imagem de um homem colocando caixasr atras de uma van

Em vez de ler, que tal ouvir?

Cadeia logística é o caminho que um produto percorre desde a indústria até o cliente. A ponta final dessa cadeia é o recebimento da mercadoria e, como o transporte é a atividade logística mais notada pelos clientes, as transportadoras costumam ser as mais responsabilizadas por problemas de atraso de entrega de produtos.

Porém, a execução dos processos na própria empresa também pode impactar no cumprimento dos prazos. É preciso entender quais são as causas do atraso de entrega, e a partir daí focar na sua resolução. Afinal, esse atraso gera frustração no consumidor, o que implica negativamente na reputação da marca.

Conheça, a seguir, as principais causas de atraso de entrega e dicas para a sua empresa evitar esse problema.

Leia mais

Imagem de uma mulher em frente ao computador em uma videoconferencia


Em vez de ler que tal ouvir este artigo?

 

Fornecedores confiáveis estão na base de qualquer cadeia de suprimentos bem-sucedida. Encontrá-los pode ser difícil, mas manter um bom relacionamento com fornecedores é mais importante do que nunca. O problema é que muitas organizações abordam seus fornecedores com a mentalidade errada.

Diversos gestores acreditam que devem ter todo o poder, ou que o relacionamento deve ser puramente comercial. Porém, nenhuma dessas coisas contribui para um relacionamento de longo prazo ideal. Aqui estão algumas dicas para estabelecer um bom relacionamento com fornecedores!

Leia mais

Imagem de uma pessoa mexendo em seu tablet dentro de um supermercado

 

Em vez de ler que tal ouvir este artigo?

 

Criar um sistema para atacado distribuidor é um projeto bastante complexo, técnica e orçamentariamente falando. Isso porque é preciso fazer grandes investimentos em pessoal de desenvolvimento qualificado, controlar custos, esperar por longas fases de teste, etc.

Agora, você já parou para pensar em tudo que envolve essa iniciativa? Já refletiu em profundidade sobre o tema? Nós queremos te ajudar a fazer isso ao longo deste artigo.

Continue lendo para entender qual é a melhor solução para o seu caso!

Leia mais
Imagem de um homem de costas olhando para a frota

Em vez de ler, que tal ouvir?

A gestão de ocorrências está intimamente ligada à dinâmica nem sempre linear das empresas. Afinal, surpresas previsíveis e imprevisíveis, além de eventos que já estão minimamente calculados, podem acontecer; é preciso lidar com isso de maneira estratégica.

Aliás, quanto melhor as ocorrências forem administradas, menores serão as dores de cabeça. Inclusive em termos financeiros, pois há situações em que o faturamento, a lucratividade, enfim, a receita corporativa pode ser comprometida.

Com isso em mente, te convidamos a seguir lendo este artigo. Aqui você vai ver: 

  • o que é gestão de ocorrência e como ela se aplica na logística; 
  • quais são as situações comuns na logística que precisam ser geridas estrategicamente nos moldes da gestão de ocorrência; 
  • o que fazer para estruturar a gestão de ocorrências na área logística do seu negócio; 
  • e muito mais! 

Leia mais

imagem superior de várias vans
Imagem superior de várias vans

Em vez de ler, que tal ouvir?

As discussões sobre logística verde e sustentabilidade não são novas, mas estão ganhando força nas últimas décadas. Desde 1972, quando foi realizada a primeira conferência ambiental da Organização das Nações Unidas (ONU), vários acordos internacionais foram fechados com o objetivo de preservar a natureza e reduzir a emissão dos gases do efeito estufa.

Leia mais
Imagem de uma pessoa mexendo no tablet dentro de um supermercado

Em vez de ler, que tal ouvir?

 

A coleta de dados no PDV é a melhor forma de descobrir as bases para traçar uma estratégia assertiva e precisa – e, assim, conquistar os objetivos do negócio.

De fato, é importante relacionar as informações e entender seus contextos para avaliar as situações do ponto de vendas e, dessa forma, as ações de trade marketing serem bem-sucedidas.

Graças às informações, a empresa conhece seus clientes e pode antecipar seus desejos e criar ofertas personalizadas.

Quando os dados são coletados no ponto de venda, os padrões começam a surgir e ser compreendidos. No entanto, eles nem sempre atendem às expectativas dos analistas. Leia mais

Imagem de uma mulher falando ao celular
Imagem de uma mulher falando no celular

Em vez de ler, que tal ouvir?

Tão importante quanto conseguir um novo cliente, é pensar em formas de fidelizá-lo, e uma estratégia pós-vendas pode ser uma grande aliada para atingir esse objetivo. Na prática, isso significa encontrar formas de estreitar o relacionamento com os clientes e trabalhar para melhorar a experiência dele com sua marca.

Certamente, isso pode trazer uma série de benefícios para o negócio, já que o cliente se sente ouvido e consegue ter suas necessidades e demandas atendidas com mais agilidade e assertividade.

Isso pode ser feito de algumas formas, como, por exemplo, com orientações sobre instalação e manutenção no caso de venda de equipamentos, ou mesmo fazendo pesquisas de satisfação sobre o produto ou serviço adquirido.

Afinal, é importante trabalhar uma boa abordagem de vendas, e mostrar que a empresa se preocupa com o cliente mesmo depois de finalizar a negociação.

Assista ao video abaixo e descubra o fluxo de venda do seu cliente

Se você é um gestor de vendas, acompanhe para saber mais sobre os benefícios de ter uma excelente estratégia pós-vendas.

O que é o pós-venda?

A estratégia pós-vendas é o conjunto de ações feito com o consumidor, depois que ele realiza uma compra de um produto ou serviço. Podemos dizer que o principal objetivo é proporcionar uma melhor e mais completa experiência para cada consumidor.

Por esse motivo, as atividades do time de vendas não devem terminar após o fechamento da negociação. Após esse momento, é hora de consolidar a relação do cliente com a marca.

Portanto, é de suma importância que o time conheça bem os produtos e serviços da empresa, bem como o perfil do cliente, para que estas ações sejam assertivas e consigam antecipar as necessidades e demandas desse consumidor.

É fundamental que o comprador não se sinta esquecido depois de adquirir seu produto ou serviço, e esse é um dos erros comuns entre os gestores de vendas. Uma estratégia pós-vendas aumenta muito as chances de o cliente se sentir acolhido e, consequentemente, fiel à marca.

Nesse sentido, é possível entender o quanto esse trabalho é essencial para garantir o crescimento e o sucesso de um negócio.

Por que a estratégia pós-vendas é importante?

Listamos alguns motivos que ilustram a importância de ter uma boa estratégia pós-vendas:

  • Consolidar o vínculo entre a empresa e o consumidor final;
  • Trabalhar em melhorar a experiência do cliente;
  • Fidelizar os clientes;
  • Aumento do nível de confiança da marca;
  • Aumento da chance do consumidor indicar os produtos ou serviços para amigos e parentes (marketing de indicação).

Quando a estratégia pós-vendas é assertiva, os laços entre o cliente e a marca ficam mais estreitos, e é possível entregar mais valor ao produto ou serviço que foi adquirido.

Isso certamente fará com que a experiência do cliente seja muito melhor, pensando que o time de vendas vai manter o contato com o consumidor para tirar todas as dúvidas e atender suas necessidades específicas.

Um cliente satisfeito tem grandes chances de se tornar fiel, confiar na empresa e ainda indicar para parentes e amigos.

Diante desse cenário, conseguimos entender o porquê é fundamental pensar em uma estratégia de pós-vendas, e, além disso, ter formas de estar em constante monitoramento, para colher os melhores frutos dessa tática.

Qual é o melhor método para aplicar o pós-venda?

Existem algumas formas de fazer uma estratégia pós-vendas. Vamos falar de alguns métodos.

Follow up

Esta é uma maneira de estar sempre presente no dia a dia do consumidor. É possível utilizar o follow up para agradecer a compra, esclarecer dúvidas sobre o produto ou serviço, fazer uma pesquisa de satisfação ou até mesmo oferecer brindes e descontos. Exemplificando, essa é uma forma de reativar clientes antigos.

Programas de fidelização

Essa estratégia pós-vendas tem como foco estimular o cliente a ser fiel à sua marca. É possível fazer um programa de pontuação e oferecer descontos exclusivos para os clientes mais assíduos do negócio.

Upsell e cross sell

Estas estratégias buscam complementar a experiência do cliente com sua empresa, oferecendo produtos adicionais ou mesmo melhores do que o que foi adquirido, ajudando a agregar mais valor à compra.

Datas comemorativas ou lançamento de novos produtos

Neste caso, é possível aproveitar estas duas oportunidades e pensar em uma estratégia pós-vendas para retomar o contato com os clientes e reativar os que deixaram de comprar seu produto ou serviço.

O contato com o consumidor pode ser feito de diversas formas como, por exemplo, telefone, e-mail, mensagens e redes sociais, e isso pode ser feito pelo próprio time de vendas.

6 benefícios da estratégia pós-vendas

Agora que já vimos o que é a estratégia pós-vendas e como ela pode ser feita, vamos conferir as vantagens em aplicá-la no seu negócio.

1. Retenção de clientes (cuide do cliente)

Tão importante quanto ter um cliente novo é conseguir retê-los logo após a primeira compra. Isso significa diminuir o número de evasões da sua carteira de clientes, e aumentar a lucratividade da empresa.

E para não perder nenhum cliente, uma estratégia pós-vendas é o melhor caminho. É preciso estar presente na vida do cliente, entender suas necessidades, explicar tudo o que é possível sobre o produto ou serviço adquirido, e, assim, fazer com que ele se sinta único e ainda tire o melhor proveito de sua compra.

Esse é um cuidado que deve ser feito de forma personalizada, para que se construa um relacionamento duradouro entre a empresa e o consumidor.

2. Satisfação e experiência dos clientes (para fidelizar)

Outro benefício da estratégia pós-vendas é trabalhar a experiência do cliente e, consequentemente, conseguir fidelizar esse consumidor.

O foco aqui deve ser mostrar para o cliente que ele pode contar com o apoio da empresa sempre que tiver alguma nova necessidade, e garantir um atendimento agradável, ágil, solícito e que resolva as dores daquele cliente.

Reforçamos que a fidelização é uma estratégia que se mostra mais acessível economicamente do que investir e trabalhar na atração de novos clientes. Ou seja, sua estratégia pós-vendas tem tudo para garantir economia e uma alta lucratividade.

É de suma importância saber como está o nível de satisfação do seu cliente, através de pesquisas, que podem ser feitas periodicamente, dependendo do seu negócio.

É essencial que, ao fazer contato com o cliente com esse objetivo, o vendedor não tente fazer propaganda, ou seja, não tente vender mais produtos ou serviços, mas sim apenas tratar do follow up da venda já realizada.

Além de aumentar o relacionamento com o consumidor e fazer com que ele se torne fiel, esse retorno ajudará a potencializar os pontos positivos e corrigir as falhas da sua empresa.

3. Possibilidade de novos negócios (oportunidade de negociação)

Uma estratégia pós-vendas pode ser usada, também, para oferecer novos serviços ao cliente ou apresentar algum outro produto ou serviço novo da sua empresa.

Nessa relação com o comprador, é possível gerar mais receita para o negócio oferecendo alguns serviços complementares como, por exemplo, suporte e assistência, garantias estendidas e workshops.

Tudo depende da proximidade que você mantém com o seu consumidor, da sua abordagem e se ele está satisfeito com as transações anteriores.

4. Diferencial competitivo

Hoje em dia, a concorrência é muito grande em todos os setores, e, portanto, é preciso criar maneiras de se destacar, para que seu cliente não vá comprar de outras pessoas. Ter uma estratégia pós-vendas é uma das ferramentas de diferenciação mais fortes no mercado, já que muitas empresas ainda não se preocuparam em aplicá-la ao negócio.

Além disso, estar em contato com o cliente mesmo depois que a negociação já foi feita é algo bastante apreciado pelos consumidores.

Quando você aposta nessa estratégia pós-vendas como um diferencial competitivo, o cliente percebe que a empresa está preocupada com a experiência dele. Isso ajuda a trazer mais consumidores e fidelizar aqueles que já estão ativos.

5. Traz valor à marca

Muitas pessoas optam por comprar os produtos de uma determinada marca por confiar na empresa. Uma estratégia pós-vendas pode criar uma relação de confiabilidade entre companhia e consumidor.

Para que isso funcione ainda melhor, você deve apostar em benefícios exclusivos para os seus clientes. Uma boa opção, por exemplo, é fazer um pós-vendas para oferecer descontos especiais de aniversário.

Estas ações demonstram um cuidado especial com aquele que compra da sua loja, e o cliente sempre está de olho nas empresas que o valorizam e lembram destas marcas na próxima compra.

Presentes inesperados também demonstram um carinho e ajudam a fortalecer a marca. Não é preciso ser algo de grande valor. Pequenos gestos já vão fazer com que sua marca seja lembrada pelos consumidores.

6. Redução de custos

Reduzir os custos também é um grande benefício da estratégia pós-vendas. Isso acontece porque quando o cliente fica satisfeito e tem uma boa experiência de compra do seu produto ou serviço, ele pode indicar o seu negócio para parentes e amigos.

O pós-venda ajuda a construir uma imagem positiva da empresa, e essa possibilidade de divulgação pode trazer muitos outros clientes para o seu negócio. Esta ferramenta, quando bem explorada, pode ser um poderoso aliado da sua marca.

O atendimento pós-venda tem dois propósitos nesse processo: garantir que seu cliente esteja satisfeito com a compra e que ele faça uma propaganda positiva da empresa.

Ouça o nosso MáximaCast #123 e veja como recuperar e vender para clientes inativos

Conclusão

Como vimos, não faltam motivos para aplicar uma estratégia pós-vendas na sua empresa, pois isso é fundamental para fidelizar os seus consumidores e também atrair novos clientes.

Essa é uma tática importantíssima para os negócios que querem aumentar seu faturamento e que estão sempre em busca de melhorar os serviços. Agora, é arregaçar as mangas e colocar hoje mesmo a estratégia pós-vendas em prática.

Com o tempo, você irá sentir o impacto positivo nos lucros e na otimização dos seus serviços.

Gostou do nosso artigo? Então acesse o blog da Máxima Tech e continue acompanhando artigos como este.

solução-de-fluxo-de-caixa


Em vez de ler que tal ouvir este artigo?

O atacado distribuidor enfrenta uma série de desafios inerentes ao seu tipo de operação e, também, relacionadas a fatores internos e externos ao negócio. Buscar uma solução de fluxo de caixa é um dos caminhos para ajudar a vencer muitos problemas e aproveitar melhores oportunidades.

Afinal, o fluxo de caixa no atacado distribuidor demanda um controle acurado e uma gestão bastante eficiente, uma vez que o seu desequilíbrio pode comprometer não apenas a rotina da empresa como também o seu futuro no mercado.  

Além disso, quando há problemas no fluxo de caixa, ocorre mais dificuldade de lidar com imprevistos, alta competitividade e de investir na expansão e na melhoria do negócio.  

Continue a leitura para compreender mais sobre o conceito e a importância desse elemento e conhecer problemas e soluções de fluxo de caixa para o seu atacado distribuidor. 

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa registra e acompanha quanto dinheiro está entrando e saindo de sua empresa durante um período específico de tempo. 

As entradas podem acontecer por meio de vendas e de retornos de investimentos, por exemplo. Por sua vez, as saídas ocorrem com a aquisição de estoque, a contratação de serviços terceiros, o pagamento de taxas e impostos e outras contas da empresa. 

O fluxo de caixa, portanto, é a ferramenta gerencial que permite acompanhar quanto dinheiro entra em um negócio durante um determinado período de tempo em comparação com quanto dinheiro sai dessa empresa durante o mesmo período. 

Idealmente, as empresas desejam ter um fluxo de caixa positivo – o que significa que mais dinheiro está entrando no negócio do que saindo. Se você tiver um fluxo de caixa positivo, a sua distribuidora poderá pagar as contas e investir no crescimento. 

Para calcular o fluxo de caixa líquido, basta somar todos os seus pagamentos durante um período definido (normalmente um mês) e tirar isso de seus recebimentos. 

É importante não ficar muito preso em um mês em particular, no entanto. O seu fluxo de caixa pode ser avaliado com mais precisão em um período de três meses ou mais, pois negócios que lidam com sazonalidade, como os atacados distribuidores, poderão ter naturalmente oscilações para cima ou para baixo a depender do mês e do calendário promocional, e esse fator deve ser considerado para evitar erros de decisão e planejamento. 

→ Para saber mais, leia também nosso artigo que explica mais sobre o que é fluxo de caixa e quais fatores o afetam 

Fluxo de caixa é o mesmo que lucro?

Na hora de buscar solução de fluxo de caixa, é importante, antes de tudo, ter claro alguns significados. É fácil confundir os conceitos de fluxo de caixa e lucro. 

No entanto, eles se referem a duas coisas diferentes. Em essência, os lucros representam o excesso das receitas sobre as despesas, enquanto o fluxo de caixa representa a diferença entre o valor recebido e o valor pago. 

Pode haver diferenças substanciais entre os fluxos de caixa e os lucros reportados por uma empresa, especialmente quando ela usa o regime contábil de competência. Isso porque, de acordo com o regime de competência, as receitas podem ser reconhecidas mesmo quando o caixa correspondente ainda não tenha sido recebido, enquanto as despesas podem ser reconhecidas mesmo que o montante correspondente de caixa ainda não tenha sido pago.

→ Descubra mais sobre o assunto no artigo que explica como avaliar o índice de lucratividade do atacado distribuidor 

Por que o fluxo de caixa é tão importante?

O fluxo de caixa no atacado distribuidor oferece um verdadeiro raio-x do negócio, por meio de dados precisos sobre a sua situação financeira. 

Assim, a partir de seu acompanhamento, é possível planejar iniciativas e campanhas promocionais para que os resultados esperados sejam realmente conquistados. Isso permite agir proativamente, não apenas reativamente depois que se percebeu que as vendas do trimestre, por exemplo, não performaram conforme o esperado. 

Ademais, acompanhar e buscar solução de fluxo de caixa é vital para garantir que o saldo de caixa permaneça suficiente para lidar com todas as obrigações esperadas (mais um amortecedor para as inesperadas).  

Desse modo, o atacado distribuidor pode estar mais bem preparado para as oscilações do mercado e para lidar com eventuais imprevistos, sem que a saúde financeira do negócio fique comprometida.  

É por isso que é importante que o gerente comercial analise, além do volume de vendas, o fluxo de caixa, obtendo uma visão mais completa sobre os resultados que estão sendo atingidos. 

→ O fluxo de caixa é fundamental também para o planejamento orçamentário. Compreenda mais no artigo: 8 dicas para um planejamento orçamentário eficiente no atacado distribuidor 

Quais são os problemas mais comuns que exigem solução de fluxo de caixa?

Buscar solução de fluxo de caixa é algo importante para que o atacado distribuidor evite ou resolva parcial ou totalmente alguns problemas, tais como: 

Falta de fundos para as operações do negócio

No longo prazo, sem acompanhar o fluxo de caixa e mantê-lo alinhado às metas e estratégias da empresa, é comum se deparar com falta de dinheiro para cumprir a folha de pagamento, reinvestir no negócio, melhorar a distribuição logística, ampliar o portfólio de produtos da distribuidora, etc. 

Baixo fluxo de entradas no caixa

Para captar ou reter clientes, por vezes, se fornece prazos maiores para pagamento. Quando isso é feito com estratégia, pode render bons resultados. 

Entretanto, quando essas condições são ofertadas sem se conhecer o fluxo de caixa e os impactos de demorar mais para o dinheiro entrar, pode haver um desequilíbrio que gere imprevistos, fazendo, inclusive, com que se busque um financiamento e se tenha mais gastos com o pagamento de juros. 

Dificuldade para expansão

Empregar mais funcionários, ampliar os escritórios ou a área de depósito, expandir as operações — tudo isso pode ajudar a elevar o sucesso do atacado distribuidor, porém é necessário ter fluxo de caixa para sustentar os investimentos. 

Embora os seus lucros possam variar, outros gastos são fixos (como aluguel), o que significa que é preciso que a empresa seja capaz de suportar a pressão de curto prazo em suas finanças se quiser expandir e fazer investimentos. 

Empréstimos recorrentes

Quando não se acompanha e gerencia adequadamente o fluxo de caixa, a empresa comumente acaba tendo de recorrer a linhas de crédito para que possa sanar as dívidas quando o saldo de caixa for negativo. 

Isso impõe um custo de juros sobre o negócio que reduz o seu lucro geral. Os pagamentos de juros efetuados também reduzem a sua reserva de caixa, tornando a operação menos viável financeiramente. 

Atraso nos pagamentos

Da mesma forma, quando não há previsibilidade e alinhamento entre as entradas e saídas de dinheiro, outro problema que exige solução de fluxo de caixa são os atrasos nos pagamentos, uma vez que não há entradas suficientes para cobrir as despesas realizadas. 

Solução de fluxo de caixa: 6 dicas para colocar em prática

Agora que alguns dos problemas comuns foram retomados, é hora de saber mais sobre como estabelecer solução de fluxo de caixa em seu atacado distribuidor. Para isso, confira as dicas a seguir. 

1. Acompanhe diariamente o fluxo de caixa

Uma solução de fluxo de caixa tem em sua base o acompanhamento rotineiro das entradas e saídas. Com esse controle e o registro diário, qualquer divergência ou pontos de atenção serão identificados com agilidade, permitindo que se tenha tempo para planejar saídas para a situação com mais assertividade. 

Assim, será possível ter controle sobre quanto há disponível para honrar os seus compromissos financeiros, para reinvestir no negócio e quando deverá ter novas entradas e saídas que impactem em sua tomada de decisões. 

2. Foque nas vendas

Outro problema que demanda solução de fluxo de caixa é quando não há um acompanhamento sistemático que permita identificar queda inesperada nas vendas.  

Em negócios como os do atacado distribuidor, essa receita é extremamente relevante para a saúde financeira da empresa e para cobrir os seus custos de operação. Portanto, o seu acompanhamento constante é algo central para garantir a sustentabilidade do negócio. 

Assim, é importante que o gerente comercial acompanhe o fluxo de caixa diário e os indicadores de vendas, além de fazer as análises mensais ou trimestrais dos números, munindo-se de dados confiáveis para criar novas estratégias para impulsionar as vendas ou realinhar ações já aplicadas. 

Isso permitirá, por exemplo, identificar quando é necessário alterar os preços, fazer negociações mais ousadas com os fornecedores ou investir em campanhas de curto prazo para alavancar as vendas e, com isso, o caixa. 

3. Controle as despesas

Quando os gastos são maiores do que os ganhos, é urgente buscar uma solução de fluxo de caixa. Afinal, em um cenário ideal, as contas a pagar não deveriam ser maiores do que o montante de contas a receber. 

Em situações assim, além da dificuldade de obter capital de giro para as operações diárias, o problema pode ser ampliado ao ter de lidar com juros, financiamentos e renegociações de pendências. 

Por isso, é importante continuamente buscar formas de controlar as despesas, reduzindo ou eliminando aquelas que não são necessárias ou prioritárias e criando um fundo que possa ser utilizado como reserva para os momentos de instabilidade. 

Por esse motivo, cada investimento deve ser bem planejado, evitando que toda a receita seja utilizada para cobrir parcial ou em totalidade as despesas gerais do negócio. 

4. Faça um planejamento e siga ele à risca

Como visto, planejamento anda lado a lado com solução de fluxo de caixa. A sua combinação é fundamental para que os gastos, investimentos e ações do atacado distribuidor estejam alinhados com o seu caixa e com o fluxo previsto, bem como os objetivos e metas determinados. 

Afinal, sem saber qual é o marco traçado, por vezes, ficará difícil compreender se determinado resultado é positivo ou negativo, satisfatório ou insatisfatório. Por isso, o planejamento deve incorporar o fluxo de caixa e as suas metas devem estar em sintonia e ser seguidas à risca. 

Na prática, isso permite que a gestão tome diversas decisões. Por exemplo, definir com mais segurança e previsibilidade entre estratégias de vender maior volume com menor preço ou menor volume e com maior preço de um produto durante um período determinado, tendo em vista o atingimento das metas estipuladas, a performance e a projeção de fluxo de caixa no atacado distribuidor. 

Da mesma maneira, possibilita determinar ações promocionais e políticas de desconto que favoreçam e que não prejudiquem o caixa da empresa, em atuação conjunta entre equipe comercial, de trade marketing e financeira.   

5. Monitore o estoque

Uma solução de fluxo de caixa também diz respeito à gestão e ao controle de estoque. Afinal, problemas em um impactarão no outro. 

Por exemplo, sem caixa suficiente, pode haver falta de recursos para os produtos de alto giro ou, ainda, quando há excesso de estoque pode ocorrer desequilíbrio no caixa. 

6. Utilize a tecnologia a seu favor

A tecnologia é uma aliada para facilitar a solução de fluxo de caixa especialmente no que diz respeito ao registro e acompanhamento de dados e obtenção de informações para fundamentar a tomada de decisões. 

Imagine ter de anotar em um caderno cada pequeno ou grande gasto. Pense no tempo mensal que uma tarefa assim acarretaria. Ainda, na margem de erro que há em se realizá-la manualmente. Mesmo quando se utilizam planilhas, ainda há desperdício de tempo, limitação de recursos e suscetibilidade a erros e redundâncias nos registros. 

Por isso, uma solução de fluxo de caixa eficiente são as plataformas integradas voltadas à gestão comercial, que ajudam a controlar os indicadores em tempo real e fornecem agilidade e facilidade na geração de relatórios de vendas. 

Ainda, aquelas que permitem que se tenha acesso para controlar e acompanhar números de estoque, os preços dos produtos, promoções realizadas bem como realizar autorizações especiais, alinhadas às metas e ao fluxo de caixa, como descontos nos pedidos.

Gostou das nossas dicas de solução de fluxo de caixa? Aproveite e conheça as soluções da MáximaTech voltadas à gestão comercial.