gerenciamento de risco

Em vez de ler, que tal ouvir?

O gerenciamento de risco logística é um cuidado importante que as organizações adotam para aumentar sua eficiência na entrega de mercadorias. Quanto mais claras são as respostas aos principais riscos, menores são os impactos negativos e custos para a empresa.

Quando falamos sobre gerenciamento de risco logística, os gestores sabem muito bem do que estamos falando: roubo de carga, avarias, extravios, problemas com a frota, desorganização no estoque, falhas humanas, entre vários outros casos.

Felizmente, é possível contornar essas situações com um processo de gerenciamento de risco logística. Quer entender como colocar isso em prática? Confira logo a seguir!

O que é gerenciamento de risco logística?

Risco é definido como qualquer coisa que possa impactar as operações de uma empresa, normalmente de maneira negativa. No entanto, isso não significa necessariamente que algo ruim aconteceu.

Por exemplo, um risco pode ser um aumento repentino na demanda por um produto. Como resultado, os executivos da empresa se voltam para a manufatura e a cadeia de suprimentos para aumentar a produção. No entanto, o que acontece se a empresa não for capaz de lidar com esse aumento na demanda e, como resultado, perder clientes, integridade e reputação da marca? É aqui que o gerenciamento de risco logística entra em jogo.

Podemos compreender o conceito de gerenciamento de risco logística como o processo de identificação, avaliação e mitigação dos riscos envolvidos no processo de entrega de mercadorias. A implementação de estratégias de gerenciamento de risco pode ajudar uma empresa a operar com mais eficiência, reduzir custos e aprimorar o atendimento ao cliente.

Na prática, o gerenciamento de risco logística refere-se a como as organizações gerenciam o fluxo de seus produtos, incluindo todos os processos envolvidos desde o recebimento de um pedido até sua entrega nas mãos do cliente.

A importância de um plano de gerenciamento de risco logística

Para implementar um gerenciamento de risco logística, a ideia é que o gestor “antecipe” os riscos, pensando em formas de mitigá-los antes mesmo que eles ocorram. Ou seja, é fundamental trabalhar com a prevenção.

Neste contexto, existem riscos internos e externos que devem ser levados em consideração. Vamos ver os principais deles:

Riscos externos

Como o nome indica, esses riscos vêm de fora da sua organização. Infelizmente, isso significa que eles são mais difíceis de prever e normalmente requerem mais recursos para serem superados. Alguns dos principais riscos externos de logística incluem:

  • Riscos de demanda. Os riscos de demanda ocorrem quando a empresa calcula mal a demanda do produto e surgem problemas de excesso de procura pelo cliente – atrasando o atendimento ao cliente.

  • Riscos de fornecimento. Os riscos de fornecimento ocorrem quando as matérias-primas ou mercadorias das quais sua empresa depende não são entregues no prazo ou de forma alguma, causando interrupção no fluxo de produto, material e / ou peças.

  • Riscos do ambiente. O risco do ambiente na cadeia de abastecimento é o resultado direto de questões socioeconômicas, políticas, governamentais ou ambientais que afetam o tempo de qualquer aspecto da cadeia de abastecimento.

  • Riscos de negócios. Os riscos de negócios ocorrem sempre que ocorrem mudanças inesperadas com uma das entidades de que você depende para manter sua cadeia de suprimentos funcionando perfeitamente – por exemplo, a compra ou venda de uma empresa fornecedora.

 

Riscos internos

Os riscos internos são quaisquer fatores de risco na logística que estão sob seu controle e que podem ser identificados e monitorados. Embora os riscos internos sejam mais gerenciáveis do que os externos, eles ainda são – até certo ponto – inevitáveis. Aqui estão os principais deles:

  • Riscos de fabricação. Os riscos de fabricação referem-se à possibilidade de que um componente ou etapa importante do fluxo de trabalho seja interrompido, fazendo com que as operações saiam do cronograma.

  • Riscos de negócios. Os riscos de negócios são produto de interrupções nas operações padrão da empresa – incluindo gerenciamento de estoque, relatórios e outros processos essenciais de negócios.

  • Riscos de planejamento e controle. Os riscos de planejamento e controle são causados por previsões e avaliações imprecisas e produção e gerenciamento mal planejados.

  • Riscos de mitigação e contingência. Os riscos de mitigação e contingência podem ocorrer se sua empresa não tiver um plano de contingência para interrupções na cadeia de abastecimento.

-> Entenda como a tecnologia para logística de entrega ajuda na redução do SLA e TMA:

8 dicas de como fazer um gerenciamento de risco logística

Afinal, como implementar um processo eficiente de gerenciamento de risco logística?

1. Crie um modelo de gestão de risco

O primeiro passo para um bom gerenciamento de risco logística é criar um modelo padrão para essa gestão. Os principais pontos desse modelo devem ser?

  • Prevenção: Tome medidas de precaução para mitigar os riscos da cadeia de abastecimento.

  • Preparação: Desenvolva e implemente um plano de contingência em caso de emergência.

  • Resposta: Execute seu plano de contingência para reduzir o impacto do evento perturbador.

  • Recuperação: Retome as operações e coloque tudo em funcionamento na capacidade normal o mais rápido possível.

 

2. Melhore o gerenciamento de riscos cibernéticos

Para muitas empresas, a Internet das Coisas e outras tecnologias digitais desempenham um papel importante na otimização das operações da cadeia de suprimentos, mas também deixam as empresas expostas a ameaças de segurança cibernética – como malware, ransomware, phishing e hacking.

Para fortalecer suas defesas de segurança cibernética, tente implementar as seguintes estratégias:

  • Estabeleça padrões de conformidade para todos os fornecedores terceirizados, incluindo fabricantes, fornecedores e distribuidores.

  • Defina as funções do usuário e implemente controles de segurança para restringir quem pode acessar seu sistema e que nível de autorização eles possuem.

  • Faça uma avaliação completa dos riscos do fornecedor antes de assinar qualquer contrato.

  • Implemente padrões de gerenciamento de dados que definam quem possui determinados dados e o que deve ser feito com esses dados.

  • Forneça treinamento abrangente para todos os funcionários sobre protocolos de segurança cibernética.

  • Implemente uma solução de software que forneça visibilidade total em sua cadeia de suprimentos, para que você possa identificar rapidamente atividades incomuns.

  • Trabalhe com fornecedores em sua rede de cadeia de suprimentos para desenvolver um plano unificado de recuperação de desastres para garantir a continuidade dos negócios.

  • Estabeleça controles de backup para proteger seus backups de dados.

  • Atualize regularmente as soluções de antivírus, antispyware e firewall de sua empresa, bem como analise medidas de segurança cibernética mais avançadas – como filtragem de DNS e controle de acesso à rede.

 

3. Procure maneiras de melhorar a visibilidade da cadeia de suprimentos

Mais informações podem ser benéficas e um melhor entendimento de todas as partes da sua cadeia de suprimentos pode alertá-lo sobre os problemas antes que se tornem problemas.

Procure a tecnologia que permitirá maior visibilidade de todos os processos para que você possa manter seus clientes atualizados sobre os tempos de entrega e / ou tomar medidas com antecedência para evitar atrasos dispendiosos e expectativas perdidas do cliente.

Portais de serviço, sensores de IoT em contêineres, relatórios automatizados sobre níveis de estoque e muito mais podem ajudar a mantê-lo informado e atualizado em tempo real. Isso é especialmente vital durante a “última milha” da entrega, onde os serviços de terceiros podem assumir e você pode perder a visão sobre esse trecho da experiência da jornada do cliente.

4. Monitore as métricas corretas

Para apoiar o gerenciamento de risco logística, você pode ficar de olho nessas métricas importantes:

  • Tempo de trânsito: refere-se ao número de horas ou dias que uma remessa leva para chegar ao local do cliente após sair de suas instalações.

  • Número de paradas e tempo médio de parada: quanto mais paradas um caminhão fizer no caminho para a entrega de uma remessa, mais tempo levará o produto para chegar ao cliente. Mesmo que uma rota inclua apenas algumas paradas, um tempo médio de parada longo pode prejudicar a entrega no prazo e interromper sua cadeia de suprimentos.

  • Tempo médio de carregamento: refere-se ao tempo que leva para carregar um caminhão com carga, bem como preencher toda a papelada necessária. Trata-se de um indicador chave da eficiência da cadeia de suprimentos.

  • Otimização de rota: é importante considerar como a otimização das rotas para uso de combustível e tempo de viagem, porque isso tem um efeito direto sobre os custos e a eficiência da logística de entrega.

  • Cronograma de manutenção: uma empresa com um cronograma de manutenção consistente tem menos probabilidade de quebrar, o que pode evitar interrupções desnecessárias na logística de entrega.

Ouça o MáximaCast abaixo e confira 6 vantagens em acompanhar as entregas em tempo real

5. Implemente um plano de contingência de logística

Semelhante a um plano de resposta a emergências, é imperativo ter um plano de contingência de logística em vigor para garantir a continuidade dos negócios em caso de interrupção da cadeia de abastecimento.

A necessidade de um plano de contingência sólido – ou, preferencialmente, de planos de contingência múltiplos – tornou-se especialmente pertinente à luz da crise do Covid-19, que causou ruptura na cadeia de suprimentos em escala global.

Veja algumas dicas ao criar um plano de contingência para mitigação de risco:

  • Mapeie sua cadeia de suprimentos para obter uma compreensão clara de quais entidades são mais vulneráveis ao risco.

  • Realize uma avaliação completa dos fornecedores com base em fatores como risco político, risco geográfico e risco econômico.

  • Diversifique sua rede de fornecedores para que você não dependa de um único fornecedor.

  • Audite fornecedores de logística com base em seus planos de contingência.

  • Estabeleça uma equipe de resposta a crises para tomar decisões críticas em caso de emergência.

  • Desenvolva canais de comunicação sólidos para que seus funcionários saibam quais são suas responsabilidades em caso de interrupção da cadeia logística.

  • Documente cuidadosamente todos os processos e crie uma única fonte de verdade que os funcionários possam consultar durante a execução de seu plano de contingência.

  • Mantenha-se atualizado sobre os eventos atuais e adapte seu plano de contingência de acordo.

  • Crie um plano B, plano C, plano D e assim por diante.

 

6. Realize treinamento de conscientização sobre riscos

Construir uma cultura de consciência sobre o gerenciamento de risco logística requer adesão em todos os níveis do seu negócio. A maneira mais fácil de conseguir isso é realizar treinamentos para toda a sua força de trabalho. O currículo de treinamento deve incluir o seguinte:

  • Riscos e desafios comuns do gerenciamento de risco logística

  • Melhores práticas de gestão de risco

  • Práticas recomendadas de computador e internet para melhorar a conscientização sobre a segurança cibernética

  • Treinamento em software de avaliação de risco da cadeia de suprimentos para incentivar a adoção do usuário final

 

7. Monitore o risco de forma consistente

Isso pode parecer um óbvio, mas monitorar consistentemente os fatores de risco da logística de entrega é realmente a chave para proteger suas operações. Muitas organizações presumem que estão seguras, uma vez que implementaram uma estrutura de mitigação de risco, mas o trabalho não para por aí.

A maneira mais fácil de fazer isso é investir em uma solução escalável que automatiza o monitoramento de vários aspectos de sua cadeia de suprimentos. Isso não apenas fornecerá segurança e tranquilidade, mas também informações valiosas sobre como otimizar as operações de negócios.

8. Use os dados para modelar os principais cenários de eventos de risco

Imagine ser capaz de prever um evento de risco bem antes que ele aconteça. A tecnologia ainda não nos trouxe lá, mas, graças à ciência de dados, análise preditiva e modelagem de dados, chegamos bem perto. Big Data abriu um mundo de oportunidades para negócios, incluindo o uso de ciência de dados e análise preditiva para criar modelos avançados para cenários de eventos de risco em potencial.

Usando modelos de dados para prever o que poderia acontecer durante o pior cenário, você pode desenvolver planos de contingência mais abrangentes que irão preparar melhor sua empresa para se e quando ocorrer um desastre.

Você gostou das dicas para fazer um gerenciamento de risco logística? Está preparado para explorar todo o potencial da tecnologia para aumentar a eficiência na logística de entrega? Então conheça as soluções da MáximaTech!