,

Segurança no transporte de cargas: como o planejamento de rotas ajuda?

segurança no transporte de carga

Em vez de ler, que tal ouvir?

A segurança no transporte de cargas é um desafio constante para os gestores e operadores logísticos em uma transportadora. Ela envolve diversos fatores para garantir que as mercadorias se mantenham seguras durante todo o caminho.

No entanto, para que seja alcançada, ela deve ser contemplada já no planejamento de rotas. Isso porque trata-se de um resultado obtido por meio de uma abordagem estratégica, ou seja, com métodos e práticas bem estruturadas.

Neste artigo, além de entender onde a segurança entra no planejamento de rotas, você vai ter dicas de como otimizá-la.

Acompanhe!

Qual a importância do planejamento de rotas?

O planejamento da rota de entrega é definido como o processo de selecionar os melhores trajetos possíveis, alcançando assim o máximo de pontos de entrega. Isso também inclui evitar áreas de tráfego intenso ou com defasagens de infraestrutura, por exemplo. Em outras palavras, é encontrar a rota mais eficiente e econômica entre A e B.

Também é correto dizer que o planejamento de rotas é uma das principais atividades do processo logístico. Afinal, quanto mais bem executado, maior será a eficiência alcançada, inclusive no que diz respeito aos custos.

Bem realizado, esse planejamento ajuda a garantir que as entregas aos clientes, bem como qualquer outra movimentação de mercadoria, serão menos dispendiosas e mais eficientes.

Basicamente, os benefícios do bom planejamento de rotas são os seguintes:

  • redução dos custos com combustíveis, entre outros;
  • maior previsibilidade de entregas em cada trajeto;
  • maior agilidade no atendimento aos clientes, cada vez mais exigentes e acostumados a entregas rápidas e eficientes;
  • redução de problemas como avarias e quebras;
  • facilidade de obtenção de informações em tempo real;
  • ganho de produtividade para os condutores, mas também para outros profissionais da operação logística;
  • aumento da segurança no transporte de cargas.

Como o planejamento de rotas pode te ajudar na segurança no transporte de cargas?

No que diz respeito à segurança no transporte de cargas, o planejamento de rotas também ajuda muito. Por exemplo, por meio dele, evitam-se os trajetos com infraestrutura precária que poderiam causar acidentes, bem como as localidades com maior índice de criminalidade — o roubo de cargas é um grande problema brasileiro, especialmente em determinadas regiões, com destaque para o estado do Rio de Janeiro.

No sentido mais amplo do termo segurança, planejar bem as rotas também significa realizar monitoramentos em tempo real, ajudando a garantir que os condutores dos veículos cumpram com as regras estabelecidas pela empresa (velocidade, trajetos etc.), por exemplo.

Em resumo, o bom planejamento de rotas tem a segurança entre seus eixos. Nele são consideradas questões como: avaliação do índice de sinistralidade de estradas e vias; verificação de dimensões dos veículos; controle rígido de manutenções dos veículos, entre outras.

→ Leia também: Movimentação de cargas: como reduzir avarias e atrasos?

As estradas brasileiras nem sempre oferecem boas condições. Isso dificulta a entrega em vários aspectos e torna um desafio aumentar a eficiência do processo.

Mas existem algumas formas de conseguir se antecipar aos possíveis problemas das estradas e ter total controle das entregas.

Neste vídeo você verá algumas dicas para entregar mais e melhor. Confira!

https://www.youtube.com/watch?v=ztmjR97N1YI

Como melhorar a segurança no transporte de cargas?

Confira agora algumas maneiras de potencializar a segurança no transporte de cargas da sua empresa.

Faça um bom planejamento de rotas

Para garantir que o planejamento de rotas contemple a segurança no transporte, considere as seguintes questões:

  • avaliação do índice de sinistralidade e estradas e vias;
  • verificação de dimensões dos veículos, certificando que sejam compatíveis com o peso e volume da carga;
  • controle de manutenções, para ter certeza de que está tudo em dia para o tipo de viagem que será realizado, bem como o tamanho da carga etc;
  • identificação e determinação dos melhores horários para trafegar em cada região;
  • verificação de condições climáticas nos períodos das viagens.

Evite regiões perigosas

Também é preciso gerenciar ocorrências de acidentes, prever e mitigar perdas, calcular prejuízos e, principalmente, trabalhar a prevenção de acidentes.

Dentro disso, evitar que os trajetos a serem percorridos pelas cargas sejam de risco, tanto do ponto de vista de infraestrutura quanto de criminalidade.

Utilize o veículo apropriado para a carga

A escolha do tipo de transporte adequado envolve questões como agilidade, segurança na operação e custos. O equilíbrio destes três fatores pode determinar a garantia de alta qualidade sem elevação dos gastos.

E isso é importante tanto para as empresas que operam o transporte com frota própria quanto para as que terceirizam suas operações de transporte. Neste último caso, é preciso ser bastante rigoroso na escolha dos fornecedores, pois alguns podem aproveitar a falta de conhecimento dos gestores para cobrar valores de frete acima do “justo”.

Contrate seguro de carga

Também vale lembrar que uma carga que não esteja segurada pode se tornar uma grande dor de cabeça se houver algum acidente ou crime. Por isso, é importante prestar atenção na legislação relativa a isso, mas também nas boas práticas de segurança de cargas.

Dentro da estratégia de logística e transporte o seguro de cargas é preventivo, ele pode evitar grandes prejuízos financeiros.

Invista em softwares para monitoramento e rastreamento

A tecnologia também é uma grande aliada quando o tema é segurança no transporte de cargas. Dentro disso, uma boa escolha é contar com monitoramento dos veículos em tempo real e de maneira ininterrupta.

Idealmente, o software escolhido deve contemplar as informações e indicadores relativos aos percursos e às entregas feitas. Isso, além de garantir fácil rastreabilidade e até dar mais segurança aos condutores, também permite uma ação mais estratégica e reajustes dinâmicos, caso o processo de entrega necessite de uma mudança pontual na programação de rotas.

→ Confira o episódio do MáximaCast, onde nossos especialistas debatem os benefícios que a torre de controle logística traz para a logística.

https://open.spotify.com/episode/2P3HTNtp6tOL6t6GFYOxIQ?si=ac5f4ad49af54683

Faça manutenção dos veículos

As rotinas de manutenção precisam ser bem ajustadas, e seguir cronogramas rígidos para, entre outras coisas, elevar a segurança no transporte de cargas.

Elas devem ser realizadas em suas três frentes, preferentemente nesta ordem:

  • Preventiva — utilizada para evitar possíveis problemas;
  • Preditiva — antecipa qualquer acidente, com uma boa verificação de inspeção do equipamento;
  • Corretiva — este tipo não é planejado e gasta mais recursos para fazer reparos.

Realize treinamentos para condutores

Outro ponto que não pode ser esquecido é a capacitação dos condutores. Em todas as ações de treinamento e conscientização, a segurança no transporte de cargas deve estar presente.

Dessa forma, além de esclarecer dúvidas e tornar as regras bem claras, aumenta-se as chances de que os profissionais se sintam parte do esforço e se engajem neste tema. Idealmente, os treinamentos devem ser deliberativos, o que inclui, convidar os condutores para compartilhar suas experiências e intercambiar ideias para potencializar a segurança.

Otimize o processo logístico

Por fim, todos os tópicos que pontuamos até aqui acabam se tornando ações com pouca conexão se o processo logístico da empresa não estiver bem estruturado. Logo, é preciso revisitar todas as frentes da gestão logística para verificar em quais delas é possível fazer ajustes tendo a segurança no transporte de cargas como um objetivo a ser alcançado.

Deve-se, portanto, ter sempre em vista que a gestão logística é a governança das funções de gerenciamento da cadeia de suprimentos que ajuda as organizações a planejar, gerenciar e implementar processos para movimentar e armazenar mercadorias.

As atividades de gerenciamento de logística normalmente incluem gerenciamento de transporte de entrada e saída, gerenciamento de frota, armazenamento, manuseio de materiais, atendimento de pedidos, projeto de rede logística, controle de estoque, planejamento de oferta/demanda e gerenciamento de prestadores de serviços de logística terceirizados.

Conclusão

A segurança no transporte de cargas é uma preocupação constante das empresas, mas não significa que os gestores e demais profissionais envolvidos na logística precisem vê-la como uma constante dor de cabeça.

Se for inserida dentro do planejamento logístico, com especial atenção para a roteirização de cargas, a segurança se torna um eixo central que passa a ser resultado da estratégia.

Como vimos ao longo deste texto, algumas ações podem ser levadas a cabo para potencializar a segurança no transporte. Isso vai desde planejar as rotas evitando lugares perigosos até otimizar a gestão logística como um todo, passando por adotar a tecnologia para tornar tudo mais automatizado e livre de erros humanos.

Como estão os processos de segurança no transporte de cargas em sua empresa? O que você achou das dicas que trouxemos neste artigo? Deixe-nos seu comentário!

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments