretamente para o consumidor final, as empresas que lidam com o transporte de mercadorias precisam estar sempre à frente das expectativas dos clientes, que, agora, não buscam apenas o produto: eles avaliam toda a experiência da compra.

Já é possível identificar a necessidade da logística integrada apenas nesse ponto. Para os clientes, o processo de entregas deve ser eficaz e trazer vantagens.

A era de esperar por um produto durante semanas chegou ao fim, sendo que, a cada dia que passa, mais e mais empresas conseguem trabalhar com prazos menores. A logística integrada é quem atua por trás dessa extrema eficiência.

Em suma, podemos dizer que a logística integrada diz respeito ao gerenciamento de toda a cadeia logística como uma única entidade, em vez de gerenciamento separado de funções e processos individuais.

→ O que a logística tem a ver com marketing? Assista ao vídeo abaixo e descubra!

Como a logística integrada pode reduzir custos e encantar clientes?

Com a união de informações e a integração de processos com soluções de automação, softwares especializados e uma comunicação interna e externa eficiente, é possível gerenciar as entregas de ponta a ponta, desde a origem do produto na indústria até o seu destino final, nas mãos do cliente.

Com a metodologia em prática, os custos operacionais são interdependentes, o que aumenta a produtividade e elimina pequenos erros operacionais, que podem se desenrolar em atrasos, multas por quebra de contratos, prejuízos com perdas de produtos, etc.

Além disso, com a logística integrada, é possível – na verdade, fundamental – a criação de cadeias de distribuição englobando fornecedores, distribuidores e pontos de venda em regime de parceria.

Dessa forma, o poder competitivo de todos os envolvidos nessa “aliança” se torna muito maior, e a sua influência, por conseguinte, também.

O que é a gestão da logística integrada?

Dentro disso, também precisamos rememorar o conceito de gestão integrada de logística. Ele se refere à utilização de várias fontes e canais para atender à demanda do cliente no tempo ideal.

Para isso, os recursos necessários que serão utilizados para atender à necessidade são adquiridos, e variam de recursos humanos, materiais, tecnológicos, entre outros.

A partir daí, todos os esforços são feitos para atender à demanda do cliente em tempo hábil pela participação ativa de todos os recursos. São empregadas diversas operações, como transporte, distribuição física, gerenciamento de estoque etc.

Quais são as principais características da logística integrada?

Vejamos algumas atividades estão fortemente relacionadas à logística integrada. São elas:

Distribuição física

Trata do processamento de pedidos, do transporte, da estocagem de produtos acabados e do armazenamento final dos produtos.

Gerenciamento de materiais

Conjunto de ações e medidas que visam suprir todas as áreas da empresa com os materiais físicos necessários para que os setores desenvolvam suas atividades.

Podemos dizer, portanto, que se trata da área responsável pela reposição contínua dos itens que entram na companhia, desde a matéria-prima para fabricação de produtos aos materiais que dão suporte a outras tarefas, como suprimentos de escritório e embalagens.

Engenharia Logística

A engenharia logística pode ser entendida como o campo do conhecimento que auxilia o desenho de processos tecnológicos, logísticos e de infraestrutura. Em termos práticos, o objetivo é oferecer suporte a um gerenciamento mais eficaz em todas as interfaces de uma cadeia produtiva.

Em primeiro plano, é feita uma análise sobre os métodos de trabalho implementados. A partir daí, realizam-se diagnósticos e recomendações sobre quais ações podem ser colocadas em prática visando melhoria de processos — como, por exemplo, o tempo adequado para cada atividade, fatores que afetam o desempenho e o layout das operações.

Os projetos de engenharia logística contam com a cooperação de gestores, profissionais de logística, clientes, fornecedores e outros membros da cadeia de abastecimento. Dessa forma, melhores soluções são estruturadas para lidar com problemas operacionais.

Logística de negócios

A Logística Empresarial é responsável por quatro atividades essenciais: aquisição, movimentação, armazenamento e entrega de produtos.

Essa área de atuação surgiu da necessidade das empresas de eliminar falhas no fornecimento de produtos e otimizar toda a operação logística, até a entrega ao consumidor final.

Gestão de logística

A gestão logística consiste na administração dos fluxos logísticos de sua empresa, aqueles que envolvem as atividades relacionadas à produção de mercadorias ou à compra de produtos, ao armazenamento e à distribuição das mercadorias.

Essas operações exigem cuidados especiais do gestor e sua equipe, podendo trazer economia à empresa se forem conduzidas da forma correta.

As melhoras práticas na área buscam zelar por uma gestão enxuta da cadeia logística, na tentativa de evitar desperdícios, aumentar a produtividade e agilizar processos.

→ Ouça o MáximaCast abaixo e confira porque a torre de controle é a melhor estratégia para alavancar os resultados da sua logística!

Gerenciamento de distribuição

O gerenciamento da distribuição se refere à supervisão do movimento de produtos acabados de uma manufatura ou fornecedor até o usuário final.

Esse processo contempla diversas atividades, o que inclui armazenamento, gerenciamento de estoque, separação e embalagem do armazém, e a própria distribuição.

Desde que bem executado, o gerenciamento de distribuição melhora o processo de atendimento de pedidos, a taxa de giro de estoque, as margens de lucro, a agilidade da cadeia de suprimentos e, em última instância, a satisfação do cliente.

Suply Chain

Supply Chain pode ser entendido como a integração da empresa com todas as firmas da cadeia de suprimentos, em que fornecedores, clientes e provedores externos de meios logísticos compartilham informações e planos necessários para tornar o canal mais eficiente e competitivo.

Também podemos destacar as principais operações envolvidas no modelo logístico integrado:

  • Logística de entrada: é referida como suprimento ou fornecimento físico; lida com o relacionamento entre a empresa e seus fornecedores; aborda o fluxo de materiais dos fornecedores para a fábrica ou para as operações de serviço;
  • Conversão/operações: trata da relação logística entre as instalações da firma; aborda como mercadorias e materiais se movem entre as estações de trabalho dentro das operações;
  • Logística de saída: é a relação logística entre a empresa e seus clientes; o movimento do produto finalizado da fábrica (ou do centro de distribuição) para o cliente final.

Quais benefícios práticos a logística integrada oferece?

Um dos principais benefícios relacionados à logística integrada é a redução dos custos operacionais. Afinal, com a otimização e maior agilidade de processos, o esperado é que os custos associados a diferentes operações diminuam.

Para entender como isso se dá na prática, devemos imaginar a integração funcionando como uma espécie de tradutor em uma “Torre de Babel”. Isto é, em meio a uma operação altamente complexa, esse recurso auxilia na transição dos fluxos de trabalho entre diferentes pontos de contato.

Com isso, temos todos os processos funcionando de forma complementar e alinhada, o que diminui o retrabalho, bem como os prejuízos com paradas de produção desnecessárias e os inconvenientes gerados por improvisos para reparar falhas ocorridas em outras etapas.

As melhorias nas áreas de organização e controle também são notáveis. Afinal, sem o emprego da logística integrada, as atividades próprias dessa interface do negócio não são executadas a contento. Já com a integração, é possível assumir uma visão global dos processos.

Em outras palavras, podemos dizer que o gestor passa a ser capaz de avaliar o impacto da mais simples ação executada em qualquer estágio da cadeia produtiva. Estamos falando de algo difícil de observar para quem executa a tarefa. No entanto, depois de ser informado sobre o problema, o operador poderá proceder com a mudança.

Como resultado da diminuição do retrabalho e da organização mais bem elaborada, a melhora da produtividade é uma consequência natural e esperada. Há uma compreensão clara de cada setor sobre o seu papel no processo de logística, e isso permite uma sinergia que melhora a dinâmica de trabalho.

Por fim, devemos destacar a melhoria sensível que se pode ter no relacionamento mantido com os parceiros do negócio. Os fornecedores, por exemplo, ao receber feedbacks úteis, podem oferecer soluções mais ágeis para eventuais problemas de logística. Já os clientes, por todo o trabalho de integração realizado, serão naturalmente mais bem atendidos.

Vejamos, então, um resumo dos principais benefícios relacionados a logística integrada:

  • Agilidade dos processos produtivos (para fabricantes e também distribuidores);
  • Processos mais organizados, fluidos e ágeis;
  • Informações mais confiáveis, sempre atualizadas e disponíveis para decisões mais certeiras;
  • Redução geral de custos dos processos logísticos;
  • Redução de desperdícios produtivos;
  • Diminuição significativa do tempo de movimentação de mercadorias;
  • Alinhamento e melhor coordenação de todos os processos;
  • Planejamento mais inteligente e, portanto, mais eficaz;
  • Criação de vantagens competitivas para o negócio como um todo.

→ No vídeo a seguir, entenda como a logística integrada pode reduzir custos operacionais na cadeia de distribuição:

Como a logística integrada é operacionalizada?

A logística integrada age em algumas frentes fundamentais para funcionar corretamente, sendo que elas podem ser diferentes de empresa para empresa por conta da realidade, da complexidade do produto, dos perfis dos consumidores e do negócio (B2B e B2C, por exemplo) etc.

Administração

Essa faceta da logística integrada diz respeito à administração dos processos de produção da mercadoria, bem como a negociação de aquisições, estocagem, a garantia da qualidade, gestão do transporte, dentre outros.

Nesse momento, é de grande importância estabelecer parcerias com os seus fornecedores principais, que, muitas vezes, acabam sendo as indústrias de manufatura. Esse é o primeiro elo na cadeia de distribuição, e deve ser feito com esmero para reduzir custos e aumentar a velocidade da produção e distribuição.

Movimentação

Aqui, se regulam as operações de transportes relacionadas à captação de matéria-prima para a produção pela indústria, seu acondicionamento adequado, o entendimento de rotas e a otimização de todos os processos relacionados ao translado entre os integrantes da suplly chain.

Destino final

É nessa fase que, normalmente, são colhidos os louros da logística integrada. Caso tudo corra bem nas fases anteriores e o trabalho de gestão tenha sido feito satisfatoriamente, o fluxo de entregas será muito mais eficiente e não trará prejuízos.

Mas, ainda assim, há alguns pontos a se considerar no destino final das mercadorias, como o controle da devolução de mercadoria, a correta identificação de prazos, relacionamento com o cliente ou o PDV e a procura de parcerias com transportadoras, que são fundamentais para fechar com chave de ouro o seu sistema de logística integrada.

Quais variáveis tornam viável a logística integrada nas empresas?

Existem variáveis ​​que influenciaram (e seguem influenciando) a avaliação e o crescimento da logística integrada nas organizações nos últimos tempos, tais como:

Consciência do consumidor

Uma das mais visíveis é o crescimento da consciência do consumidor e do conceito de marketing. Por exemplo, uma linha de produtos expandida para atender à crescente procura demanda mais seleções.

Esta expansão coloca grande pressão nos canais de distribuição para mover mais produtos e manter os custos baixos, especialmente em transporte e estoque.

Evolução tecnológica

Um segundo fator é a introdução da tecnologia. Nos últimos anos, especialistas em computação e gerentes de logística integrada rapidamente encontraram uma infinidade de aplicativos de computador para logística.

Essas aplicações oferecem ainda mais eficiência no encaminhamento e agendamento de transporte, controle de estoque, layout e design de armazém, e em todos os aspectos da logística integrada.

Na verdade, os computadores e dispositivos, bem como os sistemas, permitem a logística integrada gerenciada para o sistema logístico integrado modal e, em seguida, facilitam análises dos efeitos das mudanças propostas.

Mudanças econômicas

A terceira variável, que levou ao crescimento da logística integrada, foi a economia mundial nas décadas de 1970 e 1980. A recessão global e o aumento das taxas de juros fizeram com que muitas empresas voltassem a atenção para reduzir a vantagem de custo; e empresas foram obrigadas a reavaliar as necessidades gerais de transporte.

Além disso, as taxas de juros crescentes chamaram a atenção para a manutenção de níveis mínimos de estoque por conta do custo de capital.

Novas práticas de gestão

Por fim, também temos que destacar que um fator que afeta a logística integrada é o surgimento de novos métodos e estratégias de gestão. O crescimento da produção just-in-time, gestão de suprimentos, transporte e intercâmbio eletrônico de dados nas décadas de 80 e 90, por exemplo.

Como os fabricantes e distribuidores abraçaram essas novas práticas, o gerenciamento de logística integrada acabou sendo uma consequência. Isso porque elas exigem, entre outras coisas, a otimização do transporte de entrada e saída e um gerenciamento de inventário mais eficiente.

Como implementar a logística integrada no seu negócio?

Por fim, apresentamos, a seguir, algumas dicas para que você possa implementar uma estratégia de logística integrada na sua empresa. Confira!

Melhore a comunicação

De início, é muito importante tornar os fluxos comunicacionais da sua empresa mais eficientes. Aqui, estamos falando da comunicação entre os departamentos, mas também dentro da própria equipe diretamente ligada à logística.

Por exemplo, ao garantir que áreas como compras, relacionamento com o cliente e departamento comercial tenham acesso aos dados atualizados de estoque e distribuição, a integração se torna possível. Pense em todos os outros processos que se tornariam mais eficazes por estarem melhor integrados.

Implemente ferramentas tecnológicas

Outro fator fundamental, conforme já pontuamos, é a utilização de sistemas de informação e análise. Ferramentas tecnológicas destinadas à integração dos processos vão tornar o seu negócio mais conectado e, consequentemente, a logística terá uma gestão e uma operação mais integrada.

Engaje as equipes na integração

Também não podemos nos esquecer do fator humano (ele, aliás, é a grande chave da logística integrada). É fundamental sensibilizar os profissionais e os times para a importância da logística integrada.

E você pode fazer isso fomentando a cultura de inovação, seja por meio do exemplo dado pelos líderes ou também por treinamentos e capacitações patrocinados pela empresa.

Conclusão

Ser capaz de integrar instalações, departamentos e trabalhadores é vital no mundo competitivo de hoje. No entanto, não é possível alcançar isso sem assumir que essa é uma missão estratégica.

Ou seja, é preciso saber qual o tipo de gestão logística se quer praticar; como se quer que a logística contribua para cada tipo de empresa..

Ter esse nível de planejamento de negócios ajuda a superar a simples ideia de que logística está simplesmente movimentando mercadorias de um ponto para outro.

Isso não é algo que afeta apenas as multinacionais. Empresas de qualquer porte devem elaborar um plano de logística integrada para definir a maneira como desejam atender seus clientes e garantir lucratividade.

Como vimos, a logística integrada é mais sobre uma nova forma de gestão do que a inserção de métodos e ferramentas.

Portanto, colocá-la em prática requer um novo olhar para a forma como os processos logísticos são administrados. Entendendo isso, implementar técnicas e recursos é um passo inevitável e, quando bem coordenado, acertado.

E aí, o que achou da logística integrada? Você está pronto para aplicá-la em seu negócio? Fale conosco agora mesmo para saber como podemos te ajudar!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments