cadeia de suprimentos

 

O atacado distribuidor desempenha um papel importante na cadeia de suprimentos. Por isso, também assume diversas responsabilidades, especialmente quando falamos em prazos de entregas e controle de estoques.

Sobre isso vamos ajudá-lo a refletir ao longo deste artigo. Continue lendo para entender o que é uma cadeia de suprimentos e posicionar o atacadista distribuidor dentro dela!

O que é uma cadeia de suprimentos?

Comecemos por rememorar que a cadeia de suprimentos é a rede de todos os indivíduos, organizações, recursos, atividades e tecnologia envolvidos na criação e venda de um produto, desde a entrega de materiais de origem do fornecedor ao fabricante, até sua entrega final ao usuário final.

Uma cadeia de suprimentos é, normalmente, composta por fornecedores que entregam matéria-prima, fabricantes que convertem o material em produtos, armazéns que armazenam, centros de distribuição que entregam aos varejistas e varejistas que levam o produto ao usuário final.

As cadeias de suprimentos estão por trás das de valor, pois sem elas nenhum produtor tem a capacidade de oferecer aos clientes o que, quando e onde eles querem.

Os produtores competem uns com os outros apenas através de suas cadeias de suprimento, e nenhum grau de melhoria no final do produto pode compensar as deficiências em uma cadeia de suprimentos que reduz a capacidade do produtor de competir.

A importância da boa gestão da cadeia de suprimentos

Dentro disso, a gestão da cadeia de suprimentos é a supervisão de materiais, informações e finanças, à medida que eles se movem em um processo de fornecedor para fabricante, de fabricante para atacadista e de atacadista para varejista, que, por sua vez, o entrega para o consumidor.

Em outras palavras, a gestão da cadeia de suprimentos administra os três principais fluxos: produtos, informações e finanças. É um processo (ou um conjunto de processos) que envolve a coordenação e integração desses fluxos dentro e entre as empresas.

É sabido que o bom gerenciamento da cadeia de suprimentos é parte integrante da maioria dos negócios, e essencial para o sucesso da empresa e a satisfação do cliente. Isso se dá conforme mostramos a seguir:

O que os clientes esperam de um bom atendimento:

  • que o sortimento e a quantidade corretos de produtos sejam entregues;

  • que os produtos estejam disponíveis no local certo; isto é, a satisfação do cliente diminui se uma oficina não tiver as peças necessárias em estoque e não puder consertar seu carro por um ou dois dias extras;

  • que os produtos sejam entregues no prazo; ou seja, a satisfação do cliente diminui se a entrega da pizza estiver com duas horas de atraso ou se os presentes de Natal forem entregues no dia 26 de dezembro;

  • que os produtos tenham manutenções rápidas; ou seja, a satisfação do cliente diminui quando um forno doméstico para de funcionar no inverno e os reparos não podem ser feitos por dias.

→ Leia também: Como otimizar a logística de entrega e fidelizar clientes?

Redução de custos operacionais

No que diz respeito à sua dimensão de custos, a boa gestão da cadeia de suprimentos diminui o custo de:

  • Aquisição — os varejistas dependem das cadeias de suprimento para entregar rapidamente produtos caros, a fim de evitar a realização de estoques caros nas lojas por mais tempo do que o necessário.

  • Produção — os fabricantes dependem de cadeias de suprimento para entregar materiais de forma confiável às plantas de montagem, evitando o interrompimento da produção. Por exemplo, um atraso inesperado na remessa de peças que causa o desligamento de uma fábrica de montagem pode custar milhares de reais por minuto;

  • Total — fabricantes e varejistas dependem dos gerentes da cadeia de suprimentos para projetar redes que atendam às metas de atendimento ao cliente com o menor custo total. Cadeias de fornecimento eficientes permitem que uma empresa seja mais competitiva no mercado.

Melhorias na posição financeira

Por fim, a dimensão financeira da gestão da cadeia de suprimentos se dá nos seguintes aspectos:

  • Aumento da alavancagem de lucro — as empresas valorizam os gerentes da cadeia de suprimentos porque ajudam a controlar e reduzir os custos. Isso pode resultar em aumentos drásticos nos lucros. Por exemplo, as pessoas consomem bilhões de pacotes de cereais anualmente, portanto, a redução dos custos da cadeia de fornecimento de cereais em apenas um centavo por caixa resultaria em milhões economizados em toda a indústria, ano após ano.

  • Diminuição do Ativo Fixo — as empresas valorizam a boa gestão da cadeia de suprimentos porque ela diminui o uso de grandes ativos fixos, como fábricas, armazéns e veículos de transporte etc. Se especialistas em cadeia de suprimentos puderem redesenhar a rede para atender adequadamente aos clientes a partir de seis armazéns, em vez de dez, a empresa evitará a construção de quatro prédios muito caros.

  • Aumento do Fluxo de Caixa — a boa gestão da cadeia de suprimentos acelera o fluxo de produtos para os clientes. Por exemplo, se uma empresa pode fabricar e entregar um produto a um cliente em 10 dias em vez de 70 dias, ela pode faturar o cliente 60 dias antes.

 

O papel importante do atacado distribuidor na cadeia de suprimentos

Agora que nós já rememoramos o conceito de cadeia de suprimentos e tivemos uma boa ideia de como se dá sua gestão, podemos nos voltar para como o atacado distribuidor se movimenta nela.

O principal papel de um atacadista é melhorar a eficiência da cadeia de suprimentos, o que ajuda os fabricantes e distribuidores a alcançarem os usuários finais com mais eficiência.

Das estratégias de aquisição just-in-time ao gerenciamento de riscos, os atacadistas distribuidores podem agregar valor real aos clientes. No ambiente econômico de hoje, eles são altamente confiáveis. Parcerias estabelecidas com distribuidores proporcionam continuidade e confiança no fornecimento.

Alguns desafios dos atacadistas distribuidores na cadeia de suprimentos

Os atacadistas distribuidores também enfrentam uma grande variedade de desafios. Em primeiro lugar, experimentam aumentos de preços em materiais, energia, transporte, entre outros recursos vitais para sua sobrevivência.

Além disso, eles têm pouco controle sobre seu custo número um, que é matéria-prima. Isso é impulsionado pelos fabricantes e sua exposição a fatores do mercado global, incluindo o preço do petróleo, por exemplo.

Por outro lado, a maioria dos distribuidores não possui as estruturas de custo que os fabricantes têm. Isso é em grande parte resultado do tamanho e do escopo de suas operações. Talvez por isso sejam rápidos em agir e mais dispostos a assumir riscos empresariais.

Quase a totalidade dos distribuidores de todos os setores divulgam sua capacidade de oferecer excelente atendimento ao cliente e promovem seus fantásticos relacionamentos de vendas. Se todo mundo oferecer isso, então, não pode ser uma vantagem competitiva.

Os distribuidores precisam se esforçar para oferecer uma gama complementar de produtos, que atenda às necessidades de seus clientes pelo preço certo, com a qualidade esperada, no pacote ideal, em um prazo aceitável.

Dentro disso, a capacidade de um distribuidor se diferenciar é orientada por valor. O que um fornecedor pode fazer para aumentar o valor que pode ser oferecido a um cliente? É fundamental entender o processo de um cliente, o mix de produtos, as estruturas de custos e o cenário competitivo antes de oferecer soluções.

O desenvolvimento de uma força de vendas consultiva que venda várias camadas em uma organização permite identificar valor e fornecer soluções sob medida.

→ Neste vídeo, veja algumas dicas que os atacadistas distribuidores podem colocar em prática para reduzir custos logísticos.

O valor dos atacadistas distribuidores na cadeia de suprimentos

Da perspectiva do cliente

Os clientes às vezes pensam: “Por que preciso comprar de um intermediário quando posso simplesmente ir direto com um custo menor?” Há várias respostas para essa pergunta, mas a mais direta é que o comprador ou o vendedor em um relacionamento direto terá que executar a função do distribuidor. Isso adiciona custo à equação.

Os atacadistas distribuidores, normalmente, oferecem um maior nível de flexibilidade do que os fabricantes. Isso inclui tempos de resposta mais rápidos nos pedidos, geralmente em poucas horas.

Com os princípios de manufatura just-in-time implementados nas instalações e os horários de produção em constante mudança, os clientes não têm o luxo de esperar de quatro a oito semanas para que os materiais cheguem.

Com os clientes concentrados em aumentar o giro de estoque e melhorar o capital de giro e a receita por meio de eficiências operacionais, o canal de distribuição é fundamental para manter o estoque estrategicamente localizado perto da base de clientes.

Dentro disso, os atacadistas distribuidores bem-sucedidos podem se mover a uma velocidade inigualável pela maioria dos fabricantes — no ambiente econômico atual, os clientes passaram a exigir entregas muito mais rápidas.

Essa flexibilidade também se estende a considerações financeiras, como prazos de pagamento estendidos, por exemplo. Os fabricantes, muitas vezes, não estão dispostos a estender os prazos de pagamento e raramente consideram programas de consignação. Distribuidores ágeis e de capital fechado têm mais flexibilidade para implementar programas que trazem um maior nível de valor para o cliente.

→ Leia também: Atacado distribuidor: por que atuar com venda direta?

Da perspectiva do fabricante

Além dos papéis já destacados, os distribuidores oferecem vantagens exclusivas aos fabricantes. O gerenciamento efetivo do canal de vendas, por exemplo, resultará em maior lucratividade, participação no mercado e satisfação do cliente.

Os distribuidores podem ser vistos como uma extensão da força de vendas de um fornecedor em mercados em que não é economicamente viável estabelecer uma instalação permanente ou uma equipe direta.

Essa terceirização da função de vendas resulta em custos mais baixos e permite que o fabricante se concentre nas disciplinas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e manufatura. Com o aumento dos custos de assistência médica, despesas de viagem e barreiras de idioma etc., alguns fabricantes simplesmente não poderiam acessar o mercado sem parceiros de distribuição locais.

Além disso, devido à sua presença estabelecida no mercado, os distribuidores normalmente podem desenvolver negócios em um período de tempo muito mais curto do que os fornecedores novos no mercado. A capacidade de reunir inteligência de mercado é mais provável de ser alcançada por um atacadista distribuidor já estabelecido do que por um fabricante iniciante.

Outras vantagens que os atacadistas distribuidores oferecem ao mercado

A continuidade da cobertura geográfica de longa data cria relações comerciais baseadas na confiança e na dependência mútua. Quando uma força de vendas direta é empregada, os distribuidores ainda podem oferecer uma vantagem por causa desses relacionamentos.

Com a explosão da internet, fabricantes em todo o mundo podem ser facilmente identificados. Estabelecer o fluxo logístico é que é um desafio mais complexo. Navegar por um mar de regulamentações federais, estaduais e locais pode afetar o transporte de certos produtos e gerar obstáculos bastante difíceis de serem superados.

Além disso, a capacidade de fornecer amostras, etiquetas personalizadas ou embalagem contratada é o que a maioria dos atacados distribuidores oferece.

Existem vantagens financeiras significativas em trabalhar com um atacadista distribuidor. Não obstante o benefício fiscal de não estabelecer uma presença local, as distribuidoras carregam os recebíveis.

Os fabricantes são configurados para otimizar a capacidade de produção e não querem vender alguns sacos ou paletes individuais para 100 clientes diferentes de regiões distintas (que, no caso do comércio exterior, falam idiomas variados), desejam rotulagem personalizada e precisam de entrega imediata.

Além disso, quando é hora de receber o pagamento, entrar em contato com um distribuidor é muito mais econômico do que tentar cobrar de vários clientes.

→ No vídeo a seguir, confira dicas de livros que todo gestor de cadeia de suprimentos deveria ler:

Conclusão: A tecnologia facilitando a gestão do atacado distribuidor e potencializando seu valor na cadeia de suprimentos

Agora que já vimos com destaque a importância do atacado distribuidor na cadeia de suprimentos, não podemos finalizar sem lembrar que ela também traz grandes responsabilidades.

Isso é muito visível no que tange aos prazos e à gestão de estoques e entregas, mas também se estende a outras rotinas administrativas e estratégicas.

A boa notícia é que esse segmento tem investido muito em tecnologia para simplificar e automatizar processos e, principalmente, para tomar decisões mais acertadas. Os recursos tecnológicos disponíveis favorecem não somente a rentabilidade e os resultados do atacadista distribuidor, como também a satisfação de seus clientes e dos consumidores finais.

Que tal, conseguiu entender o papel do atacado distribuidor na cadeia de suprimentos? Deixe seu comentário!

Fabrício Santos

Gestor de Mercado em MáximaTech
Especialista em logística para o atacado distribuidor com 14 anos de atuação na área e apaixonado por reduzir o custo logístico dos clientes Máxima.
Fabrício Santos