criar-um-sistema

 

Em vez de ler, que tal ouvir este artigo?

Criar um sistema para atacado distribuidor é um projeto bastante complexo, técnica e orçamentariamente falando. Isso porque é preciso fazer grandes investimentos em pessoal de desenvolvimento qualificado, controlar custos, esperar por longas fases de teste etc.

Agora, você já parou para pensar em tudo o que envolve essa iniciativa? Já refletiu em profundidade sobre o tema? Nós queremos te ajudar a fazer isso ao longo deste artigo.

Continue lendo para entender por que sua melhor escolha é contratar um sistema pronto!

Estude as principais informações das empresas do ranking ABAD!

O que determina o preço de criar um sistema

Existem diversas variáveis ​​que determinam o custo geral para criar um sistema personalizado. Entre elas está o estágio em que sua ideia se encontra, o que você pretende alcançar com o software customizado e quais resultados de negócio está procurando.

Estágio do projeto

Em primeiro lugar, vamos começar com o desenvolvimento que você tem em mente.

Você está procurando um novo aplicativo móvel? Uma atualização para um sistema de negócios existente? Uma expansão para o comércio eletrônico ou integração de seus sistemas existentes?

Seja qual for o desenvolvimento, o custo depende de suas especificações, seu orçamento e do resultado almejado.

Especificações

A qualidade da especificação também pode impactar os custos.

Por exemplo, o aumento do escopo devido a requisitos novos ou modificados após o início do desenvolvimento pode causar estouros de orçamento/custo. E quanto mais tempo um projeto é planejado, maiores se tornam esses riscos.

Portanto, é importante saber qual resultado você deseja antes de finalizar seu orçamento e passar por um processo de justificativa de negócios para descobrir qual será o ROI do projeto.

No caso do desenvolvimento móvel, as perguntas típicas que você pode ser solicitado a esclarecer em suas especificações incluem:

  • como você lidará com os usuários de software?

  • eles simplesmente farão o login por meio de nome de usuário/senha?

  • de onde vêm esses dados?

  • eles terão que criar uma senha de nome de usuário novamente?

  • você espera autenticação multifator?

  • quer que o aplicativo lembre os dispositivos do usuário?

  • existe algum componente social para login/autenticação do usuário?

  • em quais plataformas seu aplicativo seria executado?

  • você quer um aplicativo móvel híbrido ou nativo?

  • o sistema estará localizado em suas instalações, na nuvem ou em ambos?

  • você está esperando que os dados sejam mostrados no aplicativo?

  • quantas telas esse aplicativo vai ter?

  • que tipo de dados você vai armazenar?

  • quais dados seus membros irão armazenar usando o aplicativo?

  • haverá arquivos de mídia ou serão apenas dados estruturados provenientes de uma única base?

  • os dados vêm de várias fontes de dados às quais o aplicativo deve se conectar? Alguma parte dos dados do membro viria de APIs de terceiros?

  • as atualizações de dados dos membros precisam ser compartilhadas com um sistema ou precisam ser sincronizadas com vários sistemas de back-end?

  • de que nível de segurança você vai precisar?

  • o aplicativo precisa se conectar a algum dispositivo externo, como Bluetooth?

  • você sabe quantas pessoas acessariam o aplicativo ou estariam usando-o ao mesmo tempo? (isso terá implicações no servidor).

E assim por diante. As respostas a esses tipos de perguntas vão acabar afetando o preço de desenvolvimento de seu software personalizado.

Neste episódio do MáximaCast batemos um papo sobre servidores locais e em nuvem, falando as principais diferenças entre eles e como impactam na estrutura do atacadista distribuidor. Discutimos as tendências de mercado e como se preparar para atualizar essa tecnologia na sua empresa.
Dê o play:

Como o custo de criar um sistema é definido

Taxas horárias

As taxas horárias para criar um sistema podem variar bastante, a depender dos profissionais envolvidos. Se montar uma equipe própria de desenvolvimento, considere os altos salários e custos com folha de pagamento destes que estão entre os trabalhadores mais desejados do mercado.

Existem freelancers que podem trabalhar com baixo custo, dependendo do seu orçamento e níveis de tolerância ao risco (os projetos podem ficar presos no meio do caminho se você depender de uma pessoa).

No entanto, mesmo se um empreiteiro individual se especializar em sua área de nicho, ele levaria mais tempo para criar um sistema do que uma equipe.

Então você tem pequenas empresas de desenvolvimento de software focadas que estão no mercado há alguns anos e onde cada cliente representa uma parte significativa da receita. E elas gastarão tempo para fazer o controle de qualidade adequado e produzir um código robusto.

Sua capacidade de executar projetos de desenvolvimento maiores realmente depende da experiência de seus desenvolvedores e do tamanho da empresa.

Em seguida, você tem empresas de desenvolvimento de software de nível médio que estão no mercado há décadas e a maioria de sua base de clientes são companhias de médio porte.

Elas geralmente aceitam projetos com um orçamento considerável, mas oferecem processos robustos, metodologias e uma gama mais ampla de conjuntos de habilidades para melhor garantir o sucesso do projeto.

Finalmente, existem grandes empresas de desenvolvimento de software empresarial que atendem às maiores empresas com um orçamento de desenvolvimento bem alto. Embora eles tenham habilidades e metodologias robustas de gerenciamento de projetos, há outro tipo de risco a ser considerado: seu projeto é grande o suficiente para ter importância?

Preço fixo x Custo por hora

A seguir está a taxa que você paga pelas horas-homem gastas pela equipe que trabalha para criar um sistema. Algumas empresas cobram por hora, mas isso pode ser problemático.

Surgem questões como quanto tempo uma tarefa específica deve levar? E se demorou mais, por que demorou mais? Isso significa que você precisa monitorar o trabalho a cada hora? E assim por diante.

Um preço fixo torna as coisas mais simples e transfere os riscos inteiramente para a equipe de desenvolvimento. Isso porque cabe à equipe desenvolvedora passar por detalhes excruciantes de cada aspecto do projeto antes de ser capaz de produzir uma estimativa de preço fixo justa.

E, desde que não haja aumento de escopo, isso leva à finalização de todos os aspectos do produto que está sendo desenvolvido.

Taxa fixa mensal

Outra opção é a mensalidade. Distribuir o custo do projeto mensalmente é quase o mesmo que ter funcionários em tempo integral na equipe, com a flexibilidade de adicionar mais tempo caso sejam encontradas dificuldades ou aumento de escopo.

Os custos são maiores do que ter funcionários em tempo integral, mas caem os custos trabalhistas e impostos sobre a folha de pagamentos.

Na prática,

Os elementos de cada um desses tipos de pagamento podem ser combinados para limitar os custos e gerenciar o tempo de desenvolvimento com eficiência.

Por exemplo, o início do projeto — ao fazer o protótipo do sistema e concordar com os requisitos detalhados — pode ser um custo fixo ou uma porcentagem acordada do custo final orçado.

Uma vez que o plano de desenvolvimento do projeto tenha sido acordado e os marcos atribuídos, a maior parte do custo restante pode ser distribuída como uma taxa fixa mensal, com um pagamento final ou parte restante no final, após a entrega.

Então, aí está. Essas são as coisas que determinam o custo geral para criar um sistema personalizado.

→ Leia também: A importância da gestão da informação para o atacado distribuidor.

Quais os cuidados que devem ser levados em conta ao criar um sistema e desenvolvê-lo

Vários cuidados precisam ser tomados ao se criar um sistema para atacado distribuidor ou para qualquer outro segmento de mercado. Eles vão bem mais longe do que apenas a qualidade do código, como você vai ver nos tópicos que seguem!

Experiência do usuário

O objetivo principal de qualquer negócio é aumentar a receita e aumentar o crescimento do negócio.

Para atingir esse objetivo, a arquitetura UX / UI desempenha um papel crítico. A arquitetura UX / UI do aplicativo aprimora a experiência do usuário, fazendo com que ele seja mais produtivo ao usar o sistema.

Isso porque uma aplicação funcional é ótima; no entanto, é menos provável que as pessoas usem (ou continuem a usar) se não for fácil de usar.

Em suma, o tempo e o dinheiro gastos na interface de usuário e na experiência do usuário são fundamentais, pois garantem conteúdo envolvente e navegação simples. Fazendo com que as pessoas se sintam satisfeitas e explorem todas as funcionalidades.

Integrações

Também é muito importante que ao criar um sistema, você pense em como ele se integrará aos demais softwares da empresa. Dessa forma, vai tornar os processos mais fluidos e livres de retrabalhos ou de erros ao imputar dados de planilhas de Excel, por exemplo.

Essa integração, que pode ser bastante complexa tecnicamente falando, também deve considerar a necessidade de compartilhar módulos ou funcionalidades com parceiros de negócios. Ela precisa ser segura e acontecer de modo pouco invasivo para os usuários.

→ Leia também: Por que ter integração com ERP no seu atacado distribuidor?

Responsividade

Atualmente, a responsividade também é um fator bem crítico ao se criar um sistema. Ela nada mais é do que garantir que os usuários poderão operar a aplicação em qualquer dispositivo (desktop, notebook, smartphone, tablet etc.).

Sem uma boa responsividade, o trabalho em campo fica bastante limitado, o que pode fazer com que as pessoas se tornem menos produtivas. Além disso, a falta de mobilidade pode tornar toda a operação menos eficiente e com altos índices de erros que podem custar muito dinheiro ao negócio.

Flexibilidade

O software também precisa ser bastante flexível permitindo, por exemplo, que possa ser customizado no futuro. Isso porque o negócio muda, cresce a necessidade de inserir novos usuários, é preciso modificar processos e assim por diante.

Logo, não se pode mais criar um sistema estático e com pouca maleabilidade de modificações. O que exige uma série de cuidados técnicos.

Segurança da informação

Por fim, mas não menos importante, ao criar um sistema para atacado distribuidor deve-se pensar na segurança dele. Isso porque é nele que que serão imputados, processados, analisados e armazenados dados confidenciais.

Além disso, sistemas vulneráveis podem ser a porta de entrada para cibercriminosos que podem chegar a toda a infraestrutura tecnológica da empresa.

Esse quesito é importante também no que diz respeito ao uso de dados pessoais, dentro das normativas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Qualquer infração a essa e outras legislações pode gerar multas milionárias e arranhar consideravelmente a imagem corporativa.

Por que escolher um sistema para atacado distribuidor pronto é mais vantajoso do que criar por conta própria

Como você viu até aqui, desenvolver e testar um sistema para atacado distribuidor não é algo simples. Na verdade, trata-se de um tipo de projeto que é bastante oneroso e demanda muito tempo e esforços gerenciais.

A boa notícia é que não é preciso se preocupar com nada disso, pois há no mercado excelentes opções. Obviamente, é preciso encontrar a solução que melhor se encaixe na realidade da sua empresa, mas isso é bem menos trabalhoso do que partir para o desenvolvimento próprio.

Confira, a seguir, quais são os principais motivos para, em vez de criar um sistema, encontrá-lo no mercado e implementá-lo:

  • o custo-benefício será muito melhor: em médio e longo prazo, a aquisição de uma solução pronta se paga, uma vez que a maior parte das dores de cabeça (e do dinheiro) do desenvolvimento próprio não existe.

  • a empresa fornecedora tem expertise: ela já passou por toda a fase de ideação, prototipação e experimentação da aplicação; o que entrega ao mercado já foi devidamente testado e aprovado por clientes em operação.

  • os dados do seu negócio não estão sob ameaça: nada é mais temerário do que ter vulnerabilidades técnicas que permitam incidentes ou fraudes com os dados corporativos. Um bom fornecedor de sistema para atacado distribuidor implementa as melhores práticas em segurança da informação, garantindo mitigação dos riscos.

  • nem tudo o que está pronto é 100% standard: bons provedores de sistemas para atacado distribuidor entregam sistemas flexíveis que podem ser customizados para se encaixar perfeitamente na realidade da sua empresa.

  • o suporte estará sempre disponível: não importa se sua operação vai aumentar, se seu negócio passará a trabalhar 24 horas por dia; um bom fornecedor de sistema terá equipe para auxiliar os usuários sempre que eles tiverem dúvidas ou se depararem com algum problema no software.

  • a aplicação estará sempre atualizada: a tecnologia evolui às vezes até mais rapidamente do que o ecossistema de negócios; contratando um bom fornecedor, você terá certeza de que a aplicação receberá atualizações periódicas para seguir rodando com máxima eficiência ao longo do tempo.

  • e muito, muito mais!

Resumindo

Como você viu, criar um sistema para atacado distribuidor é bem menos recomendado do que adquirir uma solução pronta. Isso porque este tipo de projeto de desenvolvimento, apesar de parecer simples, é altamente complexo.

Aqui na MáximaTech, nos orgulhamos de oferecer o melhor sistema para atacado distribuidor do Brasil. E dizemos isso, pois nossos clientes estão muito satisfeitos tanto com a aplicação em si quanto com o suporte que lhes brindamos, além de estarmos sempre nos aprimorando para entregar atualizações constantes.

É por isso que temos certeza que implementar uma solução pronta, fazendo apenas alguns ajustes para a realidade de cada empresa, é muito melhor do que criar um sistema do zero. E estamos a seu dispor para apresentar nossas soluções.

eBook-ranking-ABAD-Nielsen

Thiago Melo