Em vez de ler, que tal ouvir?

O controle deficiente do custo logístico pode resultar em fortes impactos para a empresa. Segundo uma pesquisa da Fundação Dom Cabral, esses custos representaram 12,37% dos gastos das empresas em 2017.

Além disso, quando se trata de gestão de custos logísticos, é muito importante ter em mente que 12,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil é consumido com a logística, segundo levantamento divulgado pela Confederação Nacional de Transportes (CNT), em 2016.

É por isso que otimizar a eficiência operacional e reduzir esses gastos é tão importante. Na verdade, eles devem estar entre as prioridades de qualquer empresa que faça muitos envios e deseja permanecer financeiramente viável.

Devido às altas demandas dos clientes e a um clima de negócios global flutuante, as empresas precisam confiar em práticas inteligentes de gerenciamento do custo logístico. A implementação dessas práticas ajudará a manter os serviços no nível desejado e os gastos baixos, independentemente das circunstâncias. Para te ajudar, no post de hoje, nós mostramos quais são elas! Acompanhe.

O que constitui o custo logístico?

Embora o entendimento dos custos de logística seja diferente entre as empresas, geralmente eles incluem custos de transporte, mão de obra, armazenamento e administração. O controle de estoques também contribui para a maior parte dessas despesas.

Naturalmente, os custos de logística dependem, em grande parte, da natureza dos bens. O processo é bem diferente para os perecíveis e imperecíveis.

Quando se trata de gerenciamento de custos de logística, é importante lembrar que o desempenho eficiente e a entrega pontual são tão vitais quanto reduzir os custos. Você não deve sacrificar o primeiro por causa do último. Em suma, é preciso considerar tanto o custo quanto o desempenho, e equilibrá-los entre si.

Você conhece os principais termos de logística? Clique aqui e acesse esse glossário gratuitamente!

Quais são os principais custos logísticos?

É importante ter em mente que existem fatores externos e internos que podem interferir no custo logístico de uma organização. Vamos analisar melhor quais são esses custos!

Custos internos

Estoque e armazenagem

Os custos com estoque e armazenagem dependem do volume de produtos com os quais a empresa trabalha e do tempo que o material permanece no armazém. Assim, podemos concluir que quanto maior o tempo e a quantidade de produtos, maiores são os gastos logísticos.

Transporte

O custo logístico com transporte é de longe o que mais impacta as empresas, principalmente aquelas com frota própria. Isso porque esse setor envolve aquisição de veículos, combustível, manutenção, depreciação, ociosidade, entre outros.

Gestão de pedidos

A lentidão ou falhas na gestão de pedidos pode comprometer todo o processo de logística e elevar os custos. Quando não há estruturação nos processos logísticos, cada colaborador atua da forma que acredita estar certa, o que pode gerar falhas e desperdícios. Pensando nisso, o mapeamento de processos pode ser a melhor solução, pois consiste na adoção de práticas mais eficientes.

Tecnologia

Com o aumento da competitividade do mercado, as empresas precisam enfrentar o desafio de tornar suas entregas ainda mais rápidas e eficientes. A boa notícia é que com os avanços tecnológicos essas tarefas ficaram mais fáceis, pois dependem do processo de automação.

Na prática, a tecnologia ajuda a eliminar processos repetitivos e reduzir drasticamente os erros e inconsistências. Entretanto, também é fundamental considerar as despesas com as soluções adotadas pela empresa quando falamos de custo logístico.

Custos externos

Condições das estradas

As condições da estrada podem aumentar o custo logístico com problemas como manutenções não planejadas, acidentes, entregas de longa distância e furtos de cargas.

Políticas alfandegárias

Principalmente no transporte interestadual ou internacional, é preciso ficar de olho nas políticas alfandegárias – que representam medidas que impõem restrições e dificuldades no transporte de cargas.

-> Gestão de Transportes: Como Vencer os Desafios Diários da Logística

Impostos e taxas

Para que o transporte de cargas possa ser realizado, é preciso encarar diversos impostos e taxas. Caso isso não aconteça, os caminhões podem ser parados em barreiras fiscais – e os custos se tornam ainda maiores.

Valores dos combustíveis

O combustível é uma preocupação constante quando falamos de custo logístico. Afinal, os veículos necessitam do combustível para que possam se locomover e alcançar o seu destino – e o montante total para isso pode pesar bastante no orçamento.

Mão de obra

Por fim, é preciso considerar as despesas com toda a mão de obra envolvida na logística. Isso deve levar em conta desde os colaboradores da área administrativa quanto os motoristas que levam as cargas ao cliente.

Como calcular os custos logísticos no atacado distribuidor?

Dito isso, vamos entender, agora, como é possível calcular os custos logísticos no setor de atacado e distribuição. De acordo com a Fundação Dom Cabral, as organizações devem trabalhar com o percentual de 40% no que tange aos custos internos – e, trocando em miúdos, devem entrar no cálculo destes fatores internos gastos com equipamentos, energia, avarias, aluguéis (quando houver), pessoas etc.

Já os gastos externos, que correspondem a 60% dos custos logísticos, são compostos por pedágios, pessoas, combustíveis e caminhões. Em outras palavras, é muito importante que as empresas do setor atacadista tenham todos estes indicadores muito bem controlados. Somente desta forma é possível realizar uma boa gestão de custos logísticos.

Qual a importância da gestão de custos logísticos para o atacado?

Dado que o movimento de mercadorias é o que impulsiona o fluxo de caixa, é lógico que o custo logístico é uma preocupação central do negócio. Na verdade, o gerenciamento de logística impacta os resultados financeiros de uma empresa para melhor ou para pior. É melhor não deixar esse impacto ao acaso.

A seguir estão seis benefícios principais da gestão de custo logístico para o atacado:

  • Visibilidade. A gestão de custo logístico permite que o gestor tenha maior visibilidade da cadeia de suprimentos. Na prática, isso permite que sejam identificados problemas da cadeia de suprimentos e feito um planejamento para aumentar a eficiência.
  • Despesas gerais reduzidas. Como não poderia deixar de ser, gerenciar o custo logístico permite que as empresas reduzam as despesas gerais na área – desde o corte de custos de remessa até a redução de quanto espaço de armazenamento precisam, controlando proativamente os níveis de estoque.
  • Melhor experiência do cliente. Uma excelente experiência do cliente é o fator que impulsiona as vendas recorrentes. Ao entregar pedidos com precisão e rapidez, você melhora a experiência do cliente. E operar com eficiência e baixos custos ajuda a colocar isso em prática.
  • Prevenção de perdas. Uma das formas de reduzir os custos com logística é prevenir perdas. E isso pode ser posto em prática de várias maneiras: gestão do estoque, rastreamento de cargas, otimização do armazenamento e transporte, entre outras.
  • Vantagem competitiva. Entregar os pedidos com eficiência e baixos custos é um elemento fundamental para construir uma ótima reputação para a sua marca. Ou seja, a gestão de custo logístico ajuda uma empresa a cumprir as promessas de forma consistente e a aumentar sua vantagem competitiva.

Como fazer a gestão dos custos logísticos

Gerenciar logística e custos da cadeia de suprimentos é particularmente importante, porque esses são responsáveis por 5% a 20% do custo total do produto, que inclui o preço de compra, frete, combustível, seguro, armazenagem e outros. Mas como fazê-lo?

Abaixo, listamos as principais dicas:

1. Use uma plataforma única e integrada

As operações da cadeia de suprimentos devem sempre ser integradas em uma única plataforma, acessível a todas as partes envolvidas. Dessa forma, você evita a duplicação de atividades nas operações, que consome tempo, prejudica sua eficiência e deixa margem para erros.

Manter a visibilidade de sua cadeia de suprimentos e do custo logístico também pode melhorar o planejamento e o controle de despesas por meio de um melhor gerenciamento de seu estoque de segurança.

Ou seja, para reduzir o risco de déficits de produto, os gerentes de logística mantêm certo nível de estoque extra. É uma maneira de combater as incertezas no processo de oferta e demanda e garantir os níveis de serviço adequados.

Embora não exista uma maneira de prever ou impedir interrupções no processo de logística, a visibilidade adequada do custo logístico pode fornecer aos gerentes um entendimento desses problemas.

Usar painéis de controle em tempo real, que atualizam dados automaticamente, fornece aos gerentes da cadeia de suprimentos as informações mais atuais e relevantes.

Dessa forma, eles podem reagir rapidamente e encontrar rotas alternativas de fornecimento ou distribuição, se necessário. Isso também reduz a necessidade de grandes estoques de segurança e contribui para um melhor controle de custos.

-> Confira como reduzir operacionais com logística integrada:

2. Otimize o uso de recursos

O uso insuficiente de ativos da empresa – como veículos, instalações ou capacidade de frota subutilizados – afeta diretamente sua receita. Ao otimizar a utilização de seus ativos, você pode melhorar – e muito – a eficiência de seus negócios.

Isso pode ser feito por meio do rearranjo dos cronogramas de entrega, a fim de manter toda a frota de veículos ativa durante todo o dia, em oposição ao pico de uso de toda a frota pela manhã e à ociosidade no resto do dia.

Além disso, empresas que experimentam altos picos de negócios em épocas específicas do ano podem alugar espaço adicional no depósito quando necessário. Não há necessidade de ter um enorme depósito que permaneça subutilizado durante a maior parte do tempo.

3. Faça um planejamento oportuno

O planejamento oportuno de operações – como cronograma de produção, rotas de embarque e tempo de trânsito (da coleta até a entrega) – é imperativo. Opções e decisões precipitadas e de última hora, provavelmente, resultarão em atrasos e prazos perdidos, refletindo negativamente tanto na imagem quanto nas finanças da empresa.

A logística desempenha um papel essencial na gestão do atacado distribuidor. Por meio do planejamento de controle e execução, você pode otimizar os processos dessa área, reduzir seus custos e aumentar a lucratividade.

6 formas de reduzir os custos de logística

Afinal, como reduzir o custo logístico de uma vez por todas? Aqui estão algumas dicas pontuais:

1. Mantenha os depósitos bem organizados

Manter centros de distribuição bem organizados ajuda a ganhar agilidade na montagem dos pedidos e evita erros e retrabalhos.

Isso significa que é preciso, basicamente, manter uma lógica na organização dos depósitos, contar com processos eficientes de separação de mercadorias e trabalhar para reduzir perdas e avarias.

2. Organize e agilize o picking

O processo de picking (separação de pedidos) também merece atenção redobrada quando se trata de diminuir gastos.

Agir preventivamente na questão do abastecimento de mercadorias é uma boa escolha. Logo, estabelecer critérios de priorização baseados na chamada ‘curva ABC’ de produtos (data de validade, first in e first out) é fundamental.

3. Preste atenção ao processo de conferência

O pessoal de conferência também tem um papel muito importante na gestão de custos logísticos. Checar item a item da mercadoria recebida, assim como os das remessas aos clientes, deve ser uma tarefa que nunca pode ser deixada de lado.

E, para isso, contar com equipamentos e sistemas que facilitem este trabalho pode fazer toda a diferença — tanto na produtividade da equipe quanto na assertividade do trabalho.

4. Crie uma área de pendências

Estar preparado para corrigir possíveis erros nos pedidos depois da conferência é, também, um ganho para atacadistas distribuidores. Este processo deve conter todas as ações necessárias para a conclusão dos pedidos.

Com uma área de pendências atuando ativamente, é possível identificar entraves dentro do centro de distribuição, montar pedidos perfeitos e reduzir gastos com devoluções, por exemplo.

5. Diminua os tempos de entrega

No que se refere ao processo de entrega, reduzir o tempo percorrido entre a expedição e o recebimento pelo cliente também ajuda a reduzir os custos logísticos.

Isso depende de fatores externos, como a infraestrutura de estradas, mas também tem forte dependência de como as rotas são definidas pela empresa, entre outros fatores. De qualquer forma, quanto menor for o tempo, menor será o custo.

6. Planeje as rotas de entrega com eficiência

Por fim, mas não menos importante, na logística de distribuição é fundamental que o planejamento das entregas seja eficiente.

Isso vai desde a roteirização das entregas, sempre visando o menor custo e a agilidade para atendimento dos clientes, até uma política de devoluções que evite aumentar as despesas.

-> Confira também os 6 erros mais comuns na logística do atacado distribuidor:

Como está a gestão de custo logístico do seu atacado distribuidor? Você gostou das nossas dicas? Deixe seu comentário e até a próxima.