,

7 dicas para otimizar o transporte de carga

Otimizar o transporte de carga é sempre um desafio, e implementar melhorias por menores que elas pareçam é essencial.

Essa é, aliás, uma demanda cada vez mais recorrente dentro da gestão logística das empresas. As lideranças e as equipes envolvidas nessa operação estão sempre sob pressão e podem agir de maneira propositiva, estratégica.

Sobre isso, vamos te ajudar a refletir ao longo deste artigo.

Continue lendo para rememorar o conceito de gestão de transporte de carga, entender por que otimizá-la é fundamental e conferir dicas de como fazer isso agora mesmo! 

O que é gestão de transporte de carga?

A gestão do transporte de carga inclui várias estratégias para aumentar a eficiência do transporte de mercadorias, da origem até o destino. Ela visa estabelecer diretrizes claras e manter a qualidade dos processos e serviços dentro dessa área, que normalmente fica dentro do departamento de logística das empresas.   

Abaixo estão exemplos de atividades frequentes da gestão de transporte de carga: 

  • Proporcionar condições e incentivar o uso modais eficientes de transporte, seguindo os objetivos estratégicos do negócio.  
  • Melhorar a infraestrutura e os serviços de transporte para tornar esses modais mais competitivos com o transporte rodoviário. Por exemplo, ao reduzir os custos de envio, isso pode aumentar os volumes totais de tráfego de cargas, sem comprometer as margens de lucro
  • Melhorar a programação e roteamento para reduzir a quilometragem do veículo de carga e aumentar os fatores de carga. Isso pode ser feito por meio de maior informatização e coordenação entre os distribuidores. 
  • Organizar sistemas regionais de entrega para que menos viagens de veículos sejam necessárias para distribuir mercadorias. Por exemplo, usando transportadoras comuns que consolidam cargas, em vez de frotas próprias. 
  • Reduzir o transporte total de carga, diminuindo os volumes de produtos e embalagens desnecessárias.  
  • Utilizar veículos menores para distribuição em áreas urbanas. 
  • Controlar os gastos com combustíveis, por meio de estratégias mais eficientes de roteirização das entregas.  
  • Alterar os prazos de entrega de mercadorias para reduzir atrasos e, assim, evitar impactos negativos na satisfação do cliente. 
  • E muito, muito mais.  

→ Neste vídeo, confira algumas dicas para vencer os maiores desafios da gestão de transporte:

Qual a importância de otimizar o transporte de carga?

São muitos os desafios enfrentados cotidianamente pelos gestores de transporte de carga e suas equipes. Entre eles, os mais destacados são: 

  • disponibilidade limitada de modais: normalmente ligado a políticas públicas que priorizam ou incentivam mais um modal, como é o caso do Brasil onde mais de 60% do volume total de cargas é movimentado por via ferroviária.  
  • restrições de movimentação de veículos nas áreas urbanas: é preciso conhecer bem os itinerários para traçar as melhores rotas, evitando congestionamentos, estradas com problemas etc. 
  • riscos altos de roubos e furtos: 62,5% dos transportadores rodoviários de cargas entrevistados pela Confederação Nacional de Transporte (CNT) apontam essa como uma das suas maiores preocupações. E em 2021 mais de R$ 389 milhões foram perdidos somente no estado do Rio de Janeiro com esse tipo de crime, segundo levantamento da Firjan.
  • responsabilidade socioambiental: cada vez mais, a gestão de transporte de carga é convidada a participar de iniciativas para tornar as empresas mais comprometidas com a sociedade e o meio ambiente.  

→ Leia também: Logística sustentável para o atacado distribuidor

Diante disso, otimizar o transporte de cargas é uma preocupação constante das organizações. Tanto das que assumem totalmente sua logística, com frota própria, quanto das que contratam transportadores terceirizados.

E isso falando em termos técnicos e administrativos, mas também estratégicos: é preciso contar com tecnologia para tornar os processos mais rastreáveis e controláveis, além de poder mensurar resultados quantitativa e qualitativamente com alta precisão. 

→ Leia também: Guia para aumentar a produtividade da frota de veículos.  

Como o transporte de carga influencia nos custos de entrega?

Há uma estreita relação entre a eficiência da gestão de transporte e o controle dos custos, especialmente quando falamos dos gastos com entrega ao cliente

Isso tem muito a ver com a velocidade esperada pelos compradores (ou pelos centros e canais de distribuição, que, por sua vez, também estão sob pressão para fazer entregas ágeis e eficientes). Ao mesmo tempo, o mercado exige preços competitivos, pois a concorrência não para de se sofisticar. 

Além disso, a própria empresa precisa controlar seus custos para garantir lucratividade sem abrir mão da qualidade entregue ao mercado.

E aqui estamos falando de custos como a somatória de todos os gastos: desde a retirada da mercadoria no armazém até o momento em que o cliente a recebe. Na maioria dos casos, eles são compostos por equipe, energia elétrica, recursos de tecnologia, equipamentos, frete, entre outros.

Muitas vezes, os problemas estão no modal de transporte escolhido. Outras, a própria operação está gerando desperdícios por falta de ajustes de processos, por exemplo.

Em suma, é preciso aliar a rapidez e a segurança das cargas com um custo mínimo. Sem malabarismos, com planejamento e ações bem estruturadas.

→ Ouça. Neste episódio do MáximaCast, debatemos as principais técnicas e atividades para a redução de gastos logísticos.

7 dicas de como otimizar o transporte de cargas

Confira, a seguir, alguns ajustes que você pode fazer na gestão de transporte de cargas para otimizá-la e potencializar os resultados do seu negócio em curto, médio e longo prazo!

1. Melhore o planejamento da área

Um passo inicial bastante indicado é revisar o planejamento estratégico da área de transporte de carga. Como ela costuma estar sob o guarda-chuva do departamento de logística, um olhar mais direcionado pode revelar a necessidade de ajustes.

Do organograma ao fluxo de atividades (processos), passando por distribuição de responsabilidades, métricas e indicadores de desempenho. Reavaliar tudo isso periodicamente é muito importante. 

2. Controle os gastos para evitar desperdícios  

Os custos fixos e variáveis também devem ser uma preocupação do gestor de transporte de carga. Especialmente os variáveis, sempre podem ser reduzidos e, em alguns casos, até cortados.

Nesta atividade, os profissionais da área financeira podem contribuir muito. Convidá-los a sentar e rever tudo o que é gasto com transporte pode ser bastante útil, inclusive porque eles podem dar sugestões que nem sempre são vistas por quem está envolvido no dia a dia operacional.  

Neste caso, também vale a pena fazer benchmarking com outras empresas (parceiros de negócio, essencialmente). Eles normalmente trazem insights e compartilham suas ações para o controle de custos que, bem aproveitados, podem muito bem ser implementados na empresa. 

→ Leia também:

3. Crie uma estratégia de gerenciamento de riscos

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já obriga as empresas de transporte de cargas a fazerem um mapa de riscos. 

Contudo, é preciso ir além e traçar planos de ação para prevenir riscos como roubos, furtos, extravios, avarias, multas, infrações de leis e por aí vai. 

→ Leia também: Movimentação de cargas: como reduzir avarias e atrasos.

4. Treine e equipe o time de condutores

Reciclar os treinamentos aos condutores também entra no esforço de otimizar o transporte de carga. É muito importante que os profissionais sejam sempre recordados do que podem fazer, em termos técnicos e também éticos em seu dia a dia laboral.

Outra coisa que não pode faltar é entregar aos condutores equipamentos e aplicações que facilitem seu trabalho. Além de monitorar as atividades, obviamente sem infringir as normas que regem sobre as relações trabalhistas — vide a Lei do Motorista

→ Leia também: 4 ações para melhor controlar a jornada dos motoristas

→ Neste vídeo, veja algumas dicas para melhor organizar as mercadorias nos caminhões:

5. Se for o caso, avalie e estabeleça standards de qualidade para transportadores terceirizados

Se a empresa conta com transportadores contratados, é importante avaliar o relacionamento com esses prestadores de serviços. Muitas vezes, isso significa rever os acordos e estabelecer normas de conduta, limites.

Vale dar uma atenção especial à qualidade: ela é percebida pelo cliente não como algo de responsabilidade da transportadora terceirizada, mas sim da empresa com quem eles negociaram. Estabelecer padrões a serem cumpridos pelos transportadores terceirizados é fundamental.  

→ Confira, neste episódio do MáximaCast, um debate sobre o novo modelo de documentos obrigatórios para o transporte de carga em 2022:

6. Avalie constantemente os resultados

Outra iniciativa de otimização do transporte de carga é a mensuração de resultados. É a partir dela que é possível conhecer a performance da área de maneira objetiva, sem suposições. 

A partir da avaliação periódica dos resultados é mais fácil identificar problemas e desvios de processos, entre outros gargalos.

Basicamente, deve-se verificar os processos-chave que influenciam diretamente os resultados operacionais e financeiros. Em seguida, estabelecer métricas e indicadores de desempenho para medir quantitativa e qualitativamente.

Com frequência, essas são as medidas mais urgentes a serem avaliadas: 

  • volume de entregas realizadas; 
  • prazo médio de entrega; 
  • índice de satisfação do cliente com as entregas; 
  • porcentagem de atrasos de entrega; etc. 

7. Adote a tecnologia para uma gestão mais orientada por dados

Por fim, mas tão ou mais importante, é preciso implementar a tecnologia no esforço de otimização de transporte de carga. Isso torna os processos e estratégias mais inteligentes e orientados por dados — que facilitam tomadas de decisão, obtenção de insights acionáveis, controle preciso e muito mais. 

Com um bom sistema de gestão logística, por exemplo, é possível controlar questões como consumo de combustível e manutenção de frota, planejamento de cargas e rotas, roteirização de entregas, entre outras.

Ao inserir a tecnologia na gestão de transporte, a empresa garante que seus colaboradores vão seguir processos bem definidos e terão mais tempo para se dedicar a uma atuação mais analítica e estratégica e menos operacional.

→ Leia também:

Resumindo: o transporte de cargas deve ser tratado de maneira mais estratégica

Como vimos, a gestão de transporte de cargas deve sempre ser revisada e melhorada. Isso porque ela tem uma participação vital nos resultados das empresas, o que inclui o controle efetivo de custos, as margens de lucro e a própria reputação do negócio.

Otimizá-la significa debruçar-se sobre os fluxos de atividades, implementar mudanças nos processos, gerenciar preventivamente os riscos e adotar a tecnologia. Esta, aliás, é uma prerrogativa fundamental, uma vez que os negócios agora precisam ser gerenciados por meio de dados; sob o risco de se tornarem atrasados diante de uma concorrência ávida por ganho de mercado, além de clientes mais exigentes.

Como está a gestão de transporte de carga na sua empresa? Você gostou da reflexão e das dicas que trouxemos neste texto? Deixe-nos seu comentário!

Para seguir aprendendo sobre o tema do transporte de carga, além de explorar os demais artigos do blog, você pode baixar a planilha para calcular custos com a frota e reduzir despesas!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments