,

Como melhorar indicadores de produtividade logística com roteirização?

Em vez de ler, que tal ouvir?

Os indicadores de produtividade são muito importantes para mensurar resultados na área logística. A partir deles, os gestores conseguem acompanhar o desempenho de suas equipes e, também, de prestadores de serviço contratados.

Além disso, facilitam a melhoria contínua, as justificativas de investimentos, a transparência e a demonstração de resultados.

Neste artigo, trazemos algumas orientações para realizar um gerenciamento logístico eficiente e um controle rígido de monitoramento da carga para garantir alta performance produtiva no atacado distribuidor. 

Continue lendo para entender!

→ Para começar… A boa gestão de ocorrências pode reduzir atrasos, perdas e danos de cargas. Fazer o controle das entregas de forma segura é fundamental para atacadistas distribuidores que querem melhorar o seu desempenho na logística de distribuição.

Confira, neste vídeo, as dicas que preparamos: 

 

O que são indicadores de produtividade logística?

Como o próprio termo sugere, indicadores de produtividade logística são métricas utilizadas para avaliar a performance produtiva da área. Eles são frequentemente empregados para trabalhar a melhoria contínua, justificar investimentos, dar mais transparência ao negócio e demonstrar resultados.

O uso de indicadores de produtividade garantem que o departamento logístico de uma empresa atacadista, ou um distribuidor, esteja sempre avaliando sua atividade em relação a uma referência estática (quantitativa e qualitativa).

Isso significa que as flutuações são imediatamente visíveis e, se o desempenho se move na direção errada, ações podem ser tomadas rapidamente para resolver a situação. Ou seja, a partir do monitoramento permanente de medidas quantitativas e qualitativas, fica mais fácil entender o que precisa ser reorganizado na área.

Dessa forma, quando os indicadores de produtividade mostram que o desempenho está sendo consistentemente cumprindo ou excedendo o nível requerido, o gestor pode decidir aumentar investimentos e expandir as negociações (ganhar mais mercado), por exemplo. 

E o contrário também é válido: quando os resultados estão aquém do planejado, é preciso planos de ação para efetuar reparações (inserção de novos métodos, utilização de mais tecnologia, mudanças na equipe etc.).

Quais os principais indicadores de produtividade logística para monitorar?

O setor de logística produz diariamente enormes quantidades de dados provenientes de processos de armazenagem, transporte de pedidos, picking e embalagem, entre outros. 

Em suma, a roteirização ajuda na realização de uma sequência eficiente/inteligente das entregas e coletas, dentro de percursos controlados e avaliados previamente como os melhores (em termos de tempo e de custos).

Confira, a seguir, quais são os indicadores que não podem deixar de ser monitorados: 

  • Tempo de envio: identifica possíveis problemas no processo de atendimento de pedidos despachados para os clientes; 
  • Precisão do pedido: facilita o monitoramento do volume e do grau de incidentes; 
  • Precisão de Picking: permite visualizar quantos pedidos são separados com ou sem erros; 
  • Tempo de entrega: ajuda a acompanhar o tempo médio de entrega em detalhes; 
  • Pick & Pack Cycle Time: fornece acompanhamento do tempo que leva para escolher e embalar os pedidos; 
  • Taxa de utilização do equipamento: facilita o entendimento do quanto o equipamento é suficiente para os profissionais que o utilizam — ou se eles estão fazendo um uso otimizado, produtivo; 
  • Custos de transporte: proporciona análises de todos os custos desde a colocação do pedido até a entrega; 
  • Custos de armazenagem: fornece uma visão realista das despesas de armazém/estoque/centro de distribuição; 
  • Custos de coleta e embalagem: ajuda a monitorar todos os custos relacionados ao processo de coleta e embalagem de mercadorias; 
  • Uso de material de embalagem: possibilita a avaliação e a otimização do uso de materiais na área; 
  • Número de remessas: facilita o entendimento de quantos pedidos são enviados — e se isso está sendo produtivo ou se é preciso fazer melhorias nos processos; 
  • Precisão do inventário: evita problemas devido ao inventário impreciso; 
  • Rotatividade de estoque: possibilita o acompanhamento de quantas vezes todo o estoque é vendido; 
  • Relação estoque/vendas: proporciona identificação de um possível excesso de estoque, ou mesmo de defasagens em relação à demanda concreta.   

Por que trabalhar com roteirização de entregas pode melhorar os indicadores de produtividade logística?

Empresas que atuam no mercado atacadista distribuidor enfrentam muitos desafios em termos de produtividade.

Isso porque lidam com um número grande de clientes, demandam mão de obra especializada e, também, precisam driblar fatores, como a precariedade da infraestrutura das estradas brasileiras, por exemplo.

É aí que a prática da roteirização de entregas pode fazer toda a diferença!

Ao planejar as entregas, levando em consideração critérios referentes ao território a ser percorrido, tipos de veículos necessários, janelas de entrega permitida/esperadas pelos consumidores, entre outros fatores, fica muito mais fácil estabelecer rotas com otimização de tempo de deslocamento, entregar mais rapidamente, enfim, produzir mais e melhor.

Aqui estão algumas das vantagens de trabalhar a roteirização de entregas para elevar os indicadores de produtividade da empresa: 

  • Maximização das taxas de ocupação dos veículos (transportar mais produtos em uma mesma rota); 
  • Otimização da frota (usar menos veículos para um mesmo roteiro); 
  • Realização do melhor percurso (reduzir custos e tempos de entrega); 
  • Otimização da mão de obra contratada (evitar horas extras e necessidade da contratação emergencial de terceiros). 

Em suma, a roteirização ajuda na realização de uma sequência eficiente/inteligente das entregas e coletas, dentro de percursos controlados e avaliados previamente como os melhores (em termo de tempo e de custos).

→ A organização das entregas é primordial para a otimização da sua logística, além de elevar a produtividade diária dos seus motoristas. No vídeo a seguir, confira o que nossos especialistas têm a dizer sobre este tema: 

→ Leia também: Como a roteirização inteligente reduz custos.

Qual a melhor forma de roteirizar as entregas?

Já entendemos que a roteirização inteligente de entregas pode elevar a produtividade logística. A pergunta que vem em seguida é: como roteirizar? A melhor indicação é a utilização da tecnologia!

Com um software roteirizador, é possível traçar a melhor a rota para que as entregas sejam realizadas no menor tempo e quilometragem possíveis. Um bom sistema também ajuda a planejar janelas e condições de entregas, levando em consideração o local e as restrições dos clientes, o tipo de veículo utilizado e o de mercadorias a serem entregues.

De maneira automatizada, o sistema faz, em segundos, o que gestores de equipes de logísticas demorariam horas. As margens de erros e as necessidades de retrabalho caem significativamente, o que ajuda na produtividade.

Por fim, uma grande vantagem de utilizar a tecnologia neste processo é a facilidade de acompanhar os indicadores de produtividade conforme parametrizados no sistema. Dessa forma, fica bem simples e rápido gerar e analisar relatórios e tomar decisões mais equilibradas e acertadas.

→ Nesse episódio do MáximaCast nossos especialistas debatem sobre como a tecnologia do Google Maps é essencial para dar agilidade e familiaridade em todo o processo de roteirização de cargas. Confira!

Quais funcionalidades são essenciais em um roteirizador que facilita a melhoria dos indicadores de produtividade logística?

Confira, a seguir, um panorama das principais funcionalidades que um bom software de roteirização deve possuir.

Painel de controle e análise (dashboard)

Um bom sistema de roteirização deve conter dashboards que dêem aos profissionais da área uma visão geral e, ao mesmo tempo, facilitem análises rápidas e eficientes. 

Nesta funcionalidade, é importante visualizar, por exemplo, pedidos pendentes de montagem, quantidade de pedidos, clientes, peso e volume envolvidos, e assim por diante.

Em suma, o sistema roteirizador deve demonstrar de maneira gráfica, por exemplo, as rotas a serem organizadas. Isso porque a partir disso, será mais fácil tomar decisões estratégicas acertadas e em tempo hábil.

Campo de cadastros

Outra funcionalidade importante no sistema de roteirização é a que facilita diversos tipos de cadastros: prioridades de entregas, de janelas de entrega, restrições de veículos, tratamento de rodízios etc. 

E tudo já devidamente parametrizado com as regras da própria empresa para facilitar a melhor estratégia logística. 

Neste sentido, o sistema deve ser flexível para se adaptar à realidade da empresa. Ou seja, é melhor que a solução não seja standard, engessada.

Área de configurações 

O software de roteirização ideal também precisa conter funcionalidades de configuração. A partir disso, fica mais fácil importar a localização (geralmente de outras soluções onde essa informação está cadastrada — ERP, por exemplo); além de gerar localização por CEP do cliente, por logradouro etc.

Neste caso, o profissional que está operando a solução consegue gerar centenas de coordenadas em poucos minutos. E isso torna tudo mais ágil e livre de erros que, no extremo, podem comprometer a montagem de uma carga toda. 

Controle e processamento de múltiplas entregas

Também é interessante que a aplicação de roteirização possibilite o planejamento e a execução de múltiplas entregas. 

Isso é muito válido quando um mesmo cliente tem vários endereços de entrega e precisa, por exemplo, que elas sejam efetuadas o mais simultaneamente possível. 

Campo de montagem de carregamento

Um dos módulos mais relevantes dentro de um sistema de roteirização é o que facilita o processo de montagem do carregamento. 

Normalmente, boas aplicações oferecem duas opções: roteirização avançada e montagem de carga automática. Confira um detalhamento nos tópicos a seguir!

Roteirização avançada 

Nela, os fluxos dessa funcionalidade facilitam basicamente três recursos: filtragem; cargas de montagem; e carga roteirizada.

Na prática, ao abrir essa funcionalidade, o profissional vai se deparar com o mapa da região onde está. Logo, poderá clicar no menu de filtros (de rota, de praça, de pedido etc.); poderá  extrair determinados pedidos do ERP, por exemplo. 

Depois da filtragem dos parâmetros que melhor lhe atendam, ele visualiza no mapa onde estão sinalizados os pedidos e, via elementos visuais específicos, consegue obter informações pertinentes a cada entrega.

No menu “cargas e montagem”, o operador do sistema pode selecionar manualmente os pedidos no mapa ou agrupá-los. Isso facilita a distribuição inteligente das cargas a serem montadas.  

Há mais uma série de outros recursos e facilidades de edição dentro da plataforma, que agilizam a customização conforme os processos e as métricas necessárias para a operação e gestão de cada negócio.

Montagem de carga automática

Esse é um recurso que se vale das rotas previamente configuradas, evitando intervenção humana. 

Ao saber a rota recorrente de um cliente (bem como pelo mínimo, volume etc.), basta parametrizá-la e dar o input para que o mesmo padrão de montagem seja realizado cada vez que um pedido for gerado e liberado para a expedição. 

Dessa forma, é possível deixar estabelecido os dias da semana e horários que cada tipo de carga pré-configurada seja montada e liberada para a entrega. 

Também é possível entrar num nível de detalhamento onde até os veículos a serem vinculados a determinadas cargas e rotas sejam pré definidos. 

É interessante também utilizar o recurso de gestão de custos do carregamento, algo que normalmente não é conseguido no ERP da empresa. A solução permite a parametrização de variáveis de custos, valores de fretes, valores da hora dos motoristas, gastos com cada veículo, entre outras facilidades. 

Roteirização

A roteirização em si deve ser automatizada em um bom software especialista nessa estratégia. 

Com as configurações realizadas, o sistema apresenta as melhores opções de rotas de maneira gráfica para o gestor e, ao mesmo tempo, gera o romaneio para os motoristas.

→ Confira, no vídeo a seguir, o webinar “O poder de uma solução de roteirização de cargas”:

 

Como escolher um software roteirizador?

Agora, há no mercado muitas opções em software roteirizador — algumas até gratuitas, que não são recomendadas. Diante disso, como saber qual é a melhor para melhorar os indicadores de produtividade logística? 

Veja, a seguir, alguns critérios que você precisa observar com bastante criticidade!

Considere as reais necessidades específicas da empresa

Antes de tudo, é iniciado um mergulho detalhado nos processos internos de logística da empresa. Ou seja, fazer uma auditoria na maneira como o processo de roteirização, entre outros, é realizado.

Essa análise vai ajudar a detectar as principais dificuldades, bem como os gastos e as falhas. E isso já permite começar a traçar os requisitos que o sistema precisará preencher. 

Dizendo de outra maneira, antes mesmo de começar a busca pelo sistema é preciso entender as reais necessidades da área logística em termos de produtividade logística, incluindo a questão da roteirização.

Observe recursos e especificidades técnicas

Em seguida, é aconselhável solicitar o envolvimento dos profissionais de TI da empresa para que eles indiquem as questões técnicas a serem avaliadas no sistema a ser adquirido. 

É fundamental saber, por exemplo, se a aplicação avaliada tem qualidade técnica; se está livre de vulnerabilidades relativas à segurança da informação; se permite integração com outros sistemas já utilizados na empresa, e por aí vai.

Dessa forma, além de se observar como as funcionalidades do sistema se encaixam no dia a dia da operação, também se tem a certeza de que tecnicamente as coisas vão funcionar bem.

Avalie os fornecedores de soluções de roteirização

Por fim, é importante que a avaliação não seja meramente baseada no discurso comercial das empresas desenvolvedoras de softwares de roteirização.

É indicado observar cases de sucesso, conversar com clientes de cada empresa que se está avaliando. Entender quais são os pontos fortes e fracos do sistema. 

Nessa fase, vale a pena, por exemplo, pedir que alguns clientes contem quais problemas o sistema ajudou a resolver. Igualmente, vale perguntar como foi o processo de implantação da solução e como é o suporte prestado.

Em suma, nunca se deve perder de vista que trata-se de um relacionamento de longa duração, então as duas partes precisam estar bem afinadas — e o suporte ao usuário é sempre a parte mais visível disso.

→ Leia também: Como avaliar se vale a pena investir em um software de roteirização.

Case de sucesso: D&D Distribuidora reduz em 70% o tempo de roteirização de entregas

Vale a pena conferir o caso da D&D Distribuidora, que implementou a solução de roteirização da MáximaTech e conseguiu reduzir muito o tempo neste processo. 

Situada no estado do Ceará, a D&D Distribuidora faz parte do  Grupo GD7 e é especializada na distribuição de bens de consumo. A companhia começou a sentir dificuldades em sua operação de entregas, pois contava com um sistema que não fornecia os recursos de roteirização necessários para o tamanho da sua operação.

A partir da implementação da solução da MáximaTec, a área logística automatizou o processo de roteirização de entregas e obteve inúmeros outros benefícios. 

“O maxRoteirizador representa um ganho enorme para a gente, pois às vezes eu tenho uma rota que não é viável – seja por questões de cubagem, peso, entre outras questões – e a solução já me avisa de antemão. Eu não preciso mais ficar calculando esses fatores manualmente”

— José Evandro, responsável pela logística da D&D Distribuidora.

→ Conheça este case em detalhes, clicando aqui!

→ Você também vai gostar deste eBook: Roteirização logística: a solução definitiva para otimizar suas entregas.

Resumindo

Mapear e monitorar continuamente indicadores de produtividade é essencial na área logística. Tanto porque essa é uma área que deve ser mensurada continuamente quanto porque só a partir de números concretos e avaliações quantitativas precisas é possível detectar problemas e agir em tempo hábil.

O acompanhamento de indicadores de produtividade logística também eleva a área a um status mais estratégico. E isso facilita, entre outras coisas, a obtenção de investimentos para a realização de melhorias.

Neste movimento, contar com um bom sistema de roteirização faz toda a diferença. Essa solução conta com recursos como visibilidade da frota, despacho sob demanda, feedback do motorista, otimização em tempo real e rotas aprimoradas de aprendizado de máquina etc.

Como estão os indicadores de produtividade logística na sua empresa? Você já faz roteirização de entregas? Deixe seu comentário e até a próxima.

 

 

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments