O visual merchandising é a prática de design de displays na loja que chamarão a atenção do comprador e aumentarão as vendas.

Em vez de ler, que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo:

Estudos já provaram que 90% das informações enviadas ao cérebro são visuais. Isso significa que, quando se trata de vender no varejo, a maneira como seu produto é apresentado ao consumidor influenciará notavelmente em sua tomada de decisão.

Então, como você garante que, toda vez que um comprador passa pelo corredor e olha uma prateleira, ele alcança seu produto em vez do seu concorrente? A resposta é visual merchandising.

O visual merchandising é a prática de design de displays na loja que chamarão a atenção do comprador e aumentarão as vendas, e uma boa estratégia melhora a experiência do cliente e comunica melhor a identidade da marca. Para isso, ela envolve vários componentes diferentes.

Neste artigo, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre visual merchandising: o que é, quem faz isso, dicas, técnicas e exemplos.

Aprenda também as melhores técnicas para serem utilizadas no PDV. Baixe o e-book!

O que é o visual merchandising?

O visual merchandising é como os varejistas atraem os clientes das ruas (pense nas vitrines) e criam uma experiência de marca convidativa em suas lojas. É a prática de varejo de design e execução de displays na loja para envolver os compradores e aumentar as vendas.

O visual merchandising leva em consideração a maneira como seus produtos são apresentados aos consumidores quando interagem com eles em um ambiente de varejo. A estratégia consiste em aplicar certas técnicas para tornar essas interações as mais impactantes possível.

Quando se trata de merchandising na loja, organizar produtos, analisar dados de merchandising e executar exibições promocionais são apenas algumas tarefas que devem ser realizadas.

Mas quem faz visual merchandising?

Qualquer marca que venda um produto no varejo realiza campanhas visuais de merchandising. Além das marcas que realizam suas próprias atividades de merchandising, muitas indústrias trabalham em parceria com atacadistas por meio do trade marketing, utilizando o visual merchandising, pois têm uma visão do impacto que essa estratégia tem no sucesso e nas vendas dessas empresas.

As responsabilidades do trade marketing no visual merchandising

O analista de trade marketing tem um papel importante a desempenhar quando o assunto é visual merchandising. As decisões tomadas afetam diretamente as vendas e, portanto, o analista deve ser bem organizado e atento aos detalhes para liderar sua equipe de promotores nos Pontos de Vendas.

O profissional monitora a aparência do produto na prateleira em várias lojas em todo o território designado. Ao trabalhar em estreita colaboração com varejistas e fabricantes, ele garante que a colocação e a promoção de produtos específicos tenham um impacto mensurável nas vendas.

Algumas responsabilidades incluídas em uma descrição das atribuições do trade marketing no visual merchandising incluem:

  • Colaborar com fabricantes e varejistas para garantir a execução adequada dos planos de merchandising;
  • Analisar dados de vendas, relatando crescimento, expansão e mudança nos mercados;
  • Reunir informações sobre tendências de mercado e reações dos clientes aos produtos;
  • Garantir a conformidade do varejista com as estratégias de merchandising;
  • Criar e organizar promoções na loja e campanhas publicitárias;
  • Acompanhar métricas de trade marketing;
  • Atualizar estoque de produtos.

Conheça um pouco mais do trabalho do trade marketing e do merchandising no PDV:

Qual a importância do visual merchandising?

Se você gerencia uma operação de trade marketing e não tem uma estratégia de visual merchandising, há boas chances de perder a oportunidade de apresentar produtos de uma maneira mais atraente, melhorando sua taxa de conversão e aumentando sua taxa média de pedidos.

Cada vez mais empresas no mercado de atacado distribuidor estão trazendo os conceitos do visual merchandising para o Ponto de Venda, e isso ocorre porque o mercado ficou cada vez mais competitivo, especialmente com a ascensão do comércio eletrônico.

Conheça os principais benefícios do visual merchandising:

  • Aumento de clientes: o visual merchandising pode aumentar a quantidade de clientes que percebem e entram no varejo o que, por sua vez, aumenta as vendas de distribuidores e fabricantes. Se os clientes gostam do que veem e da experiência que é criada, isso deve incentivá-los a retornar à loja;
  • Aumento do ticket médio: o marketing visual eficaz pode ter um efeito claro e positivo nas vendas no varejo e dos distribuidores. Preços claros, prateleiras bem abastecidas, displays simples e sinais de venda importantes podem ajudar a gerar lucros e aumentar o ticket médio de compra do consumidor;
  • Otimização do espaço: uma abordagem criativa ao merchandising pode ajudar a aproveitar ao máximo do espaço. O layout deve fluir facilmente e direcionar os clientes para os itens e telas importantes que quiser destacar. Os clientes começarão a associar seu merchandising claro e atraente a uma experiência de compra positiva. Isso deve incentivá-los a voltar;
  • Tirando o máximo proveito dos produtos: se você tem produtos difíceis de vender, um visual merchandising inteligente pode ajudá-lo a comercializá-los sem precisar que o preço seja reduzido. Da mesma forma, você pode colocar itens de baixo preço em locais menos importantes para incentivar a venda dos de alta margem;
  • Criando uma experiência de compra: as vendas no varejo não se resumem apenas à compra final — elas são um processo. Isso envolve o envolvimento de potenciais compradores em diferentes níveis. Ter uma loja atraente é um link inicial entre uma loja e um comprador, e as primeiras impressões são impressões duradouras. Um ótimo engajamento inicial provavelmente levará a relacionamentos duradouros.

E falando em experiência de compra, confira nosso podcast sobre User Experience!

O uso da análise de dados no visual merchandising

Como vimos, o visual merchandising tem a responsabilidade de coletar e analisar dados de varejo. Embora os atacadistas tenham um bom entendimento dos três tipos de dados de execução de varejo (dados de atividade, dados de vendas e dados observacionais), os dados de merchandising, geralmente, se enquadram em dados observacionais.

Estes são dados no nível da loja que as equipes de trade marketing observam e registram sobre seu produto em locais de varejo, como a condição dos displays ou a posição na prateleira.

O objetivo da coleta desses dados é para que você possa conectá-los a um ciclo de melhoria contínua, que leve em consideração uma ampla gama de fatores. Você pode obter informações a partir desses dados para informar estratégias futuras de visual merchandising.

Um exemplo disso seria observar uma diferença nas vendas entre um varejista que você ocupa uma prateleira inferior e outro que ocupa uma prateleira ao nível dos olhos.

Embora o senso comum nos diga que as prateleiras ao nível dos olhos equivalem a mais vendas, você pode descobrir, depois de analisar os dados, que o aumento nas vendas é bem pequeno comparado ao investimento em displays POP na loja. Portanto, prestar muita atenção aos dados de merchandising ajuda a tomar decisões mais fundamentadas no futuro.

Saiba quais são os principais indicadores do Trade Marketing

7 dicas para uma estratégia de visual merchandising

Existem várias táticas de visual merchandising que as marcas podem usar para levar os compradores a comprar.

Abaixo, reunimos algumas das principais tendências de visual merchandising para 2020 para fornecer algumas ideias do que os consumidores procuram no PDV.

1-Monitores interativos

A utilização de displays interativos é uma maneira fantástica de atrair clientes que, de outra forma, podem simplesmente passar pelo produto.

Monitores interativos podem incorporar experiências de alta ou baixa tecnologia. Algumas marcas podem ter o orçamento para incluir uma tela com uma exibição independente, na qual os compradores podem jogar jogos baseados no produto ou explorar a história de uma empresa, por exemplo.

Se isso não for viável para os seus negócios, não se preocupe: há muitas experiências interativas que você pode criar, e que não vão custar muito. Considere uma tela 3D com um par de óculos amarrados à prateleira para reutilização, por exemplo, ou configure um jogo do tipo “Roda da Fortuna” com o qual os clientes possam obter descontos.

2-Incorporando arte

Não faltam artistas incríveis por aí, prontos para colaborar com empresas em campanhas publicitárias criativas.

Ao incorporar arte em suas exibições visuais, você atrai clientes ao se destacar na multidão. Diferentes maneiras de fazer isso incluem a integração da arte na embalagem do produto, a organização de produtos de uma maneira única ou o design de pôsteres e placas exclusivos.

Os compradores não apenas ficarão impressionados com a criatividade, mas, também, a memória visual vai ficar marcada muito além da conclusão de suas compras.

3-Vitrines

Uma boa vitrine é uma vantagem real para as marcas. Isso porque ela é a primeira impressão que os compradores têm — tanto do varejista quanto do produto — quando entram ou passam pela loja. As vitrines também oferecem a oportunidade de promover vendas ou ofertas especiais do seu produto.

Seja criativo com esses espaços de exposição e atraia a atenção dos clientes com mais do que apenas uma apresentação do produto. Aspectos importantes de uma vitrine incluem a criação de um ambiente agradável por meio de esquemas de iluminação e cores, incluindo sinalização e um design que apoia a narrativa do produto.

4-Cross merchandising

O cross merchandising é uma estratégia que aumenta as vendas colocando itens complementares nas lojas. Existem exemplos clássicos de cross merchandising, como colocar ketchup e mostarda ao lado de pães de hambúrguer, ração de cachorro ao lado de brinquedos para os pets, ou molho de macarrão ao lado das massas.

Para os atacadistas, há uma oportunidade para o cross merchandising em seu próprio portfólio de produtos. Mas trabalhar com outras marcas também pode ser uma ótima opção. Converse com outros varejistas e gerentes de loja e introduza a ideia de colaborar em uma exibição de cross merchandising.

5-Displays POP

Os displays POP — do inglês, Point of Purchase, ou Ponto de Compra — capitalizam os impulsos dos compradores para maximizar as vendas. Eles se referem ao merchandising no ponto de venda, definido como o local ou o meio em que um produto é comprado por um usuário final.

Um equívoco comum é que o ponto de compra se refere apenas ao espaço dentro da loja onde ocorre a transferência de dinheiro para as mercadorias, como o caixa. O ponto de compra pode ser mais amplo que isso e, na verdade, é responsável por toda a loja.

Alguns displays POP comuns incluem caixas de som e displays de pé — o que couber no orçamento e na criatividade dos promotores!

6-Regra de três

Três é o número mágico ao agrupar produtos em uma exibição. Não apenas chama a atenção do cliente, mas também ajuda a cimentar a exibição do produto na mente dele.

É por isso que muitos especialistas em visual merchandising seguem e pregam a “Regra dos Três”. Se agrupar por altura, utilize itens baixos, médios e altos. Se por largura, estreito, médio e largo. Se você realmente deseja capturar a atenção de clientes preocupados com o preço, organize os itens em ordem, com um valor menor, médio e maior para o cliente.

7- Iluminação LED

A iluminação na loja sempre foi um aspecto importante do visual merchandising, mas os recentes avanços na iluminação branca ajustável e nos LEDs cada vez mais proporcionam sutis maneiras de influenciar a experiência do cliente.

Por exemplo, as lojas podem usar luz branca ajustável para destacar as exibições do produto ou complementar os níveis de luz do lado de fora, de modo que intensidades como luzes brilhantes à noite ou lojas com pouca iluminação durante o dia não sejam perturbadoras para os clientes.

A iluminação branca ajustável também pode permitir que as marcas mudem a sensação de sua loja após o expediente, no caso de sediar eventos particulares.

Quer ver mais dicas? Veja nosso vídeo com as principais sobre como expor seu produto no PDV:

Conclusão

Com todas as informações que vimos, pode ser um pouco difícil extrair os pontos principais que beneficiarão seus negócios. Para ajudá-lo a organizar seus pensamentos, aqui estão algumas dicas importantes deste guia de visual merchandising:

  •  Sua estratégia de visual merchandising tem uma influência significativa nas decisões do consumidor.
  • O trade marketing têm a responsabilidade de garantir a conformidade do varejista e a execução bem-sucedida do varejo;
  • Existem muitas técnicas diferentes de exibição de merchandising visual, por isso, a decisão de quais sua marca usará precisa ser baseada por pesquisa de mercado.
  • Simplesmente configurar uma exibição e esperar que seja um sucesso não é suficiente. É preciso possui um sistema de monitoramento e manter continuamente seus displays na loja.
  • A coleta e a análise de dados de visual merchandising permitem que sua equipe descubra insights que refinarão sua estratégia de visual merchandising.

Gostou do nosso artigo? Quer continuar aprendendo sobre como melhorar as vendas? Assine nossa newsletter e receba todas as nossas dicas diretamente no seu e-mail!