Em vez de ler, que tal ouvir?

End to end é o termo em inglês comumente usado para descrever uma cadeia de ponta a ponta. Ele remete a uma estratégia de gestão que entende o todo de uma cadeia, na qual são aplicados métodos e ações de eficiência em todas as etapas.

Na logística, o conceito de cadeia end to end é aplicado para garantir integração — todos os processos são interligados e as atividades de todos os envolvidos são alinhadas. Claramente, o objetivo é organizar a colaboratividade e conferir ritmo e eficácia à toda a operação de maneira coordenada, estratégica.

Parece simples, mas é bastante complexo. Por isso, trazemos, neste artigo, uma reflexão aprofundada sobre o tema.

Continue lendo para entender o que é uma cadeia end to end, como ela está relacionada à sustentabilidade na operação logística e que passos devem ser dados para alcançá-la em sua empresa!

Em detalhes, o que é uma cadeia end to end?

Em linhas gerais, quando pensamos em cadeias, estamos visualizando um conjunto de atividades e processos que devem ser seguidos para o funcionamento de uma operação. Há, neste encadeamento, diversos pontos a serem planejados, executados e gerenciados.

O desafio maior de uma cadeia logística, normalmente, é coordenar com eficiência as diferentes entidades envolvidas. Isso vai desde os departamentos internos até os fornecedores de transporte, por exemplo.

É dessa complexidade toda que surgiu o conceito de cadeia end to end. Conforme já adiantamos — e aqui vamos detalhar um pouco mais —, trata-se da ideia de operação e gestão administrados de maneira eficaz de ponta a ponta. Ou seja, do controle total de todos os pontos/estágios ou etapas da cadeia.

Quanto maior for a empresa, maior e mais complexa é sua cadeia logística. Ela envolve o próprio time, mas também fornecedores, prestadores de serviços, clientes etc. A ideia do end to end é coordenar tudo de maneira eficiente, garantindo boas práticas de ponta a ponta e permitindo total controle por parte dos gestores.

Contudo, isso não significa excesso de centralização — que acabaria por minar a eficácia das operações. Pelo contrário, visa a implementação de processos e seus devidos controles estratégicos em todos os pontos, para evitar desencontros e prejuízos à qualidade dos serviços, entre outros gargalos.

Para fins de exemplificação, aqui estão alguns princípios de uma cadeia logística end to end:

  • gerenciamento rigoroso de estoques para eliminar desperdícios (incluindo estoque desnecessário) e reduzir atividades sem valor agregado. Dessa forma, reduz-se os prazos de entrega e erros de atendimento de pedidos. O que resulta em melhores percepções do cliente quanto à capacidade de resposta organizacional.

  • previsibilidade e planejamento de demandas — uso do histórico de pedidos dos clientes, análises de mercado, conhecimentos de sazonalidade, cenários competitivos e outros fatores para entender as necessidades do mercado de maneira mais previsível e estável.

  • planejamento e gerenciamento de ativos de capital humano — avaliação contínua da capacidade da força de trabalho atual em resposta aos planos estratégicos, com foco nas competências essenciais e vantagens estratégicas da organização.

  • automatização da roteirização de entregas, entre outros processos, tornando todo o planejamento de distribuição mais eficiente. Isso poupa tempo dos gestores, analistas e operadores; e evita erros que podem se transformar em atrasos, insatisfações, devoluções, gastos extras etc.

Assista o MáximaCast #61 e saiba como realizar o acompanhamento das suas entregas com e sem integração com ERP.

Em suma, uma cadeia end to end resulta em processos mais alinhados e ágeis, decisões mais acertadas, entre outros benefícios tanto para um determinado departamento quanto para a empresa como um todo.

Como o conceito end to end torna a logística mais sustentável?

No que diz respeito à sustentabilidade como esforço de menor impacto social e ambiental, também uma cadeia end to end contribui muito.

Essa estratégia garante que a empresa seja de fato sustentável, pois eleva seu controle em todos os pontos da cadeia logística — uma das que mais têm contato com o mundo para além das “quatro paredes” do negócio.

A complexidade da cadeia logística é bastante desafiadora para os esforços de sustentabilidade. Contudo, como a sistematização das operações está cada dia mais facilitada pela tecnologia, esse objetivo tende a ficar cada vez mais fácil de ser alcançado.

Ao implementar o conceito de end to end a partir da logística, a empresa garante que todos os envolvidos na cadeia vão seguir os mesmos princípios. Passa a ter meios de avaliar a execução das boas práticas — além de ser um hub centralizador que ajuda fornecedores, parceiros e outros atores externos a levar a sustentabilidade a cabo.

Isso se inicia na escolha dos agentes externos com o qual a empresa vai trabalhar, mas também no auxílio para que todos se adaptem. Envolve, logicamente, poder de convencimento e esforços para que todos os pontos da cadeia logística se engajem na missão.

Um meio de se convencer fornecedores e clientes, por exemplo, a adotar medidas de sustentabilidade é mostrar-lhes como isso é um valor cada vez mais apreciado pelos consumidores. Particularmente, as gerações Millennials Z expressam altos níveis de interesse em ter uma vida mais saudável e sustentável — e são influenciadoras para as demais camadas da sociedade.

Aqui estão algumas ações que, se aplicadas ao longo da cadeia, tornam as operações logísticas mais sustentáveis:

  • monitoramento de entregas visando reduzir desperdícios e quebras;

  • melhor aproveitamento de veículos e outros modais de transporte — evitando que os caminhões voltem vazios, o que faria uma queima improdutiva de combustíveis;

  • priorização de transportadoras que investem em qualificação e benefícios aos seus funcionários, bem como em práticas sustentáveis para o meio ambiente;

  • execução de uma logística reversa eficiente, considerando os impactos das devoluções para além dos prejuízos financeiros; etc.

→ Leia também: Logística Verde: o que é e como otimizar entregas para reduzir impactos ambientais!

Como o conceito de cadeia end to end está relacionado à eficácia da logística?

Quando se trata da eficácia da cadeia logística, o conceito de end to end tem se mostrado cada vez mais necessário. Ele é apontado pelos especialistas mais modernos como um dos grandes responsáveis pela competência desta área fundamental para os negócios.

Ao aplicar uma cadeia end to end, os gestores e operadores logísticos obtêm muitos benefícios. Entre os mais significativos, destacamos os seguintes:

  • ganhos de eficiência operacional: a integração e a automatização de tarefas repetitivas torna a operação mais eficiente, mais produtiva e com melhores retornos financeiros;

  • redução de custos: o controle centralizado de processos melhora a precisão e facilita o intercâmbio de informações ao longo da cadeia, facilitando a redução de desperdícios e um melhor aproveitamento dos recursos.

  • gestão mais orientada por dados: as decisões se tornam mais amparadas em informações reais; os gestores dispõem de maior capacidade analítica e podem agir com mais antecipação;

  • facilidade para detecção e resolução de problemas: os gargalos não desaparecem, mas ficam mais visíveis; e os gestores podem resolvê-los com tempo hábil;

  • maior fluidez na operação: todos os envolvidos seguem práticas previamente planejadas, o que lhes dá mais autonomia — menos dependência do olhar contínuo de um “poder central”;

  • melhorias no relacionamento com fornecedores e parceiros estratégicos: o ganho se estende para além da empresa, pois a integração e o intercâmbio de ações e informações leva inteligência a todos os envolvidos na cadeia logística. Isso gera mais confiança, além de ganhos financeiros que resultam da logística end to end;

  • maior visibilidade da área e do negócio: um olhar realmente panorâmico se torna factível, pois tudo está devidamente integrado e monitorado em tempo real. Isso dá aos gestores logísticos mais insumos para uma atuação realmente alinhada aos objetivos estratégicos do negócio ao mesmo tempo em que passam a ser fornecedores de informações para outras áreas (comercial, marketing etc.).

Como estruturar uma cadeia logística end to end?

Se você leu até aqui, talvez esteja pensando em como uma cadeia logística end to end pode ser custosa. Este é o tipo de novidade que os gestores tendem a imaginar altos investimentos, mas não é bem assim.

O esforço maior é envolver todos os pontos da cadeia logística, e estruturar mecanismos de controle das boas práticas. Conforme já apontamos, isso é cada vez mais simples à medida que as empresas sistematizam suas operações, estruturando processos e acompanhando o dia a dia operacional por meio de soluções tecnológicas.

A partir de um planejamento bem realizado, o passo seguinte é sensibilizar a equipe interna e propor ajustes aos agentes externos. A partir disso, as novas parcerias que surgirem já são firmadas com fornecedores e clientes (especialmente nas negociações B2B) comprometidos com a estratégia.

É importante, por exemplo, colocar em prática o conceito de Logística 4.0 que, em poucas palavras, é aquela na qual toda a cadeia está conectada: fabricantes, distribuidores, varejo, clientes finais e assim por diante. Ela está permeada pela tecnologia e, ao mesmo tempo, plenamente atualizada com as necessidades de sustentabilidade, entre outros desafios modernos.

→ No vídeo a seguir, confira uma explicação prática sobre a Logística 4.0:

Conclusão

A abordagem end to end pode e deve se tornar estratégica nas empresas do segmento atacado distribuidor. A participação dessas organizações no mercado não para de crescer e, com isso, também aumentam os desafios e as responsabilidades.

Ao estruturar uma cadeia logística end to end, além dos ganhos flagrantes para o próprio negócio, também é possível viabilizar os esforços de sustentabilidade. Isso porque há um maior controle de todos os pontos da cadeia, facilitando a garantia de que as melhores práticas serão aplicadas de ponta a ponta.

Na sua empresa, o conceito end to end já permeia a operação logística? O que você achou da reflexão que trouxemos neste artigo? Clique aqui e avalie agora a eficácia da logística de entrega do seu atacado distribuidor!