Em vez de ler, que tal ouvir?

A metodologia FLEX é fundamental para empresas que utilizam os descontos de maneira estratégica. Ela permite que os vendedores tenham autonomia para negociar valores, ao mesmo tempo em que preserva margens e o planejamento comercial. Leia mais

veja o calendário promocional 2021

pessoas vendo o calendário promocional 2021

Em vez de ler, que tal ouvir?

Mais um ano se aproxima e, com ele, o momento de montar o Calendário Promocional 2021. No entanto, as coincidências param por aí.

Leia mais

tendências para segmento atacadista 2021

quais segmento atacadista 2021

Em vez de ler, que tal ouvir?

Mais um ano chega ao fim e com isso a pergunta: o que esperar do segmento atacadista 2021?

Leia mais

quais nichos de mercado investir

pessoas analisando qual nichos de mercado investir

Em vez de ler, que tal ouvir?

Será que é uma boa ideia para uma distribuidora focar em nichos de mercado? Essa é uma estratégia cada vez mais comum nos mais diversos segmentos. Trata-se de um movimento que segue a tendência de consumo dos clientes – com uma demanda cada vez mais específica.

Leia mais

pessoa lendo dicas para evitar o cancelamento de contratos

confira dicas para evitar o cancelamento de contratos

O setor atacadista apresenta diversas características próprias. Entre os desafios comuns a esse tipo de negócio, está o de evitar a alta rotatividade de clientes e o cancelamento de contratos.

Leia mais

Entenda como reduzir inadimplência na pandemia

Como reduzir inadimplência no atacado distribuidor

Em vez de ler, que tal ouvir este artigo?

A crise causada pelo coronavírus trouxe mudança em todos os aspectos da gestão de um atacado distribuidor. Com a pandemia, o aumento da inadimplência entre empresas deixou o sistema financeiro nacional em alerta. Muitas organizações recorreram a empréstimos e financiamentos para passar pelo período e suportar a falta de pagamento dos seus clientes. No entanto, existem medidas preventivas e ações que podem ser tomadas para reduzir inadimplência e garantir o recebimento pela venda.

No artigo de hoje, mostraremos quais são elas! Acompanhe!
Leia mais

Em vez de ler, que tal ouvir?

Gerenciar vendas em vários canais tem seus desafios. Ao mesmo tempo, é uma tendência da qual as empresas não podem fugir, pois é assim que a concorrência tem trabalhado e é isso que os consumidores esperam.

Chamada de omnichannel ou multicanal, a venda em diversos canais é uma estratégia que pode ser bastante lucrativa. Contudo, requer uma série de cuidados e boas práticas, devido à complexidade de gestão e à dinamicidade operacional.

Neste artigo, além de entender por que as vendas em vários canais são uma tendência, você vai ver dicas de como gerenciá-las com eficiência.

Você vai ter um panorama das oportunidades que essa prática empresarial oferece e dos desafios envolvidos. Ao final, listamos um passo a passo para iniciá-la com eficiência.

Acompanhe!

Baixe nosso checklist completo para sua força de vendas!

Por que gerenciar vendas em vários canais é uma tendência?

A integração das vendas de loja física, externas, e-commerce, marketplace e via telemarketing é uma tendência em diversos mercados, e é percebida com cada vez mais frequência. E isso tanto no B2C quanto no B2B, tendo muito a ver com o protagonismo da experiência do cliente.

Nos últimos anos, organizações de vários segmentos e portes têm priorizado entregar ao consumidor uma experiência de compra diferenciada.

E isso perpassa possibilitar a multicanalidade, para que o cliente escolha por onde quer fazer o pedido e qual meio quer utilizar para manter o relacionamento.

Para se ter uma ideia, estudos apontam que há uma crescente da prática de comprar online e retirar na loja física em todo o mundo.

Um relatório da Globaldata apontou que esse comportamento foi observado em 68% dos consumidores norte-americanos durante a pandemia, por exemplo.

Uma pesquisa global realizada pela Mckinsey também aponta que compradores e vendedores estão mais propensos às compras online.

Em 2020, 77% dos entrevistados no Brasil disseram estar mais confortáveis com as negociações via plataformas digitais — o que representa uma alta de 19% desde o último levantamento realizado em 2019.

A Mckinsey também detectou que gerenciar vendas ágeis, que, entre outros fatores, envolve a multicanalidade, também é uma prática que está em alta no B2B.

“Os clientes esperam velocidade e precisão, bem como pontos de contato digitais e pessoais. Isso significa implementar um novo modelo operacional, construído em torno do cliente e apoiado pelos processos e governança certos”, aponta a consultoria.

Um checklist completo para te ajudar a gerenciar os produtos da sua curva ABC!

As vantagens da estratégia multicanal para a sua empresa

Ainda de acordo com a Mckinsey, “as empresas que são capazes de personalizar a experiência do cliente em canais físicos e digitais — personalização omnichannel — podem atingir um aumento de receita de 5 a 15% em toda a base de clientes”.

Contudo, os benefícios de uma estratégia de vendas multicanal não param no aumento de receita. Há outros, que você vê com mais detalhes nos tópicos que seguem!

Aumento do ROI

O retorno sobre os investimentos (ROI) é maior nas empresas com capacidade de gerenciar vendas em vários canais.

Estudos apontam que, em média, um lead interage com um potencial fornecedor mais de 10 vezes antes de se sentir pronto para falar com um representante de vendas.

Isso é enormemente acelerado por uma abordagem multicanal, pois os pontos de contato são mais variados e geram mais confiança nos consumidores.

Melhorias no relacionamento

A disponibilização de diversos canais pelos quais os clientes podem comprar também aumenta o potencial do relacionamento da empresa.

Isso porque as chances de satisfação são ampliadas pela multicanalidade, o que favorece, por exemplo, as compras recorrentes.

Possibilitar a escolha do meio pelo qual fazer cotações e fechar negociações é algo bastante apreciado pelos consumidores modernos — tanto em estratégias B2C quanto B2B, conforme já mostramos anteriormente.

Redução de custos

A princípio, pode parecer que gerenciar vendas com multicanalidade aumenta os gastos. Mas isso não é verdade.

Ao disponibilizar canais digitais, como loja virtual e participação em marketplaces, a empresa consegue escalar suas vendas sem aumentar gastos operacionais.

No fim do dia, colocando todos os custos na ponta do lápis, percebe-se que a economia é bem maior do que os investimentos de manutenção dos canais.

Conheça o panorama do Atacado Distribuidor!

Os desafios de gerenciar vendas em vários canais

Obviamente, não podemos deixar de mencionar o quão desafiador é gerenciar vendas em vários canais.

Especialmente no início, há quebras de paradigmas e um período de reacomodação de processos que pode exigir gestão da mudança, treinamento de equipe, investimento em ferramentas, entre outros.

A multicanalidade também tem feito muitos especialistas afirmarem que a fidelidade do consumidor (em negócios B2C ou B2B) “é coisa do passado”. De acordo com um relatório global do BigCommerce, consumidores de várias faixas etárias têm preferido a variedade à fidelização.

Entre os desafios de gerenciar vendas em vários canais que merecem detalhamento, destacamos os seguintes:

  • Volatilidade na fidelidade dos consumidores, que, diante de um leque cada vez maior de opções, prefere a experimentação à fidelidade cega — o que exige esforços maiores de relacionamento e estratégias de marketing e comunicação;

  • Desafios técnicos de integração de canais, que precisam ser tratados como parte de “um todo omnichannel” — exigindo investimentos em tecnologias, métodos e pessoal capacitado para o gerenciamento integrado;

  • Maior exigência de uma gestão orientada por dados, com o uso tático de ferramentas que fornecem informações em tempo real para decisões rápidas e inteligentes;

  • Complexidades no gerenciamento de estoques, visando eficiência e controle de custos para garantir disponibilidade de atendimento ágil;

  • Complexidades na estratégia de distribuição, que deve combinar agilidade e um padrão de qualidade superior;

  • Maiores esforços na estratégia de pós-vendas e suporte ao cliente, que passa a esperar uma atenção também ágil por qualquer um dos canais disponíveis;

  • Mais exigência de rapidez nas entregas, sempre considerando a experiência do consumidor e a evolução permanente da concorrência neste quesito;

  • Exigência de um controle mais acurado de custos da operação, de ponta a ponta etc.

→ Confira a gravação do episódio 43 do MáximaCast, o podcast da Máxima Tech. Nossos especialistas e convidados debatem a utilização da curva ABC para a gestão de estoque e comercial:

Passo a passo para gerenciar vendas em vários canais com eficiência

Para finalizar, é importante pontuarmos que não há uma receita pronta para quem vai começar a gerenciar vendas em uma estratégia multicanal. O que existe é uma série de boas práticas que, em média, é utilizada pelas organizações que mais se destacam nessa estratégia.

Confira, a seguir, os passos que recomendamos que sejam dados para implementar uma gestão de vendas omnichannel!

Passo 1. Escolha os canais que fazem sentido para o seu negócio

Estruturar uma estratégia multicanal não significa investir em todos os canais possíveis, mas, sim, naqueles que fazem sentido para o core business da sua empresa.

Uma loja física ou show room em conjunto com uma plataforma de e-commerce pode ser interessante. Quem sabe seja mais viável participar de um marketplace já estruturado, em que fabricantes, distribuidores e varejistas fazem vendas.

É interessante saber qual a combinação de canais mais satisfaria seus clientes. Para isso, é recomendado fazer uma pesquisa de opinião com a carteira de consumidores já conquistada. Os resultados podem ser de acordo com o já imaginado, ou surpreender totalmente.

Passo 2. Estude os efeitos que eles causam no cliente ideal

Também é interessante começar devagar, observando o comportamento dos consumidores diante dos canais criados.

Por exemplo, observar se a compra online com retirada na loja física é mais recorrente do que a entrega via transportadora.

O indicado, portanto, é reservar um período inicial para visualizar os efeitos que cada canal (ou a combinação deles) causa na clientela.

A partir disso, é possível ter uma ideia mais clara de investimentos em marketing e comunicação, por exemplo.

Passo 3. Estruture a integração dos canais

Mesmo mantendo uma visão específica de desempenho de cada canal, é fundamental administrá-los de maneira integrada. Isso significa que a gestão das vendas na estratégia multicanal deve ser realizada sem separações, tendo uma atuação panorâmica.

Do ponto de vista de gestão, isso vai requerer a centralização tecnológica para que os dados sejam imputados, armazenados e analisados de maneira integrada. Um exemplo claro: por mais que no sistema se separe a disponibilidade de estoque para cada canal, tudo deve ser centralizado em um único ambiente tecnológico.

Passo 4. Prepare a força de vendas para a estratégia multicanal

Em termos de gestão de pessoas, é fundamental preparar a equipe comercial para a estratégia omnichannel.

No início, isso pode causar dúvidas e até resistências, afinal, se está partindo da gestão tradicional para a multicanalidade.

Na maioria das vezes, isso vai requerer treinamentos, incentivos e disponibilização de recursos (principalmente de ferramentas de tecnologia, móvel, por exemplo).

O importante é que todos — supervisores, vendedores, assistentes de vendas… — estejam na mesma página e entendam como a estratégia funciona e como cada qual pode contribuir.

Passo 5. Invista em tecnologia para uma gestão orientada por dados

O tema da tecnologia merece um detalhamento. Para gerenciar vendas em vários canais, é muito importante contar com soluções integradoras, que deem mobilidade ao time de vendas externas, que interligue os vários canais.

O ideal é implementar soluções que potencializem a capacidade de análise de dados na mesma intensidade que tornem a operação mais dinâmica, ágil e eficiente.

Outro ponto de atenção é a questão da segurança da informação. Com mais canais a serem integrados e administrados, o volume de dados tende a aumentar.

Também haverá mais pontos de entrada e saída de dados, o que pode gerar vulnerabilidades — que devem ser devidamente mapeadas, monitoradas e neutralizadas.

→ Leia também: Tudo o que você precisa saber para escolher um bom sistema de vendas!

Conclusão

Como vimos, gerenciar vendas em vários canais é expandir a capacidade comercial do negócio. Ao mesmo tempo, há desafios a serem superados.

O que se sabe é que as empresas que alcançam essa eficiência têm sua lucratividade potencializada, aumentam as chances de fidelizar clientes e conseguem até elevar sua reputação no mercado.

Com boas práticas de gestão e tecnologia bem aplicadas, o sucesso é garantido mesmo em mercados altamente competitivos. E o primeiro passo é justamente esse: a busca de conhecimento sobre como gerenciar vendas em vários canais.

→ Qual o caminho para construir uma sinergia entre canais de venda no atacado distribuidor?

É o que nossos especialistas buscaram responder no episódio 24 do MáximaCast, o podcast da MáximaTech. Assista à gravação para pegar as dicas:

O que você achou das nossas dicas para você gerenciar vendas em vários canais? Como está o desempenho da sua força de vendas? Clique aqui e tenha um diagnóstico preciso em poucos minutos!

Ao invés de ler, que tal ouvir?

O negócio de atacado distribuidor está mudando. O gerenciamento e o atendimento eficiente de pedidos está se tornando cada vez mais complexo e, ao mesmo tempo, central para garantir que as expectativas do cliente sejam atendidas e sua operação comercial seja eficiente. Nesse tipo de negócio, pedidos mal administrados, com erros e atrasos podem afetar um grande volume de pedidos futuros e, por consequência, a lucratividade e, até mesmo, a longevidade do negócio. Tudo isso tem feito com que a tecnologia de sistema de pedidos seja tão demandada atualmente.

Um estudo internacional com empresas da cadeia de suprimentos ilustra em parte essa questão, por meio da constatação de que o processo de atendimento de pedidos está, de fato, se tornando mais complexo e que o desempenho das entregas tem sido reduzido, o que coloca em risco a satisfação e a retenção dos clientes e tem feito as empresas arcar com gastos extras emergenciais para tentar resolver paliativamente a situação.

Diante disso, para evitar esse tipo de problema e ter uma gerência e operação comercial mais eficiente, torna-se importante conhecer as vantagens que um sistema de pedidos em nuvem pode proporcionar à distribuidora. E é sobre isso que falaremos no artigo de hoje. Continue a leitura e saiba mais sobre como esse tipo de solução pode elevar sua operação e seus resultados a novos patamares.

Baixe nossa ferramenta gratuita e saiba como usar no atacado distribuidor!

O que é um sistema de pedidos em nuvem?

Em um contexto básico, “a nuvem” significa que o sistema e suas aplicações são hospedados remotamente – o que torna possível, também o acesso remoto a essas soluções.

→ Compreenda melhor esse conceito nesse vídeo sobre o tema:

O sistema de pedidos em nuvem ajuda a trazer mais acessibilidade, mobilidade e eficiência na gestão, inserção, sincronização, atendimento e entrega de cada pedido.

Além disso, a computação em nuvem permite que seus vendedores externos tenham informações estratégicas disponíveis para fechar pedido onde eles estiverem, já que o acesso pode ocorrer a distância.

Por tudo isso, a tecnologia em nuvem exerce um impacto cada vez mais evidenciado nas distribuidoras, especialmente quando aplicada a sistemas de pedidos.

De fato, um bom sistema de pedidos em nuvem pode ajudar a se vencer desafios comuns desse setor, como os erros nos pedidos, as inconsistências e problemas na transposição dos pedidos para o sistema interno da empresa, a morosidade no atendimento ao cliente, problemas de produtividade e controle das atividades comerciais da equipe, entre outros.

Embora muitos atacados distribuidores já tenha um sistema de pedidos, a entrada de dados e as informações são, muitas vezes, processadas e gerenciadas manualmente, deixando margem para erros e pouca visibilidade nos processos. Já com uma solução na nuvem, o acesso ocorre de forma fácil, tarefas são automatizadas e se consegue visibilidade em todas as etapas relacionadas aos pedidos.

Outro ponto de destaque é que o sistema de pedidos em nuvem permite que as empresas deixem de usar montantes consideráveis de papel. E isso ajuda a melhorar a eficiência dos negócios, tornando os dados facilmente acessíveis, enquanto se contribui para a proteção do meio ambiente. Juntamente com os benefícios ambientais associados à redução do uso de papel, a distribuidora também irá liberar o orçamento geralmente gasto em papel, tinta e toner, que pode ser investido em outras necessidades da empresa ou contribuir para reduzir os gastos fixos do negócio.

→ Além de utilizar um bom sistema de pedidos em nuvem, como é possível melhorar a gestão do seu negócio? Descubra baixando nosso kit de soluções para o atacado distribuidor.

Quais são as principais vantagens de um sistema de pedidos em nuvem?

Como vimos, um sistema de pedidos em nuvem é uma solução cada vez mais prevalente nas distribuidoras por proporcionar uma modernização e melhoria nos processos relacionados aos pedidos. Ainda, por trazer um foco maior em resultados, otimização de tempo e redução de erros e custos. Mas como tudo isso se traduz em benefícios na prática no dia a dia da operação do negócio?

Empresas, processos, negociações – tudo é cada vez mais digital. É provável que a distribuidora já utilize outros sistemas e soluções em nuvem atualmente. O mesmo ocorre com seus clientes. Isso já é suficiente para evidenciar a importância e a falta que um sistema de pedidos em nuvem pode representar para uma operação mais integrada, acessível e bem-sucedida.

A verdade é que, nessa era de hipercompetição, o cliente B2B está cada vez mais exigente e demanda uma experiência consistente e satisfatória de ponta a ponta. E, no setor de distribuição, isso somente se torna possível a partir de um gerenciamento eficaz dos pedidos e de um atendimento mais personalizado – o que também é viabilizado por um bom sistema de pedidos em nuvem.

Ao automatizar processos e trazer mais agilidade e facilidade no acesso e na inserção de pedidos, consegue-se ter ainda mais foco no cliente e sua equipe de vendedores tem à disposição o suporte que precisa para prestar um atendimento mais customizado e consultivo.

Com isso, esse tipo de tecnologia pode ajudar a garantir diferenciais competitivos valiosos para a conquista de uma posição sólida de seu negócio no mercado.

A seguir, compreenda mais sobre os benefícios em potencial proporcionados por um sistema de pedidos em nuvem focado nas necessidades das distribuidoras:

1. Resultados mais rápidos

Uma solução em nuvem tende a demandar menor tempo de instalação e atualização, já que não depende de uma estrutura interna mais robusta para rodar. Isso permite que os resultados da implementação comecem também a aparecer mais rapidamente.

Esse tipo de tecnologia, comumente, já é entregue pré-configurada o que também contribui para uma curva de aprendizado reduzida e menos resistência dos vendedores para utilizá-la integralmente em sua rotina.

Ainda, as atualizações e upgrades também ocorrem rapidamente e sem demandar paradas na operação ou a perda de tempo ao contratar um profissional apenas para lidar com atualizações e configurações rotineiras.

Com isso, tudo torna-se mais dinâmico, fácil, prático e eficiente, contribuindo para que os resultados sejam potencializados e acelerados em sua operação de vendas.

2. Mobilidade e acessibilidade

Uma das maiores vantagens de um sistema de pedidos em nuvem é a mobilidade e acessibilidade. Você e sua equipe poderão acessar o sistema e os dados necessários a qualquer momento, onde estiverem e em tempo real – bastante um dispositivo (como smartphone, tablet ou notebook) e conexão com internet.

Isso pode se tornar um diferencial valioso para trazer mais produtividade e eficiência em suas operações, possibilitando que decisões e iniciativas sejam desenvolvidas no momento requerido, sem perda de timing ou de oportunidades de geração de negócios.

Quanto a esse aspecto, é importante saber que há sistemas que vão além. Por exemplo, algumas soluções, como o sistema de pedidos da MáximaTech, além de rodarem em nuvem, também estão disponíveis no modelo on premises, com integração com a nuvem.

As soluções on premises são alternativas que requerem instalação local e apresentam maior potencial de personalização e integração com outras tecnologias já utilizadas pela distribuidora. No caso do sistema de pedidos da MáximaTech, sua empresa pode ter acesso ao melhor das duas propostas: tanto da instalação local quanto do acesso em nuvem.

3. Transparência nos processos de trabalho

Um bom sistema de pedidos em nuvem torna o fluxo de trabalho mais transparente, pois o gestor consegue acompanhar o desempenho e as características de cada pedido.

A partir disso, torna-se possível identificar e corrigir gargalos e atuar de forma mais estratégica e preditiva, percebendo riscos antes que eles possam prejudicar sua operação comercial e a relação com o cliente

4. Controle e rastreabilidade facilitada dos pedidos

Por meio do sistema de pedidos em nuvem, o rastreamento e o acompanhamento dos pedidos tornam-se facilitados. Diariamente, há um grande fluxo de entradas de pedidos nas distribuidoras. Esse tipo de tecnologia gerencia e rastreia pedidos em todos os canais, provenientes de todos os vendedores, garantindo que as informações sobre o status atual de cada pedido sejam constantemente atualizadas.

Aqui, cabe destacar que os recursos desses sistemas vão além do rastreamento manual. É possível identificar em tempo real o que foi pedido, quando foi pedido, seu local de envio atual e seu status de entrega. Ainda, essa tecnologia contribui para a fiscalização do horário do pedido, de modo que o ponto de corte e o faturamento não sejam prejudicados.

Ter a visibilidade completa e ágil dos pedidos pode ser a chave para uma gestão mais eficiente, focada em resultados e para estabelecer uma visão detalhada das vendas. E tudo isso sem perder tempo criando relatórios ou procurando informações descentralizadas sobre os pedidos.

E, com os dados em um só lugar, os vendedores conseguem tornar o processo de atendimento cada vez mais eficiente e livre de atrasos e erros. Além disso, o acesso fácil e remoto a formulários de pedidos, catálogos de produtos, tabela de preços e outros dados importantes ajuda a reduzir o tempo para processar e concluir o pedido. Isso significa um atendimento mais focado nas necessidades do cliente e mais eficiente operacionalmente.

5. Autonomia e atuação estratégica para o vendedor

Outro ganho que talvez não fique tão evidente em um primeiro momento, mas que é de grande valor para que sua equipe renda mais e entregue melhores resultados, é que um sistema de pedidos em nuvem ajuda a elevar o nível de autonomia e trabalho estratégico exercidos pela equipe de vendas.

A figura tradicional do “tirador de pedidos” ficou para trás. O cliente B2B espera construir relacionamentos e obter atendimento consultivo e personalizado para suas necessidades. E o sistema de pedidos em nuvem mostra-se um grande aliado para isso.

O cliente não quer – e não pode – perder tempo aguardando o vendedor conseguir uma ligação para ter acesso a informações de disponibilidade de estoque ou recebendo um pedido atrasado ou errado. E o vendedor precisa abrir janelas de tempo para conseguir se dedicar a um atendimento mais próximo e personalizado a esse cliente. Para resolver essas demandas, o sistema de pedidos em nuvem pode ser a solução.

Essa tecnologia permite a atualização simultânea de vários pedidos e a sincronização de pedidos, além de aceleração na separação dos itens. Além disso, calcula bonificação e margem de cada produto, dando ao vendedor uma forma de agir diante da exigência por agilidade feita pelo cliente. Assim, consegue-se construir melhores negociações e relacionamentos do tipo ganha-ganha, tão importantes para negócios B2B como os das distribuidoras.

6. Clientes mais satisfeitos e fidelizados

Todas as empresas operam com recursos finitos – incluindo tempo e dinheiro. Construir uma parceria genuína com os clientes, para encorajar vendas e novos pedidos, como vimos, inclui minimizar o tempo que eles levam para fazer pedidos com a sua empresa.

Com o advento e a popularização da tecnologia, os clientes agora têm expectativas maiores de atendimento sob demanda, ágil e flexível. Em uma distribuidora, para garantir que cada cliente receba uma experiência qualificada, superior e sem falhas, é essencial que os vendedores tenham acesso conveniente a informações atualizadas e consistentes.

Nesse ponto, podemos lembrar de que o segmento B2B tende a apresentar um ciclo de vendas mais complexo, geralmente, com um custo de aquisição de clientes mais alto, enquanto o ciclo médio de compra costuma ser mais longo. Tudo isso impõe desafios a serem vencidos pelo distribuidor. Erros frequentes, atrasos, um atendimento descuidado – tudo isso pode fazer com que esses ciclos sejam quebrados e o retorno sobre o investimento na captação não ocorra, gerando dificuldades de a empresa desenvolver relacionamentos de longo prazo e lucrativos com seus clientes.

Portanto, um sistema de pedidos em nuvem pode contribuir significativamente para se evitar esse tipo de quadro tão prejudicial e para se construir relacionamentos saudáveis com os clientes, conquistando sua preferência e fidelização.

7. Organização aprimorada das informações dos pedidos

Uma das funções mais básicas, porém fundamentais, de um sistema de pedidos em nuvem é organizar as informações dos pedidos, permitindo que estejam disponíveis em tempo real e com apenas alguns cliques, em vez de o gestor ter de pesquisar na papelada para encontrar o pedido que procura ou em planilhas não integradas, por exemplo.

A nuvem ajuda a melhorar o acesso e a organização dos dados e garante menos erros de entrada manual e atraso nas atualizações, que podem levar a falhas na interpretação dos dados e a processos de tomada de decisões morosos ou equivocados.

8. Redução de erros nos pedidos

Quando se utiliza planilhas ou outro sistema manual, provavelmente se está perdendo muito tempo rastreando e corrigindo erros que definitivamente poderiam ser evitados. Uma das forças dos sistemas de pedidos em nuvem é, justamente, reduzir a emissão de pedidos com inconsistências.

É bastante comum ocorrer falhas ao se receber o pedido de um vendedor e acabar lançando no sistema um produto diferente do que o cliente solicitou. No entanto, quando se utiliza a tecnologia certa, isso não ocorre, já que o pedido já é feito digitalmente e entra diretamente no ERP da empresa.

9. Gestão por indicadores

Esses sistemas também possibilitam que o gestor tenha acesso a KPIs importantes para avaliar o desempenho de sua equipe e de sua operação. Isso permite que se detectem pontos que demandam melhoria para se conquistar melhores resultados individual e coletivamente.

Com isso, o gestor consegue estabelecer metas mais adequadas e manter um acompanhamento mais próximo para motivar e dar suporte ao atingimento de tais objetivos.

→ Para mais dicas sobre esse assunto, confira também nosso artigo: como avaliar o desempenho do time de vendedores externos

10. Retenção de seus vendedores mais talentosos

Profissionais qualificados e talentosos são cada vez mais disputados, especialmente em áreas como a comercial. E o sistema de pedidos em nuvem pode ser uma estratégia de suporte para reter seus melhores talentos na empresa.

Dificilmente um vendedor focado em resultados irá querer perder tempo e esforço anotando pedidos em papel ou outras tecnologias mais obsoletas, enquanto poderia estar rendendo muito mais e batendo suas metas utilizando uma solução realmente eficiente, certo?

Assim, oferecer a ferramenta certa para que ele atinja os melhores resultados e tenha uma rotina menos estressante com o manejo dos pedidos pode contribuir para que ele permaneça motivado e engajado em seu time.

11. Escalabilidade para sua operação

Em última análise, o objetivo de utilizar um sistema de pedidos em nuvem é apoiar o crescimento de seu negócio de distribuição – agora e no futuro. E um bom sistema contribui adicionando a escalabilidade e flexibilidade de que você precisa para sua operação se desenvolver cada vez mais.

Uma experiência aprimorada com dados relevantes detalhados acessíveis em tempo real oferece aos representantes de vendas o que eles precisam para venderem mais e melhor. Assim, de diferentes maneiras, o sistema de pedidos em nuvem está alinhado com um plano de crescimento e fortificação de suas operações.

Ficou interessado em obter essas vantagens em sua empresa? Então, descubra mais sobre os diferenciais do sistema de pedidos em nuvem da MáximaTech.

descontos no atacado distribuidor

descontos no atacado distribuidor

Em vez de ler, que tal ouvir este artigo?

Conceder descontos no atacado distribuidor é um dilema para quem faz a gestão comercial deste segmento. Os limites entre a precificação e a lucratividade fazem dessa prática um dilema constante.

O mercado está cada dia mais competitivo. Ao mesmo tempo, há um lento desempenho da economia, girando em espiral com o drama da fidelização de clientes. Neste sentido, um controle não efetivo das negociações pode fazer dos descontos no atacado distribuidor uma regra bastante difícil de manejar.

Este é o problema: conceder descontos no atacado distribuidor deve ser o último recurso na hora de fechar uma negociação, por mais que os clientes demandem preços cada vez mais baixos.

O que fazer para conseguir boas negociações sem comprometer a lucratividade do negócio? Como manter a saúde financeira da empresa sem abrir mão da satisfação de clientes cada dia menos leais?

Neste artigo, trazemos possíveis respostas para essas perguntas. A ideia é que você pense em como equilibrar a concessão de descontos de forma estratégica, evitando prejuízos e ajudando a empresa a seguir avançando.

Continue lendo para entender nossas proposições!

→ Comece vendo algumas dicas em vídeo:

Leia mais

marketing para o atacado

Grandes marcas, reconhecidas no mundo inteiro, investem anualmente somas expressivas em esforços de marketing. Startups e negócios disruptivos têm no marketing uma das chaves para sua rápida escalabilidade. A verdade é que, com a hipercompetição e a comoditização de produtos e serviços, o marketing mostra-se extremamente relevante. Por isso, o marketing para o atacado distribuidor é um dos grandes impulsionadores desse tipo de negócio.

O marketing de atacado hoje mostra-se com um aliado da estratégia de vendas para distribuidores e uma das formas mais eficientes de como fidelizar clientes no atacado.

→ Confira um panorama do mercado atacadista distribuidor atual em nosso e-book: Panorama do atacado distribuidor 

Se você quer otimizar sua estratégia de marketing para o atacado, mas está em dúvida sobre por onde começar, continue a leitura deste artigo. A seguir, falaremos mais sobre como o marketing é central nas estratégias do setor atacadista e apresentaremos algumas dicas de caminhos que você pode percorrer para obter melhores resultados e vender mais. Acompanhe.

Destrinchamos as informações do ranking ABAD 2020!

Panorama do atacado distribuidor: Ranking ABAD 2020

Leia mais