e-commerce b2b eis o futuro do atacado distribuidor

Em vez de ler, que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo:

Se você é um atacadista distribuidor e deseja expandir seus negócios, é provável que o e-commerce B2B já faça parte do seu modelo de negócios atual ou logo fará.

Isso mesmo, as transações online entre empresas prometem ser o futuro do atacado, no Brasil e no mundo, e é importante que os empresários do ramo estejam atentos a este movimento e tenham uma estratégia clara para melhor aproveitá-lo!

Sobre isso, vamos ajudá-lo a refletir ao longo deste artigo. Continue lendo para entender porque investir no comércio virtual B2B!

A definição de e-commerce B2B

Para entender o que é e-commerce, é útil dividir o conceito nas duas partes que o compõem: o B2B, ou business-to-business, e o e-commerce. Quando você pensa dessa maneira, a definição de e-commerce B2B pode ser bastante ampla.

A indústria automotiva é um ótimo exemplo de um ecossistema de relacionamentos B2B complexos. Dentro do setor automotivo, há uma enorme cadeia de suprimentos que representa empresas que fazem de tudo, desde o fornecimento das matérias-primas iniciais (metais, vidro, borracha etc.) até a fabricação não apenas do próprio carro, mas de todas as suas partes (rádios para faróis, sistemas de computador e muito mais).

A cadeia de suprimentos pode incluir centenas de empresas e relacionamentos com clientes B2B para produzir um único carro que será vendido ao consumidor final. O componente e-commerce diz respeito a todos esses diferentes tipos de empresas usando a Internet para fechar negócios e gerenciar relacionamentos uns com os outros.

→ Neste vídeo, conheça os benefícios do e-commerce B2B aos atacadistas distribuidores:

— Leia também: E-commerce B2B e B2C: necessidades e diferenças estratégicas!

O crescimento do e-commerce B2B

Qual é o maior indicador de que o e-commerce B2B veio para ficar? Algumas das maiores marcas ao redor do mundo estão investindo nessa solução. Comecemos por discutir uma empresa cujo nome é praticamente sinônimo de e-commerce: Alibaba.

Ela não é apenas varejista, mas também atacadista online. Em 2014, após implementar a solução, a Alibaba comunicou um aumento de 11,8% da receita proveniente de atacado. Não é tão impressionante até que você faça a matemática e perceba que, para eles, mesmo um insignificante 11,8% é igual a 1 bilhão de dólares.

A empresa aproveitou a oportunidade, se tornando líder no atual espaço de comércio eletrônico, e sua participação e inovação na indústria está movendo o e-commerce B2B para a frente.

Em seguida, vamos dar uma analisada na loja de móveis Ikea, que não é um atacadista, mas é uma das maiores do ramo no mundo. Eles mudaram recentemente sua estratégia para incluir um foco mais forte no e-commerce. O CEO, Peter Agnefjaell, disse que gostaria que 10% da receita total da empresa ficasse online até 2020.

Vale lembrar que esse objetivo é de uma organização cuja estratégia é baseada em permitir que os clientes experimentem seus produtos pessoalmente, uma marca com grandes lojas cheias de móveis para tocar e sentir. Ou seja, se a Ikea, que é uma empresa fundada no físico, achou necessário e importante desenvolver seu canal de vendas online, é uma boa indicação de que toda essa questão de comércio eletrônico é, realmente, séria.

A edição de 2018 do relatório B2B E-Commerce 300, produzido pelo Gorilla Group, lista algumas das maiores empresas do mundo como usuários do comércio eletrônico B2B, e um número crescente de pequenas empresas também está se beneficiando disso. O estudo mostra que, naquele ano, foram movimentados mais de 10 bilhões de dólares em negócios de empresas para empresas, usando a internet como único canal.

Quando os grandes estão dedicando tempo e recursos para o e-commerce B2B ou B2C, essa migração se torna, oficialmente, mais do que apenas uma moda passageira.

O e-commerce B2B entre os pequenos negócios

E não são apenas grandes empresas que estão abraçando o comércio eletrônico, seja no varejo ou no atacado. Empresas de todos os tamanhos sabem que existe uma crescente demanda para que o B2B se torne mais como as vendas B2C quando se trata de compras e flexibilidade.

O que se vê consistentemente é uma demanda de compradores por atacado desejando uma experiência mais “semelhante a varejo”. Os varejistas, muitas vezes, tendem a gastar mais e a ter uma experiência mais agradável ao colocar seus pedidos por atacado distribuidor online. É como fazer compras pela internet para sua loja — e quem não gosta de fazer compras online?

→ Neste vídeo, por que atuar com venda direta no atacado distribuidor:

O e-commerce B2B tem o melhor custo benefício

Há custos mínimos para ter um e-commerce B2B. Além do investimento inicial em software e, possivelmente, mais alguns computadores e dispositivos móveis para sua empresa, ficar online não vai custar muito. E não é sobre o que vai custar, mas sobre quanto dinheiro você vai economizar e quanto mais poderá fazer.

De acordo com um relatório da eConsultancy, as empresas pesquisadas viram um aumento de 44% no valor médio dos pedidos ao implantar um e-commerce B2B. A metade dessas empresas também reduziu os custos de suporte e aquisição.

O mesmo relatório descobriu que quanto mais canais disponíveis para os clientes, mais eles gastam e mais leais permanecem. Ou seja, quaisquer custos que incorrerão no começo serão pagos por si mesmos de forma rápida e fácil.

— Leia também: Atacado Online: 5 estratégias para aumentar as vendas!

Problemas que o e-commerce B2B soluciona no atacado distribuidor

Soluções tecnológicas, como o maxB2B da Máxima, ajudam atacados distribuidores a solucionarem diversos problemas junto a sua força de vendas, e por vários meios:

– Elimina a dependência do vendedor externo ou RCA para executar a venda;

– Possibilita que ordens sejam realizadas 24 horas por dia, 7 dias por semana;

– Quebra as barreiras impostas pela área de atendimento de cada vendedor;

– Agiliza e automatiza compras recorrentes;

– Permite fazer definições de compra por cliente;

– Marketing direto de produtos e promoções exclusivas.

→ Neste vídeo, confira 5 dores do atacado distribuidor resolvidas pelo e-commerce B2B:

— Leia também: Plataforma B2B: problemas do atacado distribuidor que o e-commerce resolve!

Conheça nossa solução e veja agora mesmo com essa tecnologia pode ajudar o atacado distribuidor a aumentar suas vendas com uma boa estratégia de e-commerce B2B! Até a próxima!