Em vez de ler, que tal ouvir?

Do geotargeting aos beacons (usados para marketing de proximidade), a tecnologia baseada em localização está abrindo um mundo de possibilidades para otimizar os resultados comerciais nos pontos de vendas. O Geomarketing também faz parte disso e é muito promissor, especialmente para negócios como os atacados distribuidores.

Afinal, quando a sua operação de trade marketing não tem agilidade e uma inteligência no uso de dados, os seus resultados podem ser limitados. Por isso, no PDV, inovações como o Geomarketing são cada vez mais aplicadas para qualificar e segmentar iniciativas locais e ajudar a aumentar o market share.

Para saber mais sobre o que é Geomarketing, sua importância e aplicações para otimizar as estratégias e ações de trade marketing, continue a leitura. A seguir, abordaremos mais sobre como o PDV pode ter o seu potencial de vendas ampliado e de que maneira tecnologias de geolocalização podem contribuir para isso. Acompanhe.

O que é o Geomarketing?

Pode ser considerado como Geomarketing toda a forma de marketing que incorpora tecnologias e inteligência de localização para aumentar as chances de uma determinada mensagem chegar ao consumidor certo, no momento oportuno.

Isso pode ser feito de diversas maneiras, mas o fator comum é que todas utilizam dados de localização (daí a denominação “geo”) ​​como parte do esforço de marketing.

Nesse contexto, uma das formas mais comuns do Geomarketing é o Geotargeting, que nada mais é do que a entrega de conteúdo aos usuários (comumente via smartphone) com base em onde eles estão ou em quais locais eles visitaram anteriormente. No atacado — por exemplo —, eles podem receber mensagens de acordo com a gôndola que estão olhando no momento, o que tem o poder de potencializar as vendas desses produtos.

O princípio orientador por trás desses esforços e que faz com que seja possível entender o que é Geomarketing é que onde você está, é quem você é. Essencialmente, a ideia é que os lugares que um cliente visitou dizem muito sobre ele, e podem ser um fator antecipador de suas intenções de compra.

Cabe destacar que o conceito de Geomarketing hoje é bastante amplo. No entanto, na origem dos estudos teóricos de Geomarketing, no começo da década de 1930, a base de pensamento já era focada no varejo. Afinal, a inteligência sobre o território existente na época abordava as questões mercadológicas analisando o fluxo espacial dos produtos.

Com o tempo, o Geomarketing expandiu para setores diversos, como o industrial e o de serviços. O Geomarketing permite desenvolver estratégias adequadas para uma região de atuação específica de seu atacado. Isso torna-se útil, como veremos, para otimizar pontos de vendas e elencar canais de distribuição eficientes.

Quando se tem uma visão orientada ao Geomarketing, ações estratégicas podem ser segmentadas a praças e pontos comerciais. E, quando isso se aplica ao PDV, informações valiosas podem ser exploradas pela gestão de trade marketing para estimular as vendas do mix de produtos de seu catálogo.

→ Quer saber mais sobre como otimizar um mix de produtos ideal? Então, leia também o artigo: Como trabalhar com o mix de produtos no PDV 

Qual é a importância do Geomarketing para as vendas?

O Geomarketing tem tudo a ver com segmentação, e essa é a alma do marketing atual. Pense no seguinte exemplo: se você distribui fraldas para bebês, o seu atacado distribuidor tem um público-alvo bastante específico, mas cujo perfil pode variar de região para região.

De acordo com dados divulgados pelo IBGE, por exemplo, na região Norte do país, a faixa etária das mulheres que engravidam é menor do que aquela registrada no Sudeste e no Sul do país. Saber como utilizar esse tipo de informação de localização pode ser vital para criar ações no PDV e campanhas que falem diretamente com cada perfil de consumidor.

Ainda, a partir de dados detalhados fundamentados na localização do público final — como faixa etária e de renda e potencial de consumo, por exemplo —, é possível determinar ações de trade marketing mais direcionadas e com mais potencial de retorno em vendas em relação ao seu mix de produtos, favorecendo o seu negócio e o de seu cliente atual ou em potencial.

Além disso, como vimos anteriormente, dados não têm força no processo de tomada de decisão sem contexto. Uma boa ferramenta de Geomarketing pode, justamente, ampliar o poder de análise de mercado de seu negócio atacadista.

Dessa forma, novos canais e regiões podem ser prospectados com mais assertividade. E tudo isso faz com que o PDV não seja só uma etapa transacional, como, também, uma fonte de informações demográficas valiosas para aprimorar sua estratégia e ações de trade marketing.

Na etapa de venda para fornecedores e empresas, por exemplo, estratégias baseadas em Geomarketing podem, ainda, contribuir para o desenvolvimento de iniciativas que ajudem a ampliar o potencial de consumo. Dados constantes sobre o shopper final, o seu perfil e comportamento, aliados a informações de canais novos e já existentes, podem dar ao atacado distribuidor uma visão mais ampla e assertiva para orientar sua abordagem de vendas e ações de PDV.

Tudo isso pode se consolidar tanto em estratégias de sell out (B2C, com comercialização de produtos diretamente ao cliente final) quanto nas de sell in — B2B, como ocorre tradicionalmente na venda do atacado distribuidor para uma rede de varejo, por exemplo, mas, aqui, com a inteligência de identificar também oportunidades como regiões e mercados ainda inexplorados pela equipe de vendas, mas que apresentam alto potencial comercial.

→ Para descobrir outras boas práticas, confira nosso artigo com 9 segredos para aumentar as vendas no atacado distribuidor

Por que o Geomarketing pode ser um grande aliado do trade marketing?

Dados sociodemográficos, quando analisados de maneira segmentada, permitem uma tomada de decisão mais ágil e certeira para as suas estratégias de trade marketing. Aspectos como precificação, seleção do mix de produtos e, até mesmo, direcionamento de novos produtos podem ser aprofundados e qualificados com base no Geomarketing.

Pense, por exemplo, em um mapa demonstrando a disposição de seus produtos na gôndola. Com ferramentas de Geomarketing, é possível não apenas selecionar o melhor mix de produtos, como, também, realizar ajustes e alterações de acordo com a localização do ponto de venda e o perfil do shopper em cada uma das praças.

Além disso, o Geomarketing pode ajudar a otimizar os processos de distribuição de seu negócio e permitir até mesmo detectar estabelecimentos não positivados pelo seu atacado, mas com aderência a seu portfólio de produtos.

E mais: por meio de estratégias com o uso de Geomarketing, é possível, também, otimizar os investimentos de trade marketing. Uma vez que o Geomarketing permite que seu atacado distribuidor alcance apenas o público desejado, você não gastará tanto quanto gastaria ao atingir um público mais amplo.

Cabe destacar, ainda, que, conforme um estudo internacional, os dados de localização comprovadamente aumentam a eficácia das campanhas de marketing, podendo elevá-la em até 80%. Isso tem muito a ver com relevância.

O Geomarketing permite que você leve a relevância e a personalização para o próximo nível, fazendo ações de trade marketing com base em uma combinação de comportamento histórico de visitação e onde seus clientes em potencial estão. E isso pode ser poderoso para otimizar seus resultados em vendas e ampliação de market share.

→ Quer garantir que a sua estratégia de trade marketing traga resultados ainda melhores para as vendas? Então, baixe nosso Guia de trade marketing para distribuidores: dicas de ouro para planejar o PDV

trade marketing

Quais são as aplicações práticas do Geomarketing?

Como vimos, existem algumas formas diferentes de aplicar o conceito do Geomarketing. O Geotargeting é a mais comum entre elas e pode beneficiar sua estratégia de trade marketing junto aos PDVs.

Isso porque o momento em que o consumidor se encontra de frente para a gôndola de um determinado produto é a hora em que ele estará mais propício a tomar a decisão de comprá-lo.

Dessa forma, é possível entregar mensagens, campanhas e ações de PDV mais direcionadas a um público que está a um passo de comprar algum item de seu mix de produtos.

Além desse tipo de aplicação no ponto de vendas, o Geomarketing pode também ser utilizado como uma ferramenta poderosa para analisar dados que permitem ao atacado distribuidor vender mais. Os chamados mapas inteligentes são uma maneira de visualizar o histórico de vendas e consumo de produtos da distribuidora de acordo com a localização geográfica.

Isso porque, como uma grande distribuidora, o alcance dos seus produtos pode ser amplo, e seria difícil entender como você pode vender mais sem detalhar o seu alcance segmentando-o em pequenas regiões, criando uma estratégia de trade marketing personalizada a partir da inteligência gerada por esse tipo de análise.

Além disso, é importante destacar que, com uma solução de inteligência geográfica, você poderá entender como fazer para melhor distribuir sua força de vendas, alcançar melhores resultados e apresentar campanhas bem segmentadas, que atinjam assertivamente o público final no momento certo.

Como a união entre Geomarketing e trade marketing pode otimizar resultados no PDV?

Quando lidamos com diferentes perfis de compra, é importante que eles tenham uma base dinâmica de inteligência de dados. Hábitos de compra, desejos e necessidades do cliente na ponta do processo são influenciados por diversos aspectos.

Por esse motivo, é importante utilizar o Geomarketing para aproximar sua gestão de trade marketing da realidade desses públicos.

Dessa maneira, o Geomarketing permite estabelecer as características que formam o perfil dos moradores de determinada praça de interesse que, então, podem ser segmentados e monitorados regionalmente.

Esta visão permite não apenas selecionar os melhores pontos de contato em relação ao mix de produtos trabalhados, como, também, aproximar suas estratégias na direção de possíveis novos consumidores. Isso pode fazer toda a diferença quando é necessário prospectar novas regiões e otimizar os resultados obtidos diretamente nos PDVs.

Como implementar o Geomarketing?

Uma vantagem das tecnologias e estratégias de Geomarketing, hoje, está em sua acessibilidade.

Tanto empresas de menor porte como grandes distribuidoras podem ter acesso a tecnologias de monitoramento baseadas em localização, de modo a desenvolver mais inteligência para sua estratégia e uma gestão mais orientada a dados confiáveis para conduzir as decisões de trade marketing.

Nesse contexto, um dos passos iniciais está no investimento de ferramentas que auxiliem na forma de coletar e acompanhar dados de localização. A base do Geomarketing, afinal, está na informação.

Por isso, é preciso preparar a sua operação para a integração com ferramentas que auxiliem o processo e permitam que as suas equipes e gestão ajam com maior autonomia e de maneira mais estratégica.

Vamos tomar como exemplo uma base de dados simples: CNPJs cadastrados na Receita Federal. Com ferramentas de Geomarketing, é possível ter uma granulação desses dados.

E, quando essas informações estão organizadas em regiões, ações podem ser direcionadas com base nas características desses territórios, cruzados com dados de perfil de renda, potencial de consumo e outros, trazendo ainda mais assertividade para a prospecção de novas praças e clientes.

E então, ficou mais claro o que é Geomarketing e como sua utilização junto às estratégias de trade marketing pode favorecer os resultados em vendas e otimizações no PDV? Para mais dicas como essas, continue acompanhando o nosso blog e, para conhecer tecnologias que permitem este trabalho, confira as soluções de trade marketing da MáximaTech.