Supply Chain

Em vez de ler, que tal ouvir o artigo?


O supply chain é um processo sistemático que envolve organizações, indivíduos, atividades e recursos que ajudam na movimentação de um produto ou serviço, do fornecedor para o usuário final ou cliente. Trata-se de um dos pilares para o sucesso de empresas dos mais diversos portes e segmentos.

Desde o momento em que a matéria-prima entra na organização até o quando o produto é entregue ao cliente, um longo caminho é percorrido. Quanto mais domínio os gestores tiverem sobre esse caminho, mais intuitivo e eficiente ele será.

O gerenciamento do supply chain desempenha um papel fundamental no sucesso de qualquer empresa e oferece uma vantagem competitiva em seu setor – minimizando os riscos envolvidos quando você compra matérias-primas (ou mercadorias prontas) e vende para o seu consumidor. Por isso, podemos afirmar que há uma infinidade de benefícios no gerenciamento do supply chain.

Neste artigo, vamos compreender melhor o conceito de supply chain e descobrir porque a cadeia de suprimento é tão importante. Confira.

O que é supply chain?

O supply chain – ou cadeia de suprimento / abastecimento – é uma rede entre uma empresa e seus fornecedores para produzir e distribuir um produto ao comprador final.

Mais especificamente, é uma rede conectada de indivíduos, organizações, recursos, atividades e tecnologias envolvidas na fabricação e venda de um produto ou serviço. Começa com a entrega de matérias-primas e termina com a entrega do produto ou serviço acabado ao cliente ou consumidor final.

Um exemplo de cadeia de suprimentos genérica começa com o fornecimento e a extração de matérias-primas. As matérias-primas são então transportadas por uma logística para um fornecedor, que atua como atacadista. Através da logística, os materiais são levados a um fabricante (ou, provavelmente, a vários fabricantes) que os refinam e processam em um produto acabado.

Depois, vai para um distribuidor que vende por atacado o produto acabado, que é entregue a um varejista. O varejista vende o produto em uma loja para os consumidores. Depois que os consumidores compram, ele completa o ciclo, mas é a demanda deles que volta e impulsiona a produção de mais matérias-primas, e o ciclo continua.

Portanto, precisamos considerar que cada uma das empresas desse ciclo tem uma cadeia de suprimento diferente para analisar. Para a indústria, a cadeia inicia com a matéria-prima. Já para o varejista, é preciso somente fazer a ponte entre o atacadista e o consumidor final.

Independentemente da posição da empresa no supply chain, é preciso ter conhecimento sobre esses processos para otimizar a produtividade de toda a operação – garantindo a satisfação do consumidor final.

Confira neste episódio do MáximaCast o impacto da Indústria 4.0 na sociedade e na cadeia de suprimentos brasileira:

Gerenciamento da cadeia de suprimento

O gerenciamento da cadeia de suprimentos é o gerenciamento de como os bens e serviços evoluem de matérias-primas para produtos vendidos aos consumidores. Isso inclui os processos de movimentação e armazenamento dos materiais usados para produzir mercadorias, armazenamento dos produtos acabados até a venda e acompanhamento dos produtos vendidos, para que você possa usar essas informações para gerar vendas futuras.

O processo de gestão do supply chain envolve todos os aspectos das operações comerciais, incluindo logística, compras e tecnologia da informação. Ele integra materiais, finanças, fornecedores, instalações de fabricação, atacadistas, varejistas e consumidores em um sistema contínuo. Aqui estão algumas das etapas envolvidas no estabelecimento de um sistema de gerenciamento da cadeia de suprimentos:

  • Planejamento da cadeia de suprimentos quando o negócio é estabelecido
  • Execução do plano e controle cuidadoso das variáveis
  • Monitoramento do desempenho de cada parte da cadeia de suprimentos
  • Comunicação regular com os parceiros da cadeia de suprimentos e cumprimento de sua parte no processo

O gerenciamento da cadeia de suprimentos busca otimizar todas as partes da cadeia e os processos envolvidos. Ao fazer isso, os lucros são maximizados e os defeitos do produto são minimizados.

O que deve ser considerado na cadeia de abastecimento?

Para compreender melhor como funciona o supply chain, podemos considerar alguns elementos principais no seu gerenciamento – impactando no desempenho geral de toda a cadeia. Veja quais são eles:

1. Produção

A produção tem relação com a necessidade e o desejo dos clientes, assim como com a demanda do mercado. É o momento de definição de quais serão os produtos ou serviços oferecidos para o consumidor.

Portanto, é necessário levar em consideração:

  • Quais produtos fabricar / comprar?
  • Quantos serviços devem ser terceirizados?

Isso porque toda a demanda de produtos e serviços tem relação com a satisfação do cliente final.

2. Fornecedores

O segundo elemento importante no supply chain é a busca pelos fornecedores que possam contribuir com uma produção econômica e eficiente. Afinal, a velocidade com que seus pedidos são entregues e a qualidade do material (ou mercadorias) faz toda a diferença para garantir que os produtos cheguem ao seu cliente.

3. Estoque

Depois de adquirir matéria-prima ou mercadorias dos fornecedores, é preciso que exista um bom planejamento sobre o estoque mantido na sua empresa. Ao optar por um baixo nível de estoque, é fundamental contar com fornecedores ágeis. Porém, um grande nível de estoque representa custos maiores e uma maior complexidade.

4. Localização

Uma empresa distante dos seus fornecedores e dos consumidores precisa compreender que o tempo para receber seus pedidos e enviar os produtos de clientes será maior. Ou seja, a localização da organização afeta a rede de abastecimento.

5. Transporte

Outro ponto bastante relevante no supply chain é o modal adotado para fazer o transporte das mercadorias. Afinal, o tempo que leva para receber pedidos de fornecedores e enviar as mercadorias para os clientes faz toda a diferença.

Confira quais são os 7 livros que todo gestor de logística e supply chain deve ler:

Importância do supply chain

A importância de definir claramente a cadeia de suprimentos é que ela ajuda uma empresa a definir seu próprio mercado e decidir onde quer estar no futuro. Ao desenvolver estratégias em nível corporativo, uma empresa utiliza as informações do supply chain para tomar decisões que afetam o futuro da empresa – como o desenvolvimento de novos produtos, mudanças de mercado, estratégias de controle de estoque, troca de fornecedores, entre outras.

Por isso, o gerenciamento da cadeia de suprimentos se tornou parte integrante dos negócios e é essencial para o sucesso de qualquer empresa e satisfação do cliente. Uma boa gestão do supply chain tem o poder de aumentar a satisfação do cliente, reduzir os custos operacionais e melhorar a capacidade financeira de uma empresa.

Vamos ver a seguir como isso funciona:

Satisfação do cliente

Os clientes esperam receber o mix e a quantidade corretos de produtos a serem entregues no prazo. Por exemplo, se você comprar cinco livros em um e-commerce e apenas dois deles chegarem corretamente, você ficará muito insatisfeito com a loja, não é? Para que essa loja consiga atendê-lo, os produtos precisam estar disponíveis no local certo.

Imagine que você vá até uma oficina para fazer um reparo no sistema de freios do seu carro. Porém, a oficina demora vários dias para entregá-lo o seu carro porque as peças não estavam disponíveis no seu estoque. Essa é outra situação que deixa qualquer cliente insatisfeito.

Por outro lado, um bom gerenciamento do supply chain garante que o cliente seja atendido da forma mais ágil e com a maior qualidade possível. Os níveis de estoque são mantidos em níveis adequados e as entregas conseguem cumprir o prazo estimado.

Redução dos custos operacionais

O gerenciamento eficiente do supply chain promove uma redução dos custos operacionais da empresa de diversas formas:

  • Diminuição do custo de compra. Com um bom estudo da cadeia de suprimentos, indústrias e varejos podem trabalhar para reduzir o custo de compra de matérias-primas ou mercadorias para revenda.
  • Diminuição do custo de produção. Qualquer atraso na produção pode custar milhares de reais a uma empresa. Esse fator torna o gerenciamento da cadeia de suprimentos cada vez mais importante. A entrega confiável de materiais para as organizações evita situações como essa.
  • Diminuição do estoque. Se existe uma cadeia de abastecimento confiável e bem estruturada, as empresas podem manter estoques reduzidos – diminuindo a necessidade de imobilização do capital.
  • Diminuição do custo total da cadeia de suprimentos. Fabricantes por atacado e fornecedores varejistas dependem de um gerenciamento proficiente da cadeia de suprimentos para projetar uma rede que atenda às metas de atendimento ao cliente. Isso dá às empresas uma vantagem competitiva no mercado.

Otimização do fluxo financeiro

Por fim, as informações sobre a cadeira de suprimento também contribuem para a otimização do fluxo financeiro:

  • Aumento da margem de lucro. Ao controlar e diminuir os gastos da cadeia de suprimentos, a margem de lucratividade de toda organização se beneficia.
  • Diminuição do ativo imobilizado. O gerenciamento do supply chain contribui com uma diminuição da necessidade de grandes ativos fixos – como fábricas, armazéns e veículos de transporte –, diminuindo o custo.
  • Aumento do fluxo de caixa. Com um bom gerenciamento da cadeia de suprimentos, é possível aumentar a velocidade dos fluxos de entrega dos produtos para os clientes – fazendo com que o fluxo de caixa receba mais entradas.

Supply chain nos diferentes setores

Vimos ao longo deste artigo a importância de um bom gerenciamento do supply chain, certo? Também é importante reconhecer como a cadeia de suprimentos possui um impacto para empresas dos mais diferentes setores – desde a indústria até o consumidor final.

Supply chain na indústria

Quando falamos sobre supply chain, é comum pensarmos logo na indústria. Afinal, essas são as organizações que iniciam todo o processo de produção – transformando matérias-primas em produtos e colocando-os no mercado.

Porém, o que muitos não percebem é que uma porcentagem significativa de seus custos totais está ligada à cadeia de suprimentos – especialmente para as empresas que terceirizam etapas da fabricação.

Esses custos podem incluir:

  • Custos indiretos associados ao gerenciamento de fornecedores
  • Custo da resolução de problemas de gerenciamento da qualidade
  • Níveis altos de estoque em caso de suboferta
  • Custos logísticos
  • Vendas perdidas por entregas atrasadas
  • Inflexibilidade da cadeia de suprimentos e prazos de entrega longos

Supply chain no varejo

Imagine que você tenha uma mercearia e compra tomates diretamente do agricultor, eliminando a despesa de ter um terceiro comprando para você. Ao comprar diretamente da fonte, você obtém melhores preços e leva os alimentos para suas prateleiras para vender com mais rapidez e eficiência.

Esse é apenas um pequeno exemplo de como o supply chain pode ter um grande impacto no varejo. Ao gerenciar a cadeia de suprimentos, é possível trabalhar para maximizar a velocidade e a eficiência. Afinal, o objetivo é entregar seus produtos nas mãos do consumidor o mais rápido possível.

Supply chain no e-commerce

Uma cadeia de suprimentos eficiente acelera os processos de comércio eletrônico para atender às expectativas dos clientes. Trata-se de uma realidade muito semelhante ao varejo, porém possui algumas particularidades. Em especial, a necessidade de garantir a entrega a consumidores localizados distantes.

Além disso, os e-commerces ainda podem utilizar algumas estratégias diferenciadas no gerenciamento do supply chain – como os conceitos de dark store (com grandes armazéns que permitem a retirada presencial) ou dropshipping (quando o fornecedor fica responsável pela entrega direta ao cliente – sem passar pelo e-commerce).

Supply chain para o consumidor final

Por fim, todo o gerenciamento do supply chain permite o atendimento ao cliente mais eficiente e eficaz. Os clientes recebem seus produtos rapidamente e conforme prometido – tanto em compras B2B quanto B2C (presenciais ou à distância).

Utilizando novamente o exemplo da mercearia que compra tomates de um agricultor local, essa alternativa permite que o produto chegue às prateleiras mais fresco e menos danificado do que se viajasse por um fornecedor terceirizado antes de chegar às prateleiras – elevando a experiência do cliente.

No fim das contas, todas as peças do supply chain podem sair ganhando com um bom gerenciamento. Na medida que as parcerias são desenvolvidas, todas empresas podem aumentar suas operações de forma sustentável – gerando a satisfação dos consumidores finais.

Você já conhecia a importância do supply chain? Quer aprender mais sobre as tendências para a logística? Então baixe o e-book: Tendências para a Logística: Logística Lean, Logística 4.0 e a transformação digital.